TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

A SÍNDROME METABÓLICA

Por:   •  8/12/2016  •  Trabalho acadêmico  •  705 Palavras (3 Páginas)  •  36 Visualizações

Página 1 de 3

FUNDAÇÃO UNIVERIDADE FEDERAL DO TOCANTINS

CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE PALMAS

CURSO DE NUTRIÇÃO

TURMA B

ÍCARO LAUDES DE CARVALHO ALVES

SÍNDROME METABÓLICA


INTRODUÇÃO

        É descrito no artigo a síndrome metabólica, como é a sua formação, os critérios que são usados para diagnosticar tal síndrome e quais os métodos, além de descrever medicações e tratamentos.


OBJETIVO

        Os autores do artigo procuram explicar o que é a síndrome metabólica, comentam sobre as consequências que ela causa no corpo humano e dão exemplos de como tratá-la.


        Os fatores de risco da síndrome metabólica, que tem como características a coexistência variável da obesidade, a hiperinsulinemia, a displidemia e a hipertensão, foram reconhecidos primeiramente em 1983 e quando Raven identificou a resistência da insulina ele introduziu o termo síndrome x, porém, em 1998 a OMS estabeleceu unicamente o termo síndrome metabólica pois estudos não apontaram que o único fator causador era a resistência à insulina, ela é multifatorial, ou seja, um conjunto de fatores, sendo eles: o sedentarismo, a dieta e a genética.

        Para identificar a síndrome, segundo a NCEP-ATP III, são usados cinco fatores: a circunferência abdominal, os triglicérides, o colesterol de lipoproteína de alta densidade, a pressão arterial e a glicemia de jejum, tendo três desses fatores, há o diagnóstico da síndrome. A International Diabetes Formation propôs mudança dos fatores, ela propôs reduzir os valores de corte, consequentemente aumentando o diagnóstico.

FISIOPATOLOGIA DA DISPLIDEMIA DA SÍNDROME METABÓLICA

        A principal alteração da síndrome metabólica, chamada displidemia, se caracteriza pelo aumento dos ácidos graxos livres circulantes, pela elevação dos triglicérides, redução dos valores de HDL-colesterol e aumento das concentrações de apo B.

        Os adipócitos hipertrofiados são causados pela obesidade abdominal, o tecido adiposo é considerado um órgão endócrino e secreta adipocitocinas, e elas, na obesidade abdominal, estão com concentração aumentada e tem relação à resistência da insulina. Há algumas alterações, e essas alterações aumentam a quantidade de ácido graxo no fígado.

EVIDÊNCIAS EPIDEMIOLÓGICAS DO RISCO CARDIOVASCULAR E DE DIABETES MELITO TIPO II NA SÍNDROME METABÓLICA

        A diabetes melito tipo II e a doença cardiovascular foram associadas com a síndrome metabólica (o aumento de risco). Segundo estudos, há relação entre a resistência à insulina e a doença coronariana. E após 7 anos de seguimento,o ensaio clínico San Antônio demonstrou a relação da resistência à insulina com a diabetes melito tipo II.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (4.6 Kb)  
Continuar por mais 2 páginas »