TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Relatório Instalações Residênciais - Circuitos Indutivos, Capacitivos e Resistivos

Por:   •  2/5/2018  •  Relatório de pesquisa  •  1.654 Palavras (7 Páginas)  •  177 Visualizações

Página 1 de 7

[pic 1]

Universidade Federal do Ceará

Curso de Engenharia Elétrica – Campus de Sobral

Disciplina: Instrumentação, Medidas e Instalações Elétricas

Professor: Adson Bezerra Moreira

Prática nº

03

Curso: Engenharia Elétrica

Professor: Adson B. Moreira

Data: 09/04/2018

Francisco Alexsandro S. Freitas

379086

Nota:

José Rodrigues Pimenta Neto

379097

Nota:

  1. Introdução

Há circuitos que contêm apenas resistência, como, por exemplo, lâmpadas incandescentes e aquecedores. Para efeito de estudo, esses componentes são modelados por resistores. Ao se aplicar uma tensão alternada nos terminais de um resistor, a forma de onda da corrente se comporta como a da tensão. Portanto, nesse tipo de circuito, a tensão e a corrente estão em fase.

Em um circuito teórico com indutância pura (sem resistência), ao qual foi aplicada uma tensão alternada senoidal, não haverá corrente até a tensão atingir seu valor máximo. A corrente começa a crescer enquanto a tensão diminui. Quando a tensão se anula, a corrente começa a diminuir, porém estará sempre atrasada de 90° em relação à tensão, devido à oposição que a indutância do circuito faz à variação da corrente. Em um circuito com indutância e resistência, a onda da corrente fica também atrasada em relação à onda de tensão; o ângulo de atraso da corrente é um valor entre zero e 90°, dependendo dos valores da resistência e da indutância do circuito.

A capacitância só afeta circuitos de corrente contínua nos momentos em que são ligados ou desligados e alguma condição faça variar a carga do capacitor. Nos circuitos de corrente alternada, a tensão varia continuamente, daí os efeitos da capacitância serem sentidos durante todo o tempo. A relação de fase entre as ondas de corrente de tensão alternada em um circuito capacitivo puro é exatamente oposta à de um circuito que contém somente indutância. Em um circuito capacitivo puro, a onda de corrente se adianta 90° em relação à onda de tensão. Em um circuito que contém resistência e capacitância, o ângulo de defasagem entre a corrente e a tensão é algum valor entre 0° e 90°, dependendo dos valores da resistência e da capacitância envolvidos.

  1. Objetivo
  • Verificação da operação de cargas do tipo: resistivas, indutivas e capacitivas.
  1. Material utilizado
  • Multímetro;
  • Alicate volt-amperímetro;
  • Voltímetro e amperímetro de painel;
  • Varivolt.
  1. Procedimentos Experimentais
  1. Montou-se um circuito resistivo utilizando o módulo de resistores e o varivolt da bancada (como indicado na Figura 1). Aplicou-se uma tensão na saída do varivolt de forma que o resistor suporte a potência fornecida a ele e que seja possível medir os valores de corrente e tensão (utilizando os instrumentos de medição). A tabela 1 foi preenchida.

Figura 1 – Circuito R

[pic 2]

Fonte: Autor.

Tabela 1 – Valores Nominais e Medidos do circuito R

Tensão de saída

Do Varivolt (V)

Corrente (A)

Resistência (Ω)

Valor Nominal

122,47

0,408

300

Valor Medido

120

0,398

302,7

Fonte: Autor.


  1. Montou-se um circuito L, utilizando o indutor de 300mH/2A do módulo de indutores e o varivolt da bancada (como indicado na Figura 2). Aplicou-se, também, uma tensão na saída do varivolt de forma que fosse possível medir os valores de corrente e tensão (utilizando os instrumentos de medição). Preencheu-se a Tabela 2. OBS.: para as montagens seguintes utilizou-se o mesmo indutor de 300mH.

Figura 2 – Circuito L

[pic 3]

Fonte: Autor.

Tabela 2 – Valores Nominais e Medidos do circuito L

Tensão de saída

Do Varivolt (V)

Corrente (A)

Reatância (Ω)

Valor Nominal

226,4

2,0

113,19

Valor Medido

220

1,6

131,17

Fonte: Autor.


  1. Montou-se um circuito C, utilizando o capacitor de 30μF/250V do módulo de capacitores e o varivolt da bancada (como indicado na Figura 3). Aplicou-se uma tensão na saída do varivolt de forma que fosse possível medir os valores de corrente e tensão (utilizando os instrumentos de medição). Preencheu-se a Tabela 3. OBS.: para as montagens seguintes utilizou-se o mesmo capacitor selecionado.

Figura 3 – Circuito C

[pic 4]

Fonte: roteiro da prática.

Tabela 3 – Valores Nominais e Medidos do circuito C

Tensão de saída

Do Varivolt (V)

Corrente (A)

Reatância (Ω)

Valor Nominal

250

2,83

88,42

Valor Medido

250

2,79

88,79

Fonte: Autor.

Figura 4 – Montagem do Circuito da Figura 3.

[pic 5]

Fonte: Autor.


  1. Monte um circuito RLC série, utilizando os componentes das três montagens anteriores dos módulos e o varivolt da bancada (como indicado na Figura 5). Aplique uma tensão na saída do varivolt de forma que seja possível medir os valores de corrente e tensão (utilizando os instrumentos de medição, multímetro, ou o alicate amperímetro). Preencha a Tabela 4.

Figura 5 – Circuito RLC Série

[pic 6]

Fonte: roteiro da prática.

Tabela 4 – Valores Nominais e Medidos do circuito RLC Série

Tensão de saída

Do Varivolt (V)

Corrente no Circuito (A)

Tensão no Resistor (V)

Tensão no Indutor (V)

Tensão no Capacitor (V)

Valor Nominal

100

0,332

99,6

37,6

29,4

Valor Medido

100

0,325

97

49

30

Fonte: Autor.

Figura 6 – Montagem do Circuito da Figura 5.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (11.7 Kb)   pdf (1.3 Mb)   docx (627.9 Kb)  
Continuar por mais 6 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com