TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Tipos De Fornos Inducao

Monografias: Tipos De Fornos Inducao. Pesquise 861.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  22/2/2015  •  645 Palavras (3 Páginas)  •  910 Visualizações

Página 1 de 3

Fornos de Fundição

Os processos de fundição dos metais consistem principalmente em aquecer os metais, fundindo-os e preenchendo moldes preparados com este metal líquido.A fusão do metal é feita em fornos apropriados, esses fornos produzem calor por meio de combustão ( sólido, líquido ou gasoso)ou energia elétrica( arco resistência ou indução).

Fornos Cubilô • é um forno usado para o ferro fundido, e sua produção de calor é por combustão sólida, o coque.

é o forno do processo de fundição mais econômico, a maioria do ferro cinzento é derretida por este método. As principais vantagens do forno cubilô é o uso de matérias-primas de baixo custo e a grande quantidade de ferro fundido que se pode obter.

É utilizado na maioria das fundições de ferro, é um forno de cuba vertical que consiste essencialmente em um cilindro de placas de ferro, revestido em seu interior com ladrilhos refratários, que é sustentado por apoios ou colunas.

A parte interior do cubilô, em que se deposita o ferro fundido, denomina-se crisol. Esta parte é fechada pela chamada placa de fundo,em forma de plano inclinado, que se comunica com o exterior através de um furo, chamado alvado, destinado à extração do ferro fundido, o qual se prolonga em uma canaleta de ferro revestida de refratários pela qual se conduz o ferro líquido às colheres de colada. A placa de fundo é desmontável para permitir o fácil acesso ao interior do forno para reparos. A uma certa altura sobre o nível da placa de fundo do crisol existe uma caixa anular de ferro disposta ao redor do cubilô, denominada caixa de vento, que serve para alimentar o cubilô com o ar necessário para a combustão do carvão.

Esta caixa se comunica por meio de tubos de chapa de ferro com o ventilador e o ar sob pressão entra no interior do cubilô através de furos, chamados canais, abertos ao longo da parede interna da caixa de vento e dispostos a distâncias de 40 a 60cm. Estes orifícios são de seção quadrada, circular ou retangular e são colocados registros para poder controlar a entrada de ar.

Funcionamento do cubilô

Para acionar o forno, procede-se a um aquecimento preliminar, gradual, queimando

lenha no crisol. Este aquecimento prévio tem por objetivo eliminar a umidade evitando com isto a deterioração do revestimento refratário.

Em seguida carrega-se de coque, que deve formar uma capa que atinja o nível de 1 metro, aproximadamente, acima dos canais de ventilação. O coque a ser utilizado deve ser duro, denso e resistente, a fim de que não possa reduzir-se a fragmentos pequenos com o que se queimaria rapidamente impedindo assim o aproveitamento integral de seu poder calorífico.

Uma vez quente o forno, começa-se a carregar o ferro, dispondo-o em capas alternadas com outras de coque e fundentes, que tem por objetivo a formação de escórias fluídas e facilmente fusíveis, que arrastem as procedentes do carvão.

O coque se queima com o ar projetado pelo ventilador, iniciando-se então o processo de fundição do ferro, que cai em forma de gotas no fundo do crisol.

lenha no crisol. Este aquecimento prévio tem por objetivo eliminar a umidade

...

Baixar como (para membros premium)  txt (3.9 Kb)  
Continuar por mais 2 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com