TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

REPRESENTAÇÃO SOCIAL DO USO DO CRACK EM NOSSA SOCIEDADE, COMO A POPULAÇÃO COMPREENDE ESTE PROBLEMA

Tese: REPRESENTAÇÃO SOCIAL DO USO DO CRACK EM NOSSA SOCIEDADE, COMO A POPULAÇÃO COMPREENDE ESTE PROBLEMA. Pesquise 791.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  1/10/2013  •  Tese  •  1.292 Palavras (6 Páginas)  •  299 Visualizações

Página 1 de 6

INTRODUÇÃO

O crack é uma droga relativamente nova, e já possui atributos significativos para ser um dos males do século XXI. Derivado da cocaína, mais barato e de fácil acesso, a popularidade alcançada por esta substância psicoativa passou das ruas, para o conhecimento público através das notícias vinculadas nos meios de comunicação e recentemente atingiu o status de epidemia. Contendo até 75% de cocaína pura, o crack é considerado a forma de cocaína com maior capacidade de causar consumo compulsivo e dependência.

A busca por menor pureza da cocaína com maior potência de ação, visando a redução dos custos e o aumento do lucro, potencializou o consumo do crack, que produz efeitos em segundos com pico de ação em ate 5 minutos e tempo de ação de 15 a 30 minutos. Recentemente o consumo de crack passou a ser tratado em discursos midiáticos com o título de epidemia, segundo o escritório das Nações Unidas- UNODC, representando a idéia de sua extensão como problemática para diferentes esferas do contexto social.

O crack emergiu no Brasil no início dos anos de 1990 e já é considerada a droga mais consumida no país, especialmente no estado de São Paulo .

REPRESENTAÇÃO SOCIAL DO USO DO CRACK EM NOSSA SOCIEDADE, COMO A POPULAÇÃO COMPREENDE ESTE PROBLEMA

Ao falar sobre drogas hoje, o país expressa uma das maiores preocupações.

O medo é justificável a disseminação do comércio e do consumo do crack na sociedade é um fenômeno incontestável, atingindo tanto a população urbana quanto a rural ,indistintamente, envolvendo homens e mulheres, jovens e adultos, pobres e ricos.

“O crack está por trás da maioria das pessoas que procuram os centros de atendimento aos usuários de drogas. No âmbito particular, onde tratamento de seis meses custa 8000, “estudantes de faculdades particulares, advogados, publicitários e até médicos são as novas vítimas dessa substância”, afirma o médico Luiz Alberto Chaves de Oliveira, presidente do Conselho de Drogas e Álcool de São Paulo.” (VEJA, edição 2087)

O uso ilícito de drogas, principalmente o crack, nos últimos anos tem aumentado num ritmo alarmante e tem ultrapassado todas as fronteiras sociais, econômicas, políticas e nacionais. Esse aumento pode ser atribuído a vários fatores, dentre eles: a falta de informação sobre os perigos a longa e curto prazo do consumo abusivo das drogas ilícitas, assim como o caráter limitado das ações preventivas. A pouca efetividade nas estratégias governamentais, que garantam uma verdadeira intervenção na prevenção e no combate ao uso de drogas, faz com que “Cracolandias” surjam e se espalhem pela cidade de forma gritante e preocupante. Sabemos que para enfrentarmos a epidemia do crack, não bastam apenas operações militares mirabolantes. Há que se ter um processo que permita a saída destas pessoas – debilitadas e dependentes químicas – das ruas, de modo a possibilitar que elas tenham condições de acesso à rede de serviços de saúde, assistência social, moradia, trabalho e renda. Assim, o desafio maior é tirar o lugar que o crack ocupa hoje em nossas casas e em nossas famílias, além de cuidarmos de seus usuários com respeito e responsabilidade, de forma real e efetiva.

Considerando a drogadização uma das expressões da questão social e sendo a questão social objeto de trabalho do serviço social, como o trabalho do assistente social pode contribuir para o atendimento á população buscando articular a causa e ou razões desse fenômeno á partir de uma leitura crítica da realidade social.

O uso do crack: um problema social restrito as metrópoles

Qual a representação social do uso do crack em nossa sociedade,ou seja,como a população compreende este problema?

Ao falar sobre drogas hoje, o país expressa uma das maiores preocupações.

O medo é justificável a disseminação do comércio e do consumo do crack na sociedade é um fenômeno incontestável, atingindo tanto a população urbana quanto a rural ,indistintamente,envolvendo homens e mulheres,jovens e adultos,pobres e ricos.

O crack, substância derivada da mistura da pasta base da cocaína com diversos produtos químicos é, atualmente, a droga que mais perturba a sociedade brasileira, devido aos danos causados aos dependentes e aos seus familiares. Lamentavelmente, o que se pode perceber é que na geografia da droga, o que era conhecido apenas por usuários das grandes cidades vem se espalhando pelo interior do país (NARLOCH, Leandro. 2008).

O uso ilícito de drogas, principalmente o CRACK, nos últimos anos tem aumentado num ritmo alarmante e tem ultrapassado todas as fronteiras sociais, econômicas, políticas e nacionais. Esse aumento pode ser atribuído a vários fatores, dentre eles: a falta de informação sobre os perigos a longo e curto prazo do consumo abusivo das drogas ilícitas,

...

Baixar como (para membros premium)  txt (8.3 Kb)  
Continuar por mais 5 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com