TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Elaboração Do Balanço Patrimonial E A Demonstração Do Resultado Do Exercício Da Empresa Fictícia INOVAÇÃO & DESAFIO COM. Ltda

Trabalho Escolar: Elaboração Do Balanço Patrimonial E A Demonstração Do Resultado Do Exercício Da Empresa Fictícia INOVAÇÃO & DESAFIO COM. Ltda. Pesquise 807.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  13/4/2013  •  2.467 Palavras (10 Páginas)  •  11.201 Visualizações

Página 1 de 10

UNIVERSIDADE ANHANGUERA – UNIDERP

PÓLO DE APOIO PRESENCIAL LAVRAS

RUA José dos Reis Vilela, 39, Centro – Lavras – MG

(35) 3821-3051 / 9913-4069

PEDAGOGIA

PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO

ANA LÚCIA MARTINS DE BARROS – RA – 372313

BERNADETE APARECIDA DA SILVA – RA – 372297

JANAÍNA DANIELLI APARECIDA DE SOUSA MARQUES – RA - 355179

ATPS: PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO

PROFESSORA: Ma. HELENROSE A. da S. PEDROSO COELHO

LAVRAS

2012

INTRODUÇÃO

A educação, de uma forma geral, é um tema que merece uma grande atenção por parte de todos, uma vez que ela exerce um papel fundamental para a construção da identidade do indivíduo.

Sendo assim, apreende-se que ela não pode e realmente não é construída apenas nos estabelecimentos de ensino, ou seja, nas escolas e similares, indo muito mais além disso.

Vários teóricos contribuíram para que a Psicologia da Educação fosse sendo ampliada e ocupasse o lugar de destaque que ocupa hoje, tais como: Sigmund Freud, Jean Piaget, Henri Wallon e Lev Vigotski.

O objetivo do presente trabalho é descrever sobre esses teóricos, ressaltando a importância dos mesmos no contexto do processo educativo.

TEÓRICOS DA PSICOLOGIA QUE CONTRIBUÍRAM COM A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO EM GERAL

A contribuição dos teóricos da psicologia à história da educação foi um elemento essencial para que a mesma se desenvolvesse e alcançasse o lugar de destaque que apresenta na atualidade.

As idéias defendidas por eles fizeram com que a educação pudesse, de fato, se tornar um elemento importante, melhor dizendo, imprescindível para o desenvolvimento da própria sociedade.

* Sigmund Freud

Nascido no ano de 1856 em Freiberg, na Morávia, Sigmund Freud é considerado o pai da psicanálise. Estudou medicina na Universidade de Viena e desde cedo se especializou em neurologia. Seus estudos foram os pioneiros acerca do inconsciente humano e suas motivações. Ele, durante muito tempo (de fins do século passado até início do nosso século), trabalhou na elaboração da psicanálise.

Da antropologia à teoria literária, da filosofia à ciência política, poucas áreas do pensamento humano escaparam à influência do médico austríaco Sigmund Freud (1856-1939).

Assim, também não poderia ser diferente com a questão da educação.

Freud iniciou suas pesquisas pela observação da histeria em mulheres, mas aos poucos as mesmas foram se deslocando para a psicologia infantil.

Um dos motivos da ampla influência da psicanálise é que seu autor a desenvolveu em duas vertentes:

* no estudo do psiquismo (o conjunto de processos mentais conscientes e inconscientes) * e no do método terapêutico.

Apreende-se, daí, que ao mesmo tempo que abre caminho para um profundo conhecimento do ser humano, a psicanálise tem noção dos limites e das dificuldades de sua aplicação como cura ou solução.

As maiores contribuições de Freud nessa área estão no conhecimento do desenvolvimento sexual da criança e no papel da linguagem.

Pelo menos em duas ocasiões, Freud escreveu que Educação, política e psicanálise são atividades "impossíveis", pois as três lidam com a palavra. "Mas isso não quer dizer que não há como exercê-las. Temos de ter em mente que, quando a linguagem é o instrumento, o resultado profissional nunca é exatamente o pretendido", explica De Lajonquière.

Há pelo menos uma observação feita por Freud aos pais que vale para os educadores: "Nós nos preocupamos demais com os sintomas e muito pouco com o lugar do qual provêm. E quando criamos os filhos queremos simplesmente ser deixados em paz, queremos uma 'criança modelo' sem nos perguntarmos se isso é bom ou ruim para ela".

Freud sempre achou que existia um certo conflito entre os impulsos humanos e as regras que regem a sociedade. Muitas vezes, impulsos irracionais determinam nossos pensamentos, nossas ações e até mesmo nossos sonhos. Estes impulsos são capazes de trazer à tona necessidades básicas do ser humano que foram reprimidas, como por exemplo, o instinto sexual. Freud vai mostrar que estas necessidades vêm à tona disfarçadas de várias maneiras, e nós muitas vezes nem vamos ter consciência desses desejos, de tão reprimidos que estão.

Sigmund Freud contribuiu com a ciência do século XIX, com a psicanálise. Ou seja, área de conhecimento que abrangia o estudo do inconsciente humano, a fim de entender as doenças mentais e futuramente até o próprio homem.

Entende-se, portanto, que a contribuição de Freud foi de fundamental importância para o campo científico, haja vista que, agora a mente humana se tornou alvo de estudos e principalmente, graças às conclusões freudianas, o entendimento do funcionamento biológico dos seres humanos ficou mais completo, devido a não separação entre o corpo e a mente.

* Jean Piaget

Jean Piaget (1896-1980) foi o nome mais influente no campo da educação durante a segunda metade do século 20, a ponto de quase se tornar sinônimo de pedagogia.

Entretanto, segundo ele mesmo, não há um método Piaget e ele nunca atuou como pedagogo.

Ele foi biólogo e durante toda a sua vida se submeteu à observação científica rigorosa do processo de aquisição do conhecimento pelo ser humano, em especial a criança.

Do estudo das concepções infantis de tempo, espaço, causalidade física, movimento e velocidade, Piaget criou, então, um campo de investigação – denominado epistemologia genética – que

...

Baixar como (para membros premium)  txt (16.8 Kb)  
Continuar por mais 9 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com