Trabalho Completo Fisica

Fisica

Imprimir Trabalho!
Cadastre-se - Buscar 155 000+ Trabalhos e Monografias

Categoria: Ciências

Enviado por: roger1975 28 abril 2013

Palavras: 2885 | Páginas: 12

IDOS DE FÍSICA

01. Na figura ao lado, um observador está inicialmente na posição A, em frente a um espelho plano. Entre A e o espelho está situado o objeto O. O observador em A vê a imagem virtual de O, localizada no ponto I. Onde estará a imagem de O, caso o observador se desloque até a posição B?

A) I4

B) I3

C) I2

D) I1

E) I

Questão 1, alternativa E

A mudança na posição do observador não altera a posição da imagem. O que muda de lugar é a região da superfície do espelho onde será refletida a luz proveniente do objeto que atinge o observador em sua nova posição. A lei da reflexão garante que a imagem do objeto está sempre na mesma posição.

02. Um gráfico mostra como varia a potência elétrica fornecida a uma pequena cidade durante o intervalo de tempo que vai de 12 horas (meio-dia) até 20 horas (8 horas da noite). Sejam: E1 a energia elétrica fornecida entre 12 horas e 17 horas, e E2 a energia elétrica fornecida entre 17 horas e 20 horas. A razão é:

A) 1,0

B) 1,2

C) 1,5

D) 1,8

E) 2,0

Questão 2, alternativa A

Ora, potência é medida em unidades de energia por tempo. Então, a "área" sob a curva no gráfico da questão 2 dá a quantidade de energia fornecida durante o correspondente intervalo de tempo. Assim,

.

Por outro lado,

.

Portanto, a razão

03. A figura ao lado representa o processo de descarga de um capacitor como função do tempo. No tempo t = 0, a diferença de potencial entre as placas do capacitor era Vo = 12 volts. No instante de tempo t1, assinalado no gráfico, a diferença de potencial, em volts, entre as placas do capacitor é:

A) 1,5

B) 3,0

C) 4,5

D) 6,0

E) 7,5

Questão 3, alternativa C

A carga acumulada em um capacitor é diretamente proporcional à diferença de potencial entre suas placas. A constante de proporcionalidade é a chamada capacitância C do capacitor. De acordo com o gráfico, no intante t = t1, a carga do capacitor vale Assim,

Portanto, V = 4,5 volts.

04. De acordo com a teoria da relatividade, de Einstein, a energia total de uma partícula satisfaz a equação E2 = p2c2 + mo2c4, onde p é a quantidade de movimento linear da partícula, mo é sua massa de repouso e c é a velocidade da luz no vácuo. Ainda de acordo com Einstein, uma luz de freqüência n pode ser tratada como sendo constituída de fótons, partículas com massa de repouso nula e com energia E = hn, onde h é a constante de Planck. Com base nessas informações, você pode concluir que a quantidade de movimento linear p de um fóton é:

A) p = hc

B) p = hc/n

C) p = 1/hc

D) p = hn/c

E) p = cn/h

Questão 4, alternativa D

Sendo nula a massa de repouso de um fóton, sua energia satisfaz a equação E2 = p2c2 ou seja,

E = pc. (1)

Mas a energia de um fóton de freqüência n pode, igualmente, ser expressa como

E = hn. (2)

Igualando-se (1) e (2) temos: pc = hn ® p = hn/c.

05. No circuito abaixo, os três resistores são idênticos e cada um pode dissipar uma potência máxima de 32 W, sem haver superaquecimento. Nessa condição, qual a potência máxima, em watts, que o circuito poderá dissipar?

A) 32

B) 36

C) 40

D) 44

E) 48

Questão 5, alternativa E

Suponhamos que a corrente total no circuito seja i. Então, pelo resistor que está à direita, na figura acima, circula uma corrente igual a i e por cada um dos resistores à esquerda, uma corrente igual a i/2. A potência máxima dissipada no resistor à direita é P1 = i2R = 32 W. Cada resistor à esquerda dissipará uma potência P2 = i2R/4 = 8 W. Assim, a potência total dissipada pelo circuito será

P = P1 + 2P2 = 32 W + 16 W, ou seja, P = 48 W.

06. Um pássaro pousa em um dos fios de uma linha de transmissão de energia elétrica. O fio conduz uma corrente elétrica i = 1.000 A e sua resistência, por unidade de comprimento, é de 5,0 x 10-5 W/m. A distância que separa os pés do pássaro, ao longo do fio, é de 6,0 cm. A diferença de potencial, em milivolts (mV), entre os seus pés é:

A) 1,0

B) 2,0

C) 3,0

D) 4,0

E) 5,0

Questão 6, alternativa C

Sendo 6,0 cm a distância de separação entre os pés do pássaro, a resistência elétrica do pedaço de fio situado entre seus pés é

R = 5,0 x 10-5(W/m) x 6,0 x 10-2 m = 3,0 x 10-6 W.

A diferença de potencial entre os pés do pássaro é

V = R x i = 3,0 x 10-6 x 1.000 = 3,0 x 10-3 V = 3,0 mV.

07. A figura ao lado mostra uma calha circular, de raio R, completamente lisa, em posição horizontal. Dentro dela há duas bolas, 1 e 2, idênticas e em repouso no ponto A. Ambas as bolas são disparadas, simultaneamente, desse ponto: a bola 1, para a direita, com velocidade v1 = 6p m/s e a bola 2, para a esquerda, com velocidade v2 = 2p m/s. As colisões entre as bolas são perfeitamente elásticas. Indique onde ocorrerá a quarta colisão entre as bolas, após o disparo delas.

A) Entre os pontos A e B

B) Exatamente no ponto A

C) Entre os pontos C e D

D) Exatamente no ponto C

E) Exatamente no ponto D

Questão 7, alternativa B

A velocidade inicial da bola 1 é três vezes maior que a velocidade inicial da bola 2, v1 = 3v2. Assim, partindo do ponto A, as bolas irão colidir a primeira vez após a bola 1 percorrer uma distância três vezes maior do que aquela percorrida pela bola 2. Essa colisão ocorrerá no ponto D. A conservação da quantidade de movimento produz uma troca de velocidade entre as duas bolas idênticas. A bola 1 retorna de D, com velocidade v2, e a bola 2 retorna, pelo outro lado, com velocidade v1. O movimento entre a primeira e a segunda colisão é semelhante àquele ocorrido antes, com as duas bolas em papéis invertidos. Por isso, a segunda colisão ocorrerá no ponto C. Ali, mais uma vez, há troca de velocidade entre as bolas, seguindo a bola 1 para a esquerda, com velocidade v1 e a bola 2, para a direita, com velocidade v2. Isso conduz à terceira colisão, que ocorrerá no ponto B. Mais uma vez, tem lugar a troca de papéis entre as duas bolas e a quarta colisão irá ocorrer exatamente no ponto A.

08. Um gráfico mostrado resultou de uma experiência na qual a superfície metálica de uma célula fotoelétrica foi iluminada, separadamente, por duas fontes de luz monocromática distintas, de freqüências n1 = 6,0 x 1014 Hz e n2 = 7,5 x 1014 Hz, respectivamente. As energias cinéticas máximas, K1 = 2,0 eV e K2 = 3,0 eV, dos elétrons arrancados do metal, pelos dois tipos de luz, estão indicadas no gráfico. A reta que passa pelo dois pontos experimentais do gráfico obedece à relação estabelecida por Einstein para o efeito fotoelétrico, ou seja,

K = hn - f,

onde h é a constante de Planck e f é a chamada função trabalho, característica de cada material. Baseando-se na relação de Einstein, o valor calculado de f, em elétron-volts, é:

A) 1,3

B) 1,6

C) 1,8

D) 2,0

E) 2,3

Questão 8, alternativa D

Escrevamos a relação de Einstein para as energias K1 e K2:

K1 = hn1 - f

K2 = hn2 - f.

Eliminando a constante h, entre as duas equações acima, teremos:

n1(K2 + f) = n2(K1 + f). Assim,

f = [n1K2 - n2K1]/[n2 - n1].

Portanto,

f = 2,0 eV.

09. Três capacitores idênticos, quando devidamente associados, podem apresentar uma capacitância equivalente máxima de 18 mF. A menor capacitância equivalente que podemos obter com esses mesmos três capacitores é, em mF:

A) 8

B) 6

C) 4

D) 2

E) 1

Questão 9, alternativa D

A capacitância máxima é obtida quando os três capacitores são ligados em paralelo. Nesse caso,

Cmax = 3 C = 18 mF ® C = 6mF.

A capacitância mínima é obtida quando os três capacitores são ligados em série e, nesse caso, temos:

10. Uma fábrica de produtos metalúrgicos do Distrito Industrial de Fortaleza consome, por mês, cerca de 2,0 x 106 kWh de energia elétrica (1 kWh = 3,6 x 106 J). Suponha que essa fábrica possui uma usina capaz de converter diretamente massa em energia elétrica, de acordo com a relação de Einstein, E = moc2. Nesse caso, a massa necessária para suprir a energia requerida pela fábrica, durante um mês, é, em gramas:

A) 0,08

B) 0,8

C) 8

D) 80

E) 800

Questão 10, alternativa A

A energia consumida pela fábrica é

E = 2 x 106 kWh x 3,6 x 106 = 7,2 x 1012 J.

De acordo com a relação de Einstein, a quantidade de massa necessária para fornecer essa energia é

mo = = 0,8 x 10-4 kg = 8 x 10-2 gramas.

11. Um ciclo de Carnot, representado no diagrama p-V. Se no trecho b=>c, desse ciclo, o sistema fornece 60 J de trabalho ao meio externo, então é verdade que, nesse trecho:

A) o sistema recebe 60 J de calor e sua energia interna diminui.

B) o sistema recebe 60 J de calor e sua energia interna não varia.

C) o sistema rejeita 60 J de calor e sua energia interna não varia.

D) não há troca de calor e sua energia interna aumenta de 60 J.

E) não há troca de calor e sua energia interna diminui de 60 J.

Questão 11, alternativa E

Num ciclo de Carnot, acontecem duas transformações isotérmicas intercaladas por duas adiabáticas (sem troca de calor). O trecho b®c, mostrado no diagrama desta questão, é uma transformação adiabática através da qual o sistema passa da temperatura maior, T2, para a temperatura menor, T1. A energia interna é diretamente proporcional à temperatura. Por isso, a transformação b®c traz uma diminuição na energia interna do sistema.

12. Uma espira retangular de 20 cm por 30 cm, contendo um amperímetro ideal A e um resistor R, cuja resistência vale 3,0 W. Um campo magnético uniforme, cuja intensidade B muda com o tempo, é aplicado perpendicularmente ao plano da espira durante 1,2 segundos. Os valores de corrente, em ampères, medidos pelo amperímetro, correspondentes aos intervalos de tempo I, II e III mostrados na figura (b) são, respectivamente:

A) , 0 e

B) , 0 e

C) , e

D) , e

E) , e

Questão 12, alternativa B

Em qualquer instante de tempo, o fluxo de campo magnético através da espira é dado por F = B x S, sendo S = 20 cm x 30 cm = 600 cm2 = 6 x 10-2 m2 a área da espira. Temos, neste caso, um fluxo variável através da espira cujo valor é dado por

F = 6 x 10-2 x B,

pois B é uma função do tempo, conforme mostra o gráfico da questão 12.

Quando o fluxo varia com o tempo, é induzida uma força eletromotriz na espira. De acordo com a lei de Faraday, o valor médio dessa força eletromotriz induzida é dado por E = = — . Aqui o sinal não nos interessa pois não queremos o sentido da corrente que aparece no amperímetro. No intervalo de tempo I, no gráfico da questão 12, o valor da força eletromotriz induzida é

No intervalo II, não há variação de fluxo, pois o campo é constante. Por isso,

EII = 0.

No intervalo III, o valor da força eletromotriz é dado por

A corrente em cada um dos intervalos tem os respectivos valores: i1 = E1/R = 0,4A, i2 = 0 e i3 = E3/R = 0,2A.

13. Um feixe de luz de cor laranja, cujo comprimento de onda, no vácuo, é l = 600 nm (1 nm = 1x10-9 m), atravessa um bloco de cristal de espessura L. Essa luz demora apenas um tempo Dt = 2 ns para atravessar o cristal e seu comprimento de onda ali fica reduzido a ln = 400 nm. O índice de refração n do cristal e sua espessura L têm valores dados, respectivamente, por:

A) 1,5 e 16 cm

B) 1,5 e 40 cm

C) 1,2 e 40 cm

D) 1,2 e 60 cm

E) 1,5 e 60 cm

Questão 13, alternativa B

Em um meio com índice de refração igual a n, temos a relação

onde vn e c são, respectivamente, a velocidade da luz no meio e a velocidade da luz no vácuo. Usando os dados da questão:

n = e

vn =

Mas vn = ou seja,

= ® L = .

14. O nível sonoro, medido em unidades de decibéis (dB), de uma onda sonora de intensidade I é definido como

b = 10log ,

onde Io = 1,0 x 10-12 W/m2 foi escolhida como uma intensidade de referência, correspondente a um nível sonoro igual a zero decibéis. Uma banda de rock pode conseguir, com seu equipamento de som, um nível sonoro b = 120 dB, a uma distância de 40 m das caixas acústicas. A potência do som produzido na condição acima, por essa banda (aqui considerada uma fonte puntiforme e isotrópica) é, em watts, aproximadamente:

A) 20.000

B) 10.000

C) 7.500

D) 5.000

E) 2.500

Questão 14, alternativa A

O nível sonoro satisfaz a equação 120 = 10log , ou seja, log = 12 ® = 1012. Assim,

I = Io x 1012 ® I = 1 W/m2.

No caso da fonte mencionada (puntiforme e isotrópica), a potência por ela irradiada satisfaz a equação

P = 4pR2 x I,

em que R é a distância da fonte ao ponto onde a intensidade tem o valor I = 1 W/m2. Portanto,

P = 4p(40)2 W = 20.106 » 20.000 watts

15. Uma bola de massa m = 500 g é lançada do solo, com velocidade vo e ângulo de lançamento qo, menor que 90o. Despreze qualquer movimento de rotação da bola e a influência do ar. O valor da aceleração da gravidade, no local, é g = 10 m/s2. O gráfico ao lado mostra a energia cinética K da bola como função do seu deslocamento horizontal, x. Analisando o gráfico, podemos concluir que a altura máxima atingida pela bola é:

A) 60 m

B) 48 m

C) 30 m

D) 18 m

E) 15 m

Questão 15, alternativa D

A energia total da bola é igual à sua energia cinética inicial, K = 120 J. A posição x = A/2 é aquela em que a bola atinge a altura máxima. Nessa posição, de acordo com o gráfico, sua energia cinética é igual a 30 J. Logo,

mghmax + 30 = 120 > hmax =