TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Linguagem Oral X Linguagem Escrita

Por:   •  10/2/2015  •  1.152 Palavras (5 Páginas)  •  517 Visualizações

Página 1 de 5

A linguagem se desenvolve à medida que o indivíduo é estimulado pelo meio e também de acordo com suas capacidades neurológicas, emocionais e físicas. Para que ocorra um desenvolvimento adequado da fala e da linguagem muitos fatores estão envolvidos desde o nascimento do bebê. Os dois primeiros anos são o período ideal para a aquisição da fala e da linguagem. O terceiro ano de vida tem uma grande importância no desenvolvimento do cérebro humano, ocorrendo, segundo Fenson ET AL (1994) um rápido aumento na compreensão e da expressão verificado no vocabulário que se caracteriza pelo nome dos objetos e das pessoas com as quais interage.

Segundo Freire (2002) a atividade interativa da mãe é fundamental para a construção da linguagem e para a construção da criança. Os primeiros sons (balbucios) vão se evoluindo por meio de um jogo de imitação, de repetições, de reforço, de correções, em que o adulto vai modelando o repertório fonético da criança. Limongi (2003) diz que para que ocorra um bom desenvolvimento comunicativo deve-se estimular o diálogo entre criança e adulto. Halliday (1975) relata que ao se aproximar dos 18 meses, as crianças adquirem um comportamento interrogativo. Este comportamento marca um importante passo no desenvolvimento linguístico, obtendo assim, novas informações sobre o mundo que a cerca.

Outro fator de extrema importância para o desenvolvimento da linguagem é a alimentação. Nos primeiros meses, o bebê apresenta uma postura das estruturas orofaríngeas que favorecem a alimentação e a respiração. Sua mandíbula é pequena e retraída, os lábios encontram-se entreabertos e a língua é apoiada sobre as gengivas em uma posição anteriorizada e rebaixada. Para que o bebê tenha um crescimento craniofacial adequado e uma musculatura orofacial igualmente adequada à produção da fala, recomenda-se uma amamentação materna seguida de uma alimentação com texturas e consistências compatíveis com as diferentes fases do crescimento e também a não existência de hábitos de sucção de dedo ou chupeta além dos dois anos.

O desenvolvimento normal da linguagem oral garante um bom desempenho na aquisição da linguagem escrita. Contudo, além de bom desenvolvimento da linguagem oral, a leitura e a escrita, dependem do amadurecimento de vários outros fatores tais como: coordenação visual-motora, coordenação auditivo-motora, memória visual, memória auditiva, atenção dirigida, organização espacial, organização temporal, consciência corporal.

Ela pode ser manifestada de três formas: a cópia, que requer adequada destreza grafo-motora, perceptiva e uma memória visual suficiente; ditado que requer boa memória auditiva, interiorização prévia dos grafemas (letras) e capacidade de sequenciar os estímulos auditivos; e a escrita espontânea processo esse de maior complexidade, pois exige boa linguagem interior da criança e exige que a criança já esteja um pouco mais adiantada do que as formas anteriores. Contudo, nos deparamos com algumas crianças que “demoram” a falar e/ou enfrentam dificuldades no aprendizado da leitura e escrita. Vejamos:

Atrasos de aquisição de linguagem oral

Os atrasos de linguagem correspondem a dificuldades para o uso da comunicação verbal. Na sua grande maioria, as crianças começam a desenvolver a linguagem verbal entre um e dois anos de idade. Porém, algumas crianças, apesar de já estarem por volta desta idade, ou mesmo ultrapassado, ainda não adquiriram a linguagem oral ou estão apresentando um desenvolvimento muito lento. Segundo Capovilla (1997), atraso de linguagem é o problema de desenvolvimento mais comum em pré-escolares e pode se correlacionar com distúrbios posteriores de aprendizagem. Entre outras provas, é identificada via avaliação do número de palavras faladas e compreendidas, já que aos dois anos o vocabulário expressivo mínimo é de 50 palavras com combinações de 2-3 palavras. Segundo a autora, metade das crianças com atraso de fala aos 24-30 meses pode apresentar atraso severo entre 3-4 anos. Os atrasos de linguagem podem acarretar dificuldades em toda a vida do sujeito, pois a aquisição de linguagem acontece como uma continuidade durante todo o desenvolvimento.

Alguns atrasos de aquisição de linguagem fazem parte de distúrbios mais globais de desenvolvimento que podem se manifestar desde muito cedo na vida do bebê, como no caso de algumas síndromes ou distúrbios neurológicos.

Distúrbio da Leitura e da Escrita

“A leitura envolve processos de percepção (tanto visuais quanto auditivos), processos cognitivos, motivação e significação. Os educadores precisam compreender todos esses processos nas suas relações complexas para que aprender a ler seja compreendido”. (WADSWORTH, 1984)

Segundo Calafange

...

Baixar como (para membros premium)  txt (8 Kb)  
Continuar por mais 4 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com