TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

MARCUS XAVIER

Artigos Científicos: MARCUS XAVIER. Pesquise 790.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  6/6/2013  •  696 Palavras (3 Páginas)  •  407 Visualizações

Página 1 de 3

GERÊNCIA DE MEMÓRIA VIRTUAL

INTRODUÇÃO

Memória virtual é uma técnica sofisticada e poderosa de gerência de memória, onde as memórias, principal e secundária são combinadas, dando ao usuário a ilusão de existir uma memória muito maior que a capacidade real da memória principal. O conceito de memória virtual fundamenta-se em não vincular o endereçamento feito pelo programa aos endereçosfísicos da memória principal. Desta forma, programas e suas estruturas de dados deixam de estar limitados ao tamanho da memória física disponível, pois podem possuir endereços associados à memória secundária.Outra vantagem da técnica de memória virtual é permitir um número maior de processos compartilhando a memória principal, já que apenas partes de cada processo estarão residentes. Isto leva a uma utilização mais eficiente também do processador. Além disso, essa técnica possibilita minimizar o problema da fragmentação da memória principal.A primeira implementação de memória virtual foi realizada no início da década de 1960,no sistema Atlas, desenvolvido na Universidade de Manchester. Posteriormente, a IB introduzia este conceito comercialmente na família System/370 em 1972. Atualmente, a maioria dos sistemas implementa memória virtual, com exceção de alguns sistemas operacionais de supercomputadores.Existe um forte relacionamento entre a gerência da memória virtual e a arquitetura de hardware do sistema computacional. Por motivos de desempenho, é comum que algumas funções da gerência de memória virtual sejam implementada, diretamente no hardware. Além disso, o código do sistema operacional deve levar em consideração várias características específicas da arquitetura, especialmente o esquema de endereçamento do processador.

ESPAÇAMENTO DE ENDEREÇAMENTO VIRTUAL

O conceito de memória virtual se aproxima muito da idéia de um vetor, existente nas linguagens de alto nível. Quando um programa faz referência a um elemento do vetor, não há preocupação em saber a posição de memória daquele dado. O compilador se encarrega de gerar instruções que implementam, esse mecanismo, tornando-o totalmente transparente ao programador

O vetor de 100 posições A memória virtual utiliza abstração semelhante, só que em relação aos endereços dos programas e dados. Um programa no ambiente de memória virtual não faz referência ao endereços físicos de memória (endereços reais), mas apenas a endereços virtuais. No momento da execução de uma instrução, o endereço virtual referenciado é traduzido para um endereço físico, pois o processador manipula apenas posições da memória principal. O mecanismo de tradução do endereço virtual para endereço físico é de nominado mapeamento.Em ambientes que implementam memória virtual, o espaço de endereçamento do processo é conhecido como espaço de endereçamento virtual e representa o conjunto de endereços virtuais que o processo pode endereçar. Analogamente, o conjunto de endereços reais que o processador pode referenciar é chamado de espaço de endereçamento real

Espaço de endereçamentos

...

Baixar como (para membros premium)  txt (4.7 Kb)  
Continuar por mais 2 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com