TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Tipo de liderança adotado pela empresa B.O.N.I.T.A.

Por:   •  12/3/2014  •  Pesquisas Acadêmicas  •  3.155 Palavras (13 Páginas)  •  291 Visualizações

Página 1 de 13

Tipo de liderança adotado pela empresa B.O.N.I.T.A.

Na Empresa B.O.N.I.T.A. aposta na Liderança democrática, pois o líder compartilha com os liderados suas responsabilidades de liderança, envolvendo-os no planejamento e execução das tarefas, tendo uma boa comunicação, entrosamento com a sua equipe e responsabilidade acima de tudo. Acreditamos que assim desta forma com os funcionários trabalham com mais interatividade e com o objetivo geral que é o alcance dos resultados esperados pela Empresa, pois vivemos em um país democrático, e com esse resultado espera-se que os funcionários apresentem maior produtividade e qualidade no trabalho, além de manter um clima de satisfação, integração grupal, responsabilidade e comprometimento, pois nesse modelo de liderança o líder ouve e aceita opiniões diferentes das suas, e traz harmonia para o ambiente e proporcionar as melhores condições psicológicas de trabalho para a equipe.

Nossas estratégias Motivacionais com nossos funcionários

Trabalhamos promovendo entre os nossos funcionários e clientes uma clima eficaz e harmonioso, pois assim se aumenta a motivação e isso influencia positivamente no resultado que a empresa espera.

Para perceber o grau de satisfação dos funcionários usamos como indicadores alguns fatores dentro da organização como: avaliações de desempenho, reclamações e problemas interpessoais, entre outros, e realizamos constantes pesquisas internamente sempre coletando informações através de testes simples e confidenciais para promover a confiança do resultado final, estes métodos consistem em perguntas com respostas rápidas que simulam o ambiente de trabalho e a gestão aplicada, os colaboradores não precisam se identificar. Medindo o grau de satisfação dos colabores podemos identificar qual dinâmica adotar como estratégia de motivação.

Promovemos a capacitação técnica deste dentro da organização, podendo ter como benefícios:

Cursos profissionalizantes e extracurriculares.

Premiações (Para os funcionários/grupos que atingirem metas mensais)

Criação de eventos internos (Feiras/ Workshops/ Palestras)

Criar convênios com outras empresas (Academias/Entretenimentos - como shows, teatros, cinemas)

Entre outros, que combinados ao desejo de crescimento e a ambição pessoal viram motivação para o desenvolvimento da organização, quanto mais a empresa cresce, mais este funcionário cresce com a empresa.

Assim notamos que o resultado da empresa devido a este fator de motivação vem sendo muito bom para nós, pois conseguimos gerar lucro com funcionários motivados a trabalhar.

Estratégias de Comunicação Interna e Externa

A Comunicação Interna que a empresa adota tem como objetivo difundir os conhecimentos adquiridos pelos empregados, diretores e proprietários, divulgar ações a serem tomadas envolvendo as equipes nas metas da organização.

Utilizamos como ferramentas de comunicação interna: (boletins, jornais murais, comunicados etc.) e promoção de eventos (programações sociais, treinamentos, etc.).

Desta forma divulgamos as ações da empresa de forma direta e transparente com todos os colaboradores.

Com o objetivo de:

 Envolver a equipe de trabalho da empresa nas metas da organização;

 Sintonia das informações com os objetivos estratégicos da empresa;

 Disposição dos dirigentes em abrir informações essenciais para todos;

 O propósito de se considerar as diferenças individuais, para assegurar um relacionamento adequado do empregado com a empresa;

 O compromisso de se desenvolver competências básicas em comunicação;

 A intenção de propiciar uma comunicação rápida e eficaz;

Comunicação Externa

Para promover o a divulgação de produtos e serviços oferecidos pela empresa com o intuito de prospectar novos clientes utilizamos vários meios de comunicação externa, tais como:

 Jornais

 Panfletos

 Revistas

 Internet

 Outdoors

 TV

 Veículos de comunicação

Adotamos também uma nova estratégia de comunicação externa com nossos consumidores, que é o envio de representantes comerciais, com isso garantimos a divulgação de forma mais eficaz, pois os representantes ajudam no esclarecimento as necessidades dos clientes e temos mensurado que por meio deste meio de comunicação os resultados tem sido elevado.

.

A aquisição de novos conhecimentos deve voltar-se, principalmente, para a satisfação das necessidades dos clientes, ou seja, todo o conhecimento adquirido pela empresa deve resultar em benefícios para sua clientela, seja ela interna ou externa.

Bibliografia

http://sttrtb.blogspot.com.br/2012/07/lideranca-democratica.html

http://www.rh.com.br/Portal/Lideranca/Artigo/8224/ele-ja-me-fez-chorar.html

WIKIPEDIA. Motivação. http://pt.wikipedia.org/wiki/Motiva%C3%A7%C3%A3o.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Estrat%C3%A9gia#Estrat.C3.A9gia_empresarial

http://www.sebrae.com.br

Introdução

Nossa empresa, a BrasColor LTDA., situada na Rua Pátria nº1000, Manaus AM, é uma empresa compromissada com o meio ambiente utilizando um processo inovador para tingir tecidos.

O processo de Tingimento de tecidos com corantes naturais é uma maneira inovadora de respeito com o meio ambiente aliado a produção industrial.

O processo utiliza produtos da flora local para tingir tecidos, sendo eles em sua grande maioria a base de lã e seda, Os usos e aplicações dos corantes naturais são os mais diversos, é possível também tingir papel, couro, alimentos e cosméticos.

Introduction

Our company,BrasColorLTDA., Located at No.1000FatherlandStreet, ManausAM, is a companycommitted tothe environmentusingan innovative processfor dyeingfabrics.

The process ofdyeingfabrics withnaturalpaintsis an innovative wayof respectfor the environmentcoupled withindustrial production.

The process usesproducts such asflowersand barkto dye cloth, they being mostlythe basisof wool andsilk,The usesand applications ofnatural dyesare the most diverse, it is also possibleto dyepaper, leather, food and cosmetics.

Análise do mercado

Com a crescente preocupação do mundo em se tornar sustentável, o Tingimento Natural de Tecidos é uma área com enorme potencial de crescimento por ser uma “Empresa Verde”.

A técnica aplicada não deixa nenhum tipo de resíduo químico no material descartado, como a água que pode ser reaproveitada para inúmeras finalidades desde a regar plantações até as descargas dos sanitários da própria empresa em que é produzida.

Temos o objetivo de atingir o público jovem o qual se interessa por moda e “cores”, utilizando estampas e peças coloridas.

Esse público em potencial desde a infância vem aprendendo a importância da sustentabilidade.

Concorrência

Por ser um projeto relativamente novo, é baixa a concorrência levando em conta que a utilização desta técnica em sua maioria é feita de modo artesanal.

Fornecedores

Nossos fornecedores são pequenos agricultores da Amazônia, que produzem outro tipo de produto e tem em seus produtos para o Tingimento Natural um complemento de renda.

Estratégia de Marketing

Nossa estratégia é baseada no apelo a Sustentabilidade Mundial, mostrando os danos que resíduos químicos podem causar, salientando que devemos deixar um “Planeta Verde” para nossos descendentes.

Objetivo Geral

Criar uma empresa amiga do Meio Ambiente, com um produto inovador e chamativo.

Objetivos específicos

Utilizar mão de obra local, capacitando-os para tal, tendo assim mão de obra qualificada e ajudando a região em si.

Recursos e Custos

Recursos Humanos: Utilizar mão de obra local, capacitando-os para tal, tendo assim mão de obra qualificada e ajudando a região em si.

Recursos Materiais: Necessário maquinário industrial, como tinas e fornos em grande porte.

Custos de Produção

Algodão

Média de Setembro de 2013 a Novembro de 2013 segundo a Bolsa de Nova Iorque (NYBOT)

R$ 60, 54 o Kg.

Insumos para Pigmentação

Média entre Flores, Cascas e Raízes

R$ 2,50 o Kg.

Água

SABESP 2013

R$ 0,0014 o litro

No processo de produção é necessário utilizar a cada Kg de algodão cerca de 5 kg de insumo de pigmentação e 100 litros de água sendo:

R$ 60,00 – 1 kg Algodão

R$ 12,50 – 5Kg de Pigmentação

R$ 0,14 – 100 Litros de Água para o preparo

R$ 0,14 – 100 Litros de Água para o enxágue

Valor total gasto por Kg. de material finalizado R$ 72,78

Levando em conta que nossa empresa atende clientes de grande porte, nossa venda mínima é de 100 kg. por material finalizado, tendo um gasto de R$7278,00 para sua produção cobramos um valor de lucro de 42% ficando com um valor finalizado de R$ 10334,76 a cada 100 kg. do produto.

Um diferencial da nossa empresa é que por ser uma “Empresa Amiga do Meio Ambiente” podemos solicitar junto ao Governo do Estado no qual a Empresa se localiza uma significativa redução do ICMS sendo assim mais rentável sua produção.

Tintas naturais

As tintas naturais podem ser extraídas de fontes animais, vegetais e minerais

Tintas naturais são aquelas que ao invés de serem feitas de produtos químicos, são extraídas de elementos da natureza, ou seja, a partir de compostos orgânicos feitos com moléculas que contêm carbono combinado com hidrogênio e, muitas vezes, com oxigênio ou nitrogênio. E, como as demais, são compostas basicamente por pigmentos e aglutinantes, possuindo características de opacidade ou transparência.

Elas podem ser feitas a partir de nozes, cascas, raízes, frutas, pétalas, aparas de madeira, folhas, partes de flores e plantas inteiras, insetos, terra, entre outros. As plantas são capazes de fornecer mais de 500 cores. Qualquer tipo de terra pode ser usado para fazer tinta, a escolha vai depender da cor e do efeito que se busca.

Os usos e aplicações dos corantes naturais são os mais diversos. É possível tingir tecidos, papel, couro, alimentos e cosméticos.

Mas nem todos os corantes que vêm das plantas estão livres de toxinas. Isso porque muitos precisam de aglutinantes, substâncias que ajudam na fixação, como o ferro, estanho, cromo, sulfato de cobre e ácido tânico, que são venenosas. No entanto, é possível também utilizar aglutinantes naturais, como a gema e a clara de ovo, suco de alho, goma da babosa e polvilho.

O tingimento em tecidos muitas vezes chega a ser mais tóxico do que a própria produção de fibras ou têxteis. Por esse motivo, designers e confecções começam a se preocupar com toda a cadeia produtiva, retomando a técnica de tingimento natural.

Por esse motivo a BasColor vem inovando colorindo sua vida com respeito ao meio ambiente

A HISTÓRIA

As tintas naturais são utilizadas pela humanidade há mais de 5.000 anos, com o começo ainda na era neolítica. Corantes derivados da planta Isatistinctoria (woad) vieram mais tarde, durante a Idade do Bronze. Os egípcios introduziram raiz de açafrão, cúrcuma e índigo (extraído da planta Indigoferatinctoria, de coloração azul). No final de 1700, os italianos começaram a substituir os corantes naturais por produtos químicos.

DICAS

• Recolha apenas uma pequena parte de cada planta de um mesmo local, evitando que ela se esgote e permitindo que outros também possam colhê-la;

• Faça uma horta de plantas tintórias, para preservar a natureza;

• Coletar sementes é muito importante. Conserve-as embaladas em plástico em lugar fresco e seco ou em geladeira até a época do plantio.

A técnica entrou em desuso quando a indústria química criou o primeiro corante sintético em 1856. A descoberta foi do químico inglês Sir William Perkin. A partir daí, muitas pesquisas foram desenvolvidas e cada vez mais os corantes artificiais passaram a ocupar o lugar dos naturais. Em 1868, a Alizarina ganhou seu equivalente químico e em 1880 é a vez do azul índigo.

Na metade do século XX surge a tinta acrílica. Nos laboratórios, novas cores continuam a ser descobertas e criadas, como as tintas fosforescentes. Na década de 80 havia 3 milhões de cores disponíveis. Desde então, o homem vem utilizando indiscriminadamente estes corantes químicos para diversas finalidades.

Na década de 90, Estados Unidos, França e Inglaterra proíbem o uso de corantes químicos nas indústrias de alimentos e cosméticos.

BENEFÍCIOS

O uso de produtos naturais reduz a emissão de efluentes químicos - corantes sintéticos e produtos auxiliares nocivos - melhorando a qualidade de vida e atendendo a crescente demanda de produtos fabricados de acordo às normas e conceitos de preservação ambiental e responsabilidade social.

DURABILIDADE E CONSERVAÇÃO

Ao trabalhar com tintas naturais surgem dúvidas quanto à sua durabilidade e conservação. Dependendo da aplicação, ela terá comportamentos diferentes.

Com raras exceções, as tintas vegetais são sensíveis à luz e sempre vão perder um pouco da sua cor. São instáveis, por isso se consegue belíssimas cores de flores e frutos que depois ficam amarronzadas. Portanto, as pinturas feitas com tintas vegetais são frágeis e não devem ficar expostas ao sol. Se não forem tomados os cuidados corretos, pode criar fungos na própria pintura.

Já as tintas de terra não desbotam nunca, mesmo sob um sol forte. Também não apresentam problemas de conservação: nunca criam fungos, nem na pintura, nem na tinta.

As tintas vegetais de infusão no álcool também podem ser guardadas por tempo indeterminado. Já as cocções (técnica de cozimento da matéria-prima, até que a água adquira sua cor) e liquidificações (bater em liquidificador com água) devem ser descartadas após o uso ou guardadas em geladeira por mais alguns dias. Podem ainda ser congeladas para uma outra ocasião.

Com os tingimentos e a pintura de tecidos, a experiência mostra que as tintas com álcool desbotam menos na lavagem em relação àquelas feitas apenas com água. Já o barbante recebe melhor a tinta do que o tecido e aceita tintas feitas por cocção. De qualquer forma alguns cuidados dever ser tomados: secar a meada/ tecido à sombra e abrindo para arejar. Lavar depois de alguns dias com sal e sabão neutro (de coco).

PRINCIPAIS FONTES DE EXTRAÇÃO

• Reflorestamentos de eucaliptos, pinus e outros;

• Serrarias, marcenarias e depósitos de madeiras;

• Mercados e feira livre;

• Sítios, chácaras, parques e beiras de estradas;

• Pomares, plantações e hortas;

• Lugares onde se vendem ervas e plantas medicinais;

• Hortos florestais e jardins botânicos;

CARACTERÍSTICAS DAS TINTAS NATURAIS

As sementes do urucum são utilizadas para produzir a cor laranja

A natureza oferece matéria-prima abundante para a produção de tintas. Algumas delas estão em nosso jardim (como as flores e a terra) e acabam passando despercebidas. Ou estão na nossa cozinha: beterraba, repolho roxo, chás variados.

Das plantas são obtidos pigmentos de várias partes: raiz, caule, casca, folhas, flores e frutos.

Os pigmentos das flores são luminosos (claros e coloridos), porém muito instáveis e voláteis. Já os da raiz são mais estáveis e duradouros, apesar de menos luminosos. Os corantes do caule e das folhas encontram-se como intermediários entre esses dois extremos. E os pigmentos minerais (as terras e pedras) são os mais duradouros.

As flores, folhas ou raízes podem ser usadas frescas ou secas. Geralmente quando secas possuem a cor mais concentrada. Daí a seguinte equivalência, descrita por Eber Lopes Ferreira em seu livro "Corantes naturais da flora brasileira":

• 1 kg de flor seca = 3,5 kg de flor fresca

• 1 kg de folha seca = 2,5 kg de folha fresca

• 1 kg de raiz seca = 1,5 kg de raiz fresca

O pó de alimentos desidratados e moídos (beterraba, espinafre e açafrão, por exemplo) também podem ser usados na produção de tintas. E as tintas provenientes dos vegetais são líquidas e transparentes. Já as provenientes dos minérios ou pó de alimentos são densas e opacas.

CURIOSIDADE

O amarelo indiano tinha um processo de extração curioso. Era feito de urina de vacas que haviam se alimentado apenas com folhas de manga, sem beber água. A essa urina juntava-se um pouco de terra, esta mistura era esquentada e seca para então depois ser dividida em torrões que eram vendidos. A técnica foi considerada penosa para os animais e sua produção foi proibida no início do século XX.

Com informações da Arte Raiz

Plantas e suas cores

A seguir segue alguns exemplos de plantas e cores obtidas no processo para tingimento

Alfafa - Medicago sativa

É uma leguminosa perene (renovada constantemente pela natureza), originalmente encontrada na Ásia menor e no Cáucaso. Apresenta uma grande variedade de ecotipos (subtipos adaptados ao clima da região). Foi a primeira espécie forrageira¹ a ser domesticada. Devido a sua boa adaptabilidade aos mais diferentes tipos de clima e solo, tornou-se conhecida e cultivada em quase todas as regiões agrícolas do mundo. Por possuir um elevado valor nutritivo, ser tenra e facilmente absorvida pelos animais, é considerada a "rainha das forrageiras" pelos norte-americanos. Seus brotos são usados como alimento humano devido aos seu alto teor protéico e por ser um alimento de baixa caloria e de agradável sabor. Seu processo de produção é simples, não requer muita mão-de-obra, e pode ser produzido em qualquer região do Brasil, sem a necessidade de chácaras, sitios, rios, poços artesianos, tratores ou qualquer maquinário. Como Corante Natural, resulta em um lindo tom de verde que não se consegue com nenhum outro vegetal.

Brotos

Resultado da cor na seda e na lã

Cafeeiro - Coffeaarabica

Originária da região de Kaffa, Etiópia, foi levada no século XV para a Arábia, desta para o Cairo e introduzida depois em Constantinopla. Em 1615, chegou a Veneza e se tornou popular em 1652 na Inglaterra. No Brasil, chegou em 1723, trazida da Guiana Francesa por um brasileiro chamado Palheta. O cafeeiro é um arbusto ou árvore pequena que chega facilmente a uma altura de 3,5 m. Se conhecem mais de 100 espécies e se colhem sementes que após torradas e moídas, produzem uma bebida estimulante, conhecida como café. O café é largamente cultivado em países tropicais, tanto para consumo próprio como para exportação. O Brasil é o maior exportador mundial de café, seguido pelo Vietnam e a Colômbia. Suas flores são brancas e perfumadas que surgem em grande profusão, o que a torna também uma planta ornamental. Os frutos são ovoides, nascendo verdes, passando a vermelho, depois preto, de acordo com a maturação. No Tingimento Natural, os grãos secos e moídos resultam em belos tons de marrons.

Arbusto

Resultado no algodão

Ipê-roxo - Tabebuia heptaphylla

Em guarani, ipê significa cascudo. Atinge até 30 m de altura, podendo chegar a 90 cm de diâmetro. Ocorre nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil, além de estar presente em algumas regiões da Argentina, Bolívia, Paraguai e Uruguai. A espécie é bastante ornamental pela coloração de rosa e lilás intenso, sendo muito utilizada em praças, jardins públicos e na arborização de ruas, avenidas, estradas e alamedas e também em recomposição de mata ciliar. O ipê-roxo apresenta crescimento lento a moderado. No período que antecede a floração, as folhas caem e surgem no ápice dos ramos magníficas panículas³ com numerosas flores tubulosas, de coloração rósea ou roxa, perfumadas e atrativas para abelhas e pássaros.Na madeira, encontra-se material corante avermelhado. Da casca, são extraídos os ácidos tânicos, sais alcalinos e corante que é usado para tingir algodão e seda.

Árvore

Resultado da cor no algodão e na lã

Tipo de inflorescência que se caracteriza por um cacho composto em que os ramos vão decrescendo da base para o ápice, razão porque assume forma piramidal.

Erva-de-passarinho - Struthauthusvulgaris

É uma planta superior, parasita, que ataca geralmente as plantas lenhosas e as árvores, sugando sua seiva chegando a exterminá-las se não for retirada. Recebeu esse nome porque se espalha com a ajuda de passarinhos que ingerem as sementes e eliminam mais tarde, junto com as fezes. Sua ocorrência se dá por todo o Brasil. A principal importância do conhecimento destas plantas está no prejuízo que causam à fruticultura e às árvores e arbustos ornamentais. Mas a partir de agora, pode ser conhecida pelos lindos tons de cinza que apresenta com seu tingimento natural em lã, seda e algodão.

Parasitando um galho

Resultado da cor no algodão

Catuaba - Eriothecacandolleana

É uma espécie de árvore brasileira, de médio a grande porte, atingindo de 12 a 24 metros de altura, esguia e com copa alta e estreita de rápido crescimento. É ornamental, principalmente pela folhagem delicada, ideal para o paisagismo e arborização de praças e avenidas. Sua madeira é empregada como miolo de portas, painéis, forros e brinquedos. Conhecida pelas propriedades medicinais que os populares atribuem a ela: afrodisíaco, digestivo, diurético, expectorante, estimulante e tonificante. Entretanto, uma das mais preciosas qualidades, está nos belos tons de laranja que tingem a lã, a seda e o algodão.

Árvore

Resultado da cor na lã, algodão e seda

Douradinha-do-campo - Waltheria douradinha Saint

A douradinha é um arbusto perene ² que alcança até 80 cm de altura, com pilosidade cinzenta e aveludada. Apresenta raiz profunda e ocorre na América do Sul (Uruguai, Argentina, Paraguai e sul do Brasil). Suas folhas são facilmente identificadas na mata pela sua coloração verde-amarelada. São ovaladas e grandes, com graciosas flores amarelas e vermelhas. Forma pequenos agrupamentos em solos rochosos e arenosos enxutos. Esta espécie é conhecida na medicina popular como douradinha-do-campo e apresenta características diuréticas. Como Corante Natural, resulta em agradáveis tons de amarelo, conforme o tratamento prévio dos materiais a serem tingidos com as folhas secas.

Folhas e flores

...

Baixar como  txt (22.1 Kb)  
Continuar por mais 12 páginas »