TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

ATPS Etapa 1 : Homeostase, Celulas E Seus Componentes, Sistema De Controle Do Corpo: Sistema Nervoso. Pontencial De Membrana Em Repouso PMR. PONTECIAL DE AÇÃO SINAPSES E CONTRAÇÃO MUSCULAR.

Trabalho Escolar: ATPS Etapa 1 : Homeostase, Celulas E Seus Componentes, Sistema De Controle Do Corpo: Sistema Nervoso. Pontencial De Membrana Em Repouso PMR. PONTECIAL DE AÇÃO SINAPSES E CONTRAÇÃO MUSCULAR.. Pesquise 790.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  10/4/2013  •  2.751 Palavras (12 Páginas)  •  1.829 Visualizações

Página 1 de 12

ATPS Etapa 1 :

Homeostase, celulas e seus componentes, sistema de controle do corpo: sistema nervoso. pontencial de membrana em repouso PMR. PONTECIAL DE AÇÃO SINAPSES E CONTRAÇÃO MUSCULAR.

HOMEOSTASE :

A homeostase pode ser definida como o equilíbrio necessário para a manutenção da vida.

A homeostase é a manutenção dos internos variáveis ambientais (pH, temperatura, concentração de íons, oxigênio, dióxido de carbono, glicose) de forma estática ou constante condições de equilíbrio dinâmico (constante renovação e homogeneização).

conceito da homeostase e abrangente que descreve os maravilhosos processos fisiológicos do corpo humano, responsáveis por manter estável o ambiente interno. Homeostase : É o equilíbrio que os elementos encontram para o estado de harmonia intrínseco, ou seja, "acomodar". Equilíbrio "homeostásico": quando o ponto de equilíbrio dinâmico dos corpos, na Física, torna-se estável, instável e indiferente. Homeostase : processo através do qual um organismo mantém as condições internas constantes necessárias para a vida. Aplica-se ao conjunto de processos que previnem flutuações na fisiologia de um organismo, e denomina também a regulação de variações nos diversos ecossistemas, ou do universo como um todo. Nos organismos vivos, a homeostase significa o consumo de energia necessário para manter uma posição num equilíbrio dinâmico. Isto significa que, embora as condições externas possam estar sujeitas continuamente a variações, os mecanismos homeostáticos asseguram que os efeitos destas mudanças sobre os organismos sejam mínimos. No homem e em outros mamíferos superiores, a homeostase acontece tanto nas células isoladas como nas integradas, nos fluidos corporais, tecidos e órgãos. Existe um intercâmbio constante de moléculas entre o sangue e o líquido extracelular que banha cada célula. É a composição estável do sangue que torna possível a manutenção da invariabilidade do líquido extracelular. Já a composição constante deste líquido protege cada célula das mudanças que acontecem no meio externo.

Homeostase

A homeostase é um conceito abrangente que descreve os maravilhosos processos fisiológicos do corpo humano, responsáveis por manter estável o ambiente interno.

Homeostase: É o equilíbrio que os elementos encontram para o estado de harmonia intrínseco, ou seja, "acomodar".

Equilíbrio "homeostásico": quando o ponto de equilíbrio dinâmico dos corpos, na Física, torna-se estável, instável e indiferente.

Homeostase: processo através do qual um organismo mantém as condições internas constantes necessárias para a vida. Aplica-se ao conjunto de processos que previnem flutuações na fisiologia de um organismo, e denomina também a regulação de variações nos diversos ecossistemas, ou do universo como um todo.

Nos organismos vivos, a homeostase significa o consumo de energia necessário para manter uma posição num equilíbrio dinâmico. Isto significa que, embora as condições externas possam estar sujeitas continuamente a variações, os mecanismos homeostáticos asseguram que os efeitos destas mudanças sobre os organismos sejam mínimos. No homem e em outros mamíferos superiores, a homeostase acontece tanto nas células isoladas como nas integradas, nos fluidos corporais, tecidos e órgãos. Existe um intercâmbio constante de moléculas entre o sangue e o líquido extracelular que banha cada célula. É a composição estável do sangue que torna possível a manutenção da invariabilidade do líquido extracelular. Já a composição constante deste líquido protege cada célula das mudanças que acontecem no meio externo.

O aparelho circulatório é vital para a conservação da homeostase. Ele proporciona metabólitos aos tecidos e elimina os produtos não-utilizados e também participa na regulação da temperatura e no sistema imunológico. Mesmo assim, os níveis de substâncias no sangue estão sob o controle de outros órgãos: o aparelho respiratório (pulmões) e o sistema nervoso regulam o nível de dióxido de carbono; o fígado e o pâncreas controlam a produção, o consumo e as reservas de glicose; os rins são responsáveis pela concentração de hidrogênio, sódio, potássio e íons fosfato. As glândulas endócrinas, por sua vez, controlam os níveis de hormônios no sangue. O hipotálamo recebe informações do cérebro, dos sistemas nervoso e endócrino e a integração de todos estes sinais torna possível o controle da termorregulação, o equilíbrio de energia e a regulação dos fluidos corporais, influindo no comportamento (por exemplo, o hipotálamo é responsável pela sensação de fome), exteriorizando as sensações através dos sistemas endócrino e nervoso.

HOMEOSTASE

O nosso organismo tem a capacidade de manter suas funções constantes dentro de certos limites, chamada de homeostase.

Esse termo foi proposto por Cannon (1939) e pode ser hoje discutido no nível da fisiologia celular, dos indivíduos e até das populações. Aliás, o famoso fisiologista Claude Bernard já salientava que a constância do meio interno é a condição básica para a vida.

A capacidade de homeostase depende de feedback ou retroalimentação. O aumento ou a diminuição de uma determinada função provoca uma alteração (física ou química) no organismo; essa alteração desencadeia uma reação para a correção funcional, garantindo o equilíbrio dinâmico dessa função. Podemos entender melhor com um exemplo, o da regulação do ritmo respiratório:

1. Aumento da concentração de CO2 presente no sangue que passa pelo bulbo, no encéfalo.

2. Ativação de centro respiratório, que manda estímulos para o diafragma.

3. Aumento do ritmo de contrações do diafragma, aumentando o ritmo respiratório.

Conseqüência: diminuição da concentração do CO2 no sangue, inibindo o centro respiratório e conseqüentemente reduzindo o ritmo respiratório.

A PROTEÇÃO PELO SISTEMA TEGUMENTAR

Pode causar estranheza a afirmação de que a pele é o nosso maior órgão e que nem sempre percebemos o quanto ela é importante para a nossa proteção e adaptação ao meio. A camada córnea da pele, resistente

...

Baixar como (para membros premium)  txt (19.3 Kb)  
Continuar por mais 11 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com