Filosofia / Discurso Científico E Discurso Filosófico

Discurso Científico E Discurso Filosófico

Trabalho Universitário: Discurso Científico E Discurso Filosófico
Buscar 155.000+ Trabalhos e Grátis Artigos

Enviado por:  Thaytonzar96  02 setembro 2013
Tags: 
Palavras: 1605   |   Páginas: 7
Visualizações: 1488

“Argumentar” quer dizer oferecer um conjunto de razões a favor de uma conclusão ou oferecer dados favoráveis a uma conclusão. Argumentar não é apenas a afirmação de determinado ponto de vista nem uma discussão. Os argumentos são tentativas de sustentar certos pontos de vista com razões.

Segundo Mouillaud (1997), discurso, como a própria palavra indica, origina-se do latim discurrere, que por sua vez vem do próprio latim currere e significa discorrer, atravessar, expor. É um exposto metódico, algo que flui (noção de continuidade), uma operação mental que se processa através de uma série de operações intermediárias e parciais (noção de descontinuidade).

Discurso Científico

Orlandi (1987) afirma que, do ponto de vista discursivo, as palavras, os textos configuram-se como partes de formações discursivas. Estas por sua vez, são entendidas como um conjunto de redes intrincadas de relações que imbricam história e tecnologias, construção de conhecimento e discursos num domínio específico, portanto, reproduzem poder (Focault, 1990).

A formação discursiva é sua relação com a formação ideológica e é caracterizada pelas marcas estilísticas e tipológicas que se constituem na relação da linguagem com as condições de produção.

Orlandi (1987:153) citando Pêcheux expõe que:

Um tipo de discurso resulta do funcionamento discursivo, sendo este último definido como a atividade estruturante de um discurso determinado, para um interlocutor determinado, por um falante determinado, com finalidades específicas. Observando-se sempre, que esse "determinado" não se refere nem ao número, nem a presença física, ou à situação objetiva dos interlocutores como pode ser descrita pela sociologia. Trata-se de formações imaginárias, de representações, ou seja, da posição dos sujeitos no discurso.

Existem, portanto, vários tipos de discursos. Para a mesma autora, estes se classificam em: discurso lúdico, discurso polêmico e discurso autoritário. Este último é o de nosso interesse, pois

a autora o define como sendo aquele em que a reversibilidade tende a zero, estando o objeto do discurso oculto pelo dizer, havendo um agente exclusivo do discurso e a polissemia contida. Esta situação é a que exatamente acontece no discurso tipo científico, do qual passaremos a tratar.

Para discorrermos sobre o discurso científico, recorremos a Focault, autor fundamental na definição de que os discursos funcionam de acordo com algumas regras preestabelecidas, isto é, dentro de determinadas condições de produção. Não podemos deixar de mencionar sua aula inaugural no Collège de France em dois de dezembro de 1970, quando formulou um brilhante resgate da ordem dos discursos. Esta aula transformou-se no clássico livro "A Ordem do Discurso", onde podemos encontrar um resgate histórico de como sempre os discursos representam o poder e, por isso, muitas vezes, necessitam ser controlados.

De acordo com Focault (1999), a troca e a comunicação caracterizam-se como figuras positivas q ...



Cadastre-se no TrabalhosGratuitos

Cadastre-se no TrabalhosGratuitos - buscar 155.000+ trabalhos e monografias