TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Análise Dom Casmurro

Por:   •  14/4/2019  •  Artigo  •  2.217 Palavras (9 Páginas)  •  21 Visualizações

Página 1 de 9

[pic 1]

Ana Tereza de Menezes n°03

Bianca Augusto n°07

Izabela Coelho n°25

Lais Souza n°27

Tainá Silva n°41

AS ENTRELINHAS DE DOM CASMURRO

Florianópolis

2017

Ana Tereza de Menezes n°03

Bianca Augusto n°07

Izabela Coelho n°25

Lais Souza n°27

Tainá Silva n°41

AS ENTRELINHAS DE DOM CASMURRO

Trabalho apresentado para as matérias de Literatura e Produção textual do segundo ano do segundo grau do Colégio Catarinense, como requisito parcial para a aprovação das disciplinas.

Orientadora: Lenita Zambra e Indianara Machado

Florianópolis

2017

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO        4

2 MACHADO DE ASSIS COMO ESCRITOR        5

3 ABORDAGEM DOS TEMAS        6

3.1 TRAIÇÃO DE CAPITU        6

3.1.1 A TRAIÇÃO É FRUTO DA IMAGINAÇÃO        7

3.2 A ESTRUTURA FAMILIAR DE “DOM CASMURRO”        8

4 CONSIDERAÇÃO FINAL        10

REFERÊNCIAS        11

 


1 INTRODUÇÃO

O livro Dom Casmurro, de Machado de Assis, aborda assuntos sobre a obra estudada, como a traição de Capitu e sua estruturar familiar. A história foi escrita na transição do século XIX e XX na época denominada Realismo.

“D. Casmurro” conta a história de Bento Santiago (Bentinho) e Capitolina (Capitu), história narrada por Bento Santiago, onde tem suposições de uma suposta traição de sua esposa, onde tudo começa no enterro de seu amigo Escobar. Pensando até mesmo que seu filho Ezequiel, está crescendo e ficando idêntico a Escobar. Logo após, Capitu, da qual se separa e Bento manda Capitolina e Ezequiel para a Suíça, sem contar do seu divórcio. Por fim Capitu morre e depois de algum tempo Ezequiel também, trazendo de um certo modo um alívio a Bento.

Bento nasceu em uma família de posses, sendo filho de um deputado do Rio de Janeiro. Logo após com o falecimento do seu pai, Pedro de Albuquerque Santiago, sofre algumas mudanças em sua estrutura familiar. Já a família de Capitolina não possuía bens, era composta por seu pai e sua mãe. Por mais que havia essa diferença socioeconômica, existia uma boa relação entre as duas famílias.

O casamento naquela época era visto como um negócio, onde havia um dote por parte da família da noiva, e as idades era distintas, entretanto a união de Bento e Capitolina, pode ser considerada uma exceção, pois desde sua infância já sentiam uma atração mútua.

Como Bento que narra essa história, pode ser tudo fruto apenas de sua imaginação, pois ele é um homem instável e arrasado.

2 MACHADO DE ASSIS COMO ESCRITOR

Machado de Assis nasceu no dia 21 de junho de 1839, filho de Francisco José de Assis, pintor, e de Maria Leopoldina. Sua mãe e irmã faleceram precocemente e então ele foi criado pelo pai e pela madrasta Maria Inês, lavadeira e doceira. Desde muito jovem, sempre foi muito habilidoso e inteligente, logo começou a trabalhar em áreas relacionadas à literatura, estando envolvido com pessoas do meio intelectual e jornalístico, o que influenciou em sua carreira como escritor. Com dezesseis anos teve sua primeira publicação, no jornal Marmota Fluminense, através da poesia “Ela”. Dois anos depois ele foi contratado pelo seu amigo Francisco de Paula Brito para trabalhar revisando e corrigindo textos.

Machado, foi um grande escritor brasileiro, escreveu quase todos os gêneros literários, sendo poeta, romancista, cronista, dramaturgo, jornalista, crítico literário, entre outros.

Casou-se em 1869 com Carolina Xavier de Novaes, que foi quem o incentivou na carreira literária, chegando até a revisar suas obras. Em outubro de 1904 morre sua esposa, como dedicatória a sua amada ele cria o poema “A Carolina”. Após a morte desta,o ilustre escritor perdeu completamente a vontade de viver, falecendo quatro anos depois do falecimento da mesma.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (14 Kb)   pdf (167.6 Kb)   docx (52 Kb)  
Continuar por mais 8 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com