TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Doença periodontal e dermatites

Por:   •  12/12/2016  •  Artigo  •  6.313 Palavras (26 Páginas)  •  137 Visualizações

Página 1 de 26

PRINCIPAIS MANIFESTAÇÕES BUCAIS DAS

DOpENÇAS DERMATOLÓGICAS

REVISÃO DE LITERATURA

PRINCIPAIS MANIFESTAÇÕES BUCAIS DE DOENÇAS DERMATOLÓGICAS

INTRODUÇÃO

O estudo das doenças dermatológicas constitui, na atualidade, uma área de grande interesse científico odontológico, tendo em vista que a mucosa bucal é sede freqüente das manifestações clínicas dessas doenças, as quais representam muitas vezes sinais

prodrômicos ou co-existem com a enfermidade.Tanto a pele quanto a mucosa bucal são estruturas queratinizadas, fato que explica, em parte, o elo entre a patofisiologia de ambas. O diagnóstico das manifestações bucais secundárias às doenças dermatológicas constitui um grande desafio ao cirurgião-dentista, tendo em vista a semelhança clínica e a diversidade de formas de apresentação das mesmas.

Inúmeras são as dermatoses, descritas na literatura, que acometem a mucosa bucal. A classificação das mesmas também é vasta. Podem estar no grupo de lesões vésico-bolhosas, sistêmicas, brancas ou auto-imunes. Por esse motivo, no presente trabalho, nos propusemos a discutir as manifestações bucais das doenças dermatológicas mais comuns, visando despertar o cirurgião dentista para a necessidade de estabelecer um

diagnóstico precoce e preciso, buscando melhorar a qualidade de vida dos indivíduos acometidos por estas doenças e reiterando a importância da necessidade de um acompanhamento multidisciplinar.

LÍQUEN PLANO

O líquen plano é uma doença dermatológica crônica, auto-imune que acomete a pele e/ou a mucosa bucal. Segundo Lameira et al. (1999), o nome líquen plano deriva das plantas primitivas que crescem em rochas. Achava-se que as lesões que ocorriam na pele eram similares aos liquens. Doença inflamatória, de etiologia desconhecida, que acomete pele e principalmente mucosas, onde as células basais são destruídas por linfócitos citotóxicos, sendo mais freqüente em mulheres de 40 anos de idade. Apresenta etiologia desconhecida, porém existe relação com estresse emocional, com

curso longo de remissões e exacerbações.  Nos casos tratados, a remissão das lesões

cutâneas é mais rápida do que a das mucosas, podendo estas persistirem ainda

por muito tempo. “Doença mucocutânea mais comum da cavidade oral, apresentando-se como lesões tipo placa, reticulares, brancas, ou como lesões erosivas com

destacada e imediata resposta de linfócitos T no tecido conectivo subjacente” (SAPP et al., 1997). Tommasi (1989) admite ainda que o estado emocional, a tensão nervosa,

diabetes e iatrogenia medicamentosa podem contribuir para o desenvolvimento

da doença. Neville et al. (1998), no entanto, afirmam que a tensão não é fator que

predispõe a doença. Shafer et al. (1985) e Lameira et al. (1999) admitem a associação com estresse, má nutrição e infecção. Sapp et al. (1997) e Neville et al. (1998) admitem que o LP se apresenta de diversas formas, mas as mais características são a forma reticular e a erosiva. O líquen plano é de particular interesse para o dentista, pois o comprometimento da mucosa bucal geralmente precede o aparecimento das

lesões cutâneas.

CARACTERÍSTICAS CLÍNICAS

FORMA RETICULAR

Normalmente (forma clínica mais comum) assintomática e envolve, principalmente, a mucosa jugal posterior e bilateralmente. Pode estar também presente no dorso e parte lateral da língua, gengiva e palato. Caracteriza-se por estrias ou linhas reticulares brancas que se cruzam, as quais são denominadas estrias de Wickham. As localizações mais freqüentes da lesão são a mucosa jugal, gengiva e língua. Há uma predileção pelo sexo feminino numa razão de 3:2 em relação aos homens, porém são mais raras nas crianças. As lesões são tipicamente não-estáticas (NEVILLE et al., 1998).

FORMA EROSIVA

Não é tão comum como a forma reticular, porém é mais significativo para o paciente, porque as lesões são sintomáticas. Presença de área atróficas e eritematosas; presença de estrias radiantes na junção entre a mucosa e áreas lesionadas. Como a superfície é eritematosa, pode haver sangramento ao ser tocada e o paciente também se queixa de ardência. Quando há atrofia e ulceração está confinada à mucosa

gengival, denomina-se gengivite descamativa e outros exames devem ser

realizados para diferenciá-lo do penfigóide cicatricial e do pênfigo vulgar que podem apresentar-se semelhante (NEVILLE et al., 1998; SAPP et al., 1997).

...

Baixar como (para membros premium)  txt (46.2 Kb)   pdf (330 Kb)   docx (31.3 Kb)  
Continuar por mais 25 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com