TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

PESQUISA BIBLIOGRAFICA SOBRE OS PRINCIPAIS MOVIMENTOS SOCIAIS NO BRASIL

Por:   •  28/4/2017  •  Trabalho acadêmico  •  1.968 Palavras (8 Páginas)  •  459 Visualizações

Página 1 de 8

1 INTRODUÇÃO

Esse trabalho começa com um breve resumo das matérias estudadas nesse semestre, ao todo foram quatro, e elas são: Políticas Setoriais e Políticas Setoriais Contemporâneas, Instrumentalidade em Serviço Social, Pesquisa Social e Oficina de Formação e Movimentos Sociais.

E adiante, é falado sobre os principais movimentos sociais ocorridos entre 1945 e 1988, e a grande importância que cada um deles tiveram. No começo é falado sobre a constituição de 1946, sobre a campanha “o petróleo é nosso” e o governo da época, manifestações no período do Regime Militar, movimentos dos sem terra, feminismo, o “Diretas já!', e mais alguns detalhes que será importante frisar.

2 DESENVOLVIMENTO

2.1 RESUMO DAS DISCIPLINAS DO SEMESTRE

Nesse semestre a primeira matéria que tivemos foi “Pesquisa Social e Oficina de Formação”, na primeira aula estudamos os tipos de conhecimento, que são: conhecimento impírico, crítico, filosófico, teológico e ciêntifico. Vimos que o ser humano é apto de gerar vários tipos de informações e conhecimentos. Porque ele tem a capacidade de pensar, raciocinar, julgar, avaliar, decidir e agir no mundo. Um tipo de conhecimento não é superior ao outro. Todos eles tem que ser vistos numa concepção de complementaridade, interdisciplinaridade e até de transdisciplinaridade.

Também vimos sobre a pesquisa qualitativa, que é basicamente aquela que busca entender um fenômeno específico em profundidade. Ela trabalha com descrições, comparações e interpretações. E a quantitativa é um método de pesquisa social que utiliza técnicas estatísticas. Estudamos a Pesquisa social, que é uma pesquisa científica na qual se busca desvendar questões que existem na realidade social, investigando o porquê e as consequências de qualquer acontecimento. E Ciências Sociais que são um ramo do conhecimento científico que estuda os aspectos sociais do mundo humano.

A segunda matéria foi “Instrumentalidade em Serviço Social” Nessa matéria falamos sobre a instrumentalidade, que é a capacidade que a profissão vai alcançando na medida em que concretiza objetivos. Sobre a metodologia, que é o estudo dos métodos, que também é considerada uma forma de conduzir a pesquisa. Sobre Técnica, que é a habilidade humana de criar e utilizar instrumentos. E também sobre orientação, entrevista estruturada e não estruturada, visita domiciliar e institucional, estudo social, perícia social, laudo social e parecer social.

A terceira matéria foi “Políticas Setoriais e Políticas Setoriais Contemporâneas” Nela falamos sobre Politicas Sociais, sobre questão social até a década de 20, as primeiras manifestações do Estado na proteção social, economia e politica, o movimento operário no Brasil e revolução de 1930.

Vimos sobre a Era Vargas, e os governos que houve nessa época, que foram: governo provisório, governo constitucional, estado novo e o fim do estado novo. Políticas Sociais de 1945 a 1964, Ditadura Militar, década de 80 e Constituição Federal de 1988. Na terceira aula vimos variadas coisas como: Constituição Federal de 1988, conselhos gestores de politicas sociais, conferêcias, controle social, o assistente social e participação da população, politica de atenção a criança e ao adolescente, doutrina da proteção integral, e estatuto da criança e do adolescente (ECA). Na ultima aula dessa matéria foi a respeito dos idosos, exemplo do que foi estudado: A população idosa, realidade social dos idosos, desafios enfrentados por eles e por quem cuida deles, direitos fundamentais dos idosos e legislação. E a respeito de pessoas com deficiência, a realidade social e integração deles, principais causas de suas deficiência e do plano viver sem limite.

A quarta matéria é “Movimentos Sociais” e na primeira aula trabalhamos com o conceito de movimentos sociais desenvolvido pelas Ciências Sociais, sua perspectiva histórica e atualidade. Na segunda aula foi sobre com a compreensão dos Movimentos Sociais na américa Latina. E na terceira foi noções de mobilização e organização coletiva. Compreendendo os Movimentos Sociais nas questões de classe, gênero e étnico-raciais no capitalismo contemporâneo.

2.2 MOVIMENTOS SOCIAIS NO BRASIL NO PERIODO DE 1945 A 1988

Com a nova constituição, em 1946 ocorreu um crescimento nos movimentos sociais. E entre suas novas regulamentações estavam: igualdade perante a lei, ausência de censura, garantia de sigilo em correspondências, liberdade religiosa, liberdade de associação, extinção da pena de morte e separação dos três poderes. Aconteceu também campanhas para a estatização do petróleo e reforma agrária. Trabalhadores rurais se uniram para denunciar a maneira que eles eram tratados, a exploração pelo qual passavam e a estrutura da propriedade rural no Brasil.

A campanha que ficou conhecida como “O Petróleo é nosso” começou em 1948 e durou até 1953. Todos se uniram desde os estudantes até os militares, pelo controle nacional sobre o petróleo. A campanha saiu vitoriosa, através da lei nº 2.004 promulgada em 3 de outubro de 1953, definiu-se que a Petróleo Brasileiro S.A. (Petrobras) que instituiu o monopólio estatal da exploração, do refino e do transporte.

Em 3 de outubro de 1955, Juscelino Kubitschek se elegeu como presidente com 35,6% dos votos. A oposição tentou anular a eleição alegando que JK não teria a maioria dos votos. Então o general Henrique Lott criou um movimento militar, e JK e Jango tomaram posse em 31 de janeiro de 1956. Enquanto presidente, ele foi o responsável pela construção de Brasília, que era a nova capital federal. Ao longo de seu mandato, o Brasil viveu um período de grande desenvolvimento econômico e relativa estabilidade política. Porém, ocorreu também um crescimento da dívida pública externa e interna. Nessa época, não existia reeleição e em 31 de janeiro de 1961 foi sucedido por Jânio Quadros, seu opositor. Jânio Quadros renunciou no mesmo ano de sua posse e quem o substituiu automaticamente foi o vice-presidente João Goulart, segundo a Constituição vigente à época, promulgada em 1946. Sob o argumento das supostas tendências comunistas de Jango, acontece o golpe militar de 1964, que depõe Goulart e inicia então a ditadura militar que acabaria em 1985, durando 21 anos.

Com o golpe de 64, as manifestações persistiam contra o poder do regime militar. Com o Ato Institucional número 5 que foi considerado o mais duro golpe na democracia, dando poderes ao regime. As determinações mais importantes do AI-5 foram: Concedia poder ao presidente da República

...

Baixar como (para membros premium)  txt (13.1 Kb)   pdf (60.9 Kb)   docx (16.9 Kb)  
Continuar por mais 7 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com