TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Seriais Nero

Por:   •  17/6/2013  •  505 Palavras (3 Páginas)  •  325 Visualizações

Página 1 de 3

JOHN LOCKE E O INDIVIDUALISMO LIBERAL

As Revoluções Inglesas

Durante o séc. XVII, após a consolidação de seu Estado Nacional ao longo dos anos de 1.500, a Inglaterra passou por um período bastante conturbado, marcado pelo antagonismo entre a Coroa e o Parlamento, controlados, respectivamente, pela Dinastia Stuart, defensora do Absolutismo, e a burguesia ascendente, partidária do Liberalismo. Além das questões políticas, sociais e econômicas, os conflitos envolveram questões religiosas com lutas sectárias entre católicos, anglicanos, presbiterianos e puritanos.

Em 1640, o confronto entre o Rei Carlos I e o Parlamento envolveu a Inglaterra em uma sangrenta guerra civil, que só terminou em 1649 com a vitória do Parlamento onde culminou a execução do Rei Carlos I e a implantação da república na Inglaterra, denominando assim esses fatos como a Revolução Puritana.

Após sucessivos conflitos, no ano de 1660, logo após a queda da República Puritana, a dinastia Stuart retorna ao trono britânico, através de Carlos II e mais tarde Jaime II, que além de tentar fortalecer o Absolutismo, tentou restaurar o catolicismo na Inglaterra. Contra essa postura do rei ocorreu a segunda e mais importante, Revolução Inglesa no séc. XVII, onde Jaime II foi derrubado do trono e o Parlamento escolheu o seu genro, o holandês Guilherme de Orange para ser o novo rei, esse processo ficou conhecido como a Revolução Gloriosa, porque não houve o derramamento de sangue. Só que para o Guilherme de Orange fosse proclamado rei, ele foi obrigado a assinar a Declaração de Direitos (Bill of Rights), elaborada pelo Parlamento, documento baseado nas idéias de John Locke, onde obrigava que qualquer elevação na carga tributária deveria ser aprovada pelo Parlamento, garantia a Liberdade Individual, de imprensa e a propriedade privada. Além disso, estabeleceu a tolerância religiosa para todos os credos, menos para os católicos.

John Locke, o individualista liberal

John Locke nasceu em 1632 na cidade de Bristol. Em 1652, foi estudar em Oxford, formando-se em medicina e tornando-se posteriormente professor daquela Universidade. Em 1666, foi requisitado como médico e conselheiro do lorde Shaftesbury, destacado político liberal, onde o mesmo foi mentor político de Locke, exercendo grande influência em sua formação liberal. Acusado de conspirar contra o rei Carlos II, Shaftesbury foi obrigado a exilar-se na Holanda e com isso, John Locke teve que fazer o mesmo.

Locke que, como opositor dos Stuart, se encontrava refugiado na Holanda, retornou à Inglaterra após o triunfo da Revolução Gloriosa. Em 1689-90, publicou suas principais obras: Cartas sobre a tolerância, Ensaio sobre o entendimento humano e os Dois tratados sobre o governo civil.

Além de defensor da

...

Baixar como (para membros premium)  txt (3.4 Kb)  
Continuar por mais 2 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com