TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

ATPS 3 e 4 etapas - Est. e Analise das demonstrações financeiras

Por:   •  6/4/2015  •  Trabalho acadêmico  •  1.981 Palavras (8 Páginas)  •  674 Visualizações

Página 1 de 8

Método Dupont
Conceito

Este método é usado para demonstrar o uso eficiente dos ATIVOS (Bens e
Direitos) da empresa, muito usado no meio empresarial, para calcular sua rentabilidade e
crescimento financeiro, esse método associa duas formas de se calcular o LUCRO: O giro
(o uso eficiente do Ativo) e a margem de lucro (quanto à empresa lucrou em cada produto
vendido).
Para se utilizar esse método é preciso fazer algumas alterações na DRE, de forma a
adaptá- la para melhor atender a nossa necessidade, neste caso são desprezados as seguintes
contas:
12

Resultados não operacionais.
Despesas Financeiras para iniciar as atividades da empresa.
Rentabilidade do Ativo

Calculo feito através do método Dupont .
BALANÇO PATRIMONIAL – adaptado – Valores consolidados expressos em mil.
Ativo

2008

2007

Passivo

2008

2007

Circulante

886.876

786.840

166.338

144.259

Não Circulante

514.195

425.231

Passivo Financeiro

816.662

575.905

Permanente

261.908

129.666

Patrimônio Liquido

679.243

621.573

Total

1.662.979 1.341.737 Total

Passivo
Operacional

1.662.979 1.341.737

DEMONSTRAÇÕES DE RESULTADO DO EXERCICIO – ADAPTADO Valores
Consolidados expresso em mil.
2008
Receita Bruta

2007
836.625

761.156

(140.501)

(129.168)

696.124

631.988

(416.550)

(359.903)

281.247

273.116

(169.684)

(146.321)

52.417

38.680

Impostos sobre o lucro

(33.324)

(27.457)

Lucro Antes das Despesas Financeiras

130.656

138.018

Despesas financeiras

(12.399)

(8.844)

Lucro Liquido Antes das Participações

118.257

129.174

Impostos sobre vendas
Receita Liquida
Custos das mercadorias vendidas
Lucro Bruto
Despesas

operacionais

sem

desp.

Financeiras
Resultado não operacional

13


Participações

(5.304)
112.953

Lucro Liquido do Exercício

Vendas Brutas

(4.955)
124.219

Impostos sobre

Vendas Liquidas

Vendas
2008

836.625

(140.501)

696.124

2007

761.156

(129.168)

631.988

A EMPRESA ANALISADA NÃO APRESENTA DEVOLUÇÕES E CANCELAMENTOS

Ativo Total

Passivo

Ativo Liquido

Operacional
2008

1.662.979

(166.338)

1.496.641

2007

1.341.737

(144.259)

1.197.478

Lucro Liquido

Desp. Financeiras

Lucro

2008

112.953

12.399

125.352

2007

124.219

8.844

133.063

Vendas Liquidas

Ativo Total

Giro

2008

696.124

1.662.979

0, 4186

2007

631.988

1.341.737

0, 47102

14

Lucro Liquido

Vendas

100

Margem

Liquidas
2008

118.257

696.124

0, 16988

16, 988%

2007

129.174

631.988

0, 20439

20, 43931%

A Empresa teve uma queda na sua margem em 2008 com relação a 2007.

VL/AT

L/VL

RA

2008

0, 4186

16, 988

7,11%

2007

0, 47102

20, 43931

9,62%

A empresa teve queda na sua rentabilidade em 2008 com relação a 2007

TERMÔMETRO DE INSOLVÊNCIA
Conceito
Método Criado por Kanitz, que através de indicadores demo nstra a saúde financeira e
econômica da empresa, se ela está ou não a caminho da falência, Kanitz criou uma tabela
que classifica através de pontuação se a empresa se encontra em Solvência, Penumbra ou
Insolvência.
Esta análise é feita através dos seguintes indicadores:



16


Quadro Comparativo do Termômetro de Insolvência.
-7

-6

-5

Insolvência

-4

-3

-2

-1

0

Penumbra

1

2

3

4

5

Solvência

A empresa se manteve em 2008 e 2007 em Solvência.

17

DIAGRAMA ESTRATÉGICO QUALITATIVO
D

Receita Bruta

E
M

(-) ISV

O

lucro

N
S

Margem

Receita Liquida

T
R

(-) CMV

A
Ç
Ã

Lucro Bruto

O

(-)Desp. Op.
D
E

+Resultado n.op.

R

(-) SSP

E

Lucro (a.d.Finan)

Multiplicado

Retorno do Ativo

S
U

(-) Desp. Financ.

L
T
A
D

Lucro Liquido

O
S

B

AT IVO

A
L
A

Circulante

Giro do
Ativo

Não Circulante

N
Ç

Permanente

O
Ativo T otal
P
A
T
R

Passivo

I
M

Operacional

O
N
I
A
L

Financeiro
P. LIQUIDO
Passivo T otal

18

CAPITAL DE GIRO

Capital de Giro é a reserva de recursos para ser utilizadas conforme a necessidade
financeira da empresa. Esses recursos ficam alocados nos estoques, nas contas a receber,
no caixa ou na conta corrente bancária.

O Capital de Giro é composto pelos bens que constituem o Ativo Circulante,
como também as obrigações do Passivo Circulante.

CICLO ECONÔMICO, OPERACIONAL E FINANCEIRO
Os ciclos econômicos, operacionais e financeiros são de extrema importância para
a empresa, pois diz respeito ao tempo em que as atividades são desenvolvidas.

Ciclo Econômico diz respeito ao tempo em que a mercadoria perma nece em
estoque.

Quer dizer da aquisição dos produtos até a venda, não considerando o

recebimento das mesmas.
Fórmula:

Prazo médio de estocagem
PMRE =
estoque
Custo das mercadorias vendidas

x DP

Ciclo operacional considera o período entre a data da compra até o recebimento
de cliente.

Fórmula: Ciclo Operacional= Ciclo Econômico + Prazo médio de contas a
Receber

19

Ciclo Financeiro, que é conhecido como Ciclo de caixa é o período entre o
pagamento a fornecedores e o recebimento das vendas.
Fórmula: Ciclo financeiro= Ciclo Operacional – Prazo médio de Pagamento a
Fornecedores.

CÁLCULO PARA DETERMINAR A NECESSIDADE DE
CAPITAL DE GIRO DA EMPRESA ROMI.
PRAZO MÉDIO DA ROTAÇÃO DE ESTOQUES

PMRE =

285.344
416.550

X 360 = 246,60 dias

PRAZO MÉDIO DE RECEBIMENTO DAS VENDAS

PMRV =

77.463
59.786

X 360 =

466,44 dias

PRAZO MÉDIO DE PAGAMENTO DAS CONTAS

PMPC =

31.136
518.850

X 360 =

21,60 dias

CICLO OPERACIONAL DA EMPRESA

CO =

PMRE + PMRV = 246,60 + 466,44 = 713,04 dias

CICLO FINANCEIRO DA EMPRESA
20

CF = PMRE + PMRV – PMPC = 246,60 + 466,44 – 21,60 = 691,44 dias.

CMV

416.550

Despesas com Vendas

65.927

Despesas Administrativas

63.800

Impostos sobre Vendas

140.501

Impostos sobre o Lucro

33.324

Desembolso Operacional

303.552

PMRE

246,6 dias

PMRV

466,4 dias

PMPC

21,6 dias

Ciclo Financeiro

691,4 dias

Giro de Caixa (360/CF)

0,52 vezes ao ano

Desembolso Operacional

303.552

Caixa Operacional

583.754

Taxa financeira ao ano – 13% ao ano

75.888

21

CONCLUSÃO

Após os cálculos anteriores, analisamos; associamos e descrevemos as possíveis
causas das variações na empresa Indústrias Romi S.A – Companhia Aberta, através de
índices financeiros chegamos às seguintes conclusões:
Na Analise Vertical observamos que a Receita Bruta teve um pequeno acréscimo de
2007 para 2008 em relação à Receita Liquida, sendo que o melhor acréscimo foi com
relação ao mercado externo. Entretanto apresentou um acréscimo considerável nos Custos
dos Produtos Vendidos, repercutindo em decréscimo no Lucro Bruto;
- os Custos dos Produtos Vendidos aumentaram de (-56,95%) para (-59,84%), apesar
das Receitas Liquidas terem apresentado um ligeiro aumento, não foi suficiente para
cobrir o aumento dos custos;
- A Margem Bruta teve diminuição de 43,05% para 40,16%, devido ao aumento nos
Custos dos Produtos Vendidos;
- O Ativo Circulante diminuiu devido ao aumento considerável no estoque;
- O Ativo Não Circulante aumentou tendo em vista o investimento em imobilizado.
Na Análise horizontal a Receita Liquida teve um aumento de 10,15%, porém o
Lucro Líquido teve um decréscimo, devido ao aumento nos custos dos Produtos Vendidos
e nas Despesas Operacionais;
- Os Custos aumentaram em 15,74%, porém as vendas não foram suficientes,
impactando desse modo no Lucro Bruto com um aumento de 2,75%;
- Nas Despesas Operacionais teve aumento de 15,64%, devido ao aumento considerável
nas despesas Gerais e Administrativas;
- A Margem Bruta diminuiu;
- O Ativo Circulante diminuiu, devido à redução na Conta Caixa e aumento na Conta
Estoque;
- O Ativo Não Circulante teve um aumento de 39,86%, em face à empresa ter investido
em Ativo Imobilizado.
22

Sobre a evolução financeira da empresa destacamos as seguintes informações:
O capital de terceiros em 2007 representou 53,53% do total de investimentos da
empresa, já em 2008 59,00%, demonstrando uma dependência maior por capital de
terceiros para financiar suas obrigações.
A composição do endividamento em 2007 demonstra que a dívida a curto prazo
foi de 43,51% e, em 2008 42,24% representando uma queda nos compromissos a curto
prazo de um ano para o outro.
Quanto ao investimento do Patrimônio líquido em 2007 representou 20,86%, já
em 2008 esse índice aumentou para 38,56%, representando um comprometimento maior
do capital próprio no investimento, Imobilizado e Intangível.
A empresa utilizou 12,62% em 2007 dos recursos não correntes no financiamento
do Ativo Permanente e, 21,01% em 2008, demonstrando que a empresa em 2008
direcionou mais recursos não correntes para o financiamento do investimento,
imobilizado e intangível.
Na Liquidez geral da empresa, para cada R$ 1,00 em 2007, tinha R$ 1,69 para
pagamento a curto e longo prazo e em 2008, para cada R$ 1,00 possuía R$ 1,43 de
recursos, demonstrando que houve uma diminuição da liquidez geral, mesmo assim
conseguiria pagar suas dívidas com suas disponibilidades mais os seus realizáveis. Já a
liquidez corrente a empresa mostra a capacidade de cumprir suas obrigações a médio prazo,
ou seja, em 2007 a empresa possuía R$ 2,52 para cada R$ 1,00 de dívida e em 2008
mesmo diminuindo para R$ 2,14 para cada R$ 1,00, a empresa demonstrou queda na
gestão de caixa.
Liquidez seca em 2007 para cada R$1,00 a empresa possuía R$ 0,33, já em 2008
houve uma considerável melhora, ou seja, para cada R$ 1,00 de dívida tinha R$ 1,45%,
sendo assim verifica-se que a empresa consegue pagar suas dívidas sem a utilização dos
estoques.
Pelos números de 2007, verificamos que o Ativo total renovou 0,47102 vezes e,
em 2008 0,4186 vezes, evidenciando que não houve um bom desempenho no volume de
vendas, e ainda uma queda em 2008.
O índice da margem líquida mostra que em 2007 restou 20,43931% das vendas
líquidas e, 16,988% em 2008, demonstrando menor lucro.
23

A rentabilidade do Ativo em 2007 foi de 9,26% e, em 2008 6,79%, não
demonstrando a mesma eficiência do ano anterior.
Em 2007 a empresa rentabilizou o patrimônio líquido em 19,10%, já em 2008,
passou para 17,37%, demonstrando uma queda na rentabilização do capital próprio.
Quanto à dependência bancária os índices demonstraram que a empresa utilizou
mais recursos de instituições financeiras do que recursos operacionais. De 2007 para 2008
o ativo foi financiado nos índices de 53,53% para 59,00%.
De 2007 para 2008 houve participação de instituições de crédito no
endividamento de 86,37% para 83,44%.
O Ativo circulante foi financiado por instituições financeiras nos índices de
71,16% para 71,57%.
Todos os índices calculados em 2007 e 2008 nos demonstrou que a empresa Romi
utilizou mais recursos de instituições financeiras e bancárias para financiar o seu Ativo.
No Giro do Ativo, observamos que apesar da Receita Liquida em 2008 ter sido
maior, seu giro foi de 0, 4186, enquanto que em 2007 com receita menor, obteve-se um
giro do Ativo de 0,47102 maior no ano anterior, o que mostra que a empresa uma queda no
seu desempenho em 2008, que pode ter sido influenciada por fatores externos, como
concorrência, prática de descontos abusivas, ou fatores internos como a pratica de
diferentes planos estratégicos, que podem ter influenciado.
O índice da Margem de Lucro Liquida em 2007 foi de 20,43931% das vendas
liquidas, enquanto que em 2008 a empresa teve um queda, e sua margem ficou em 16,
988% mesmo tendo um aumento nas vendas com relação ao ano anterior, o que pode ter
sido ocasionada por varias razões, como aumento na carga tributaria despesas imprevistas,
ou estratégia usada.
Rentabilidade do Ativo foi baixa nos dois períodos, mas a empresa mostrou-se
ineficiente em 2008 com rentabilidade de 7,11 % (mesmo tendo uma receita de maior que
o ano anterior) contra 9,62% de 2007, demonstrando uma queda na remuneração do seu
Ativo. A empresa analisada apresentou um estado de Solvência em 2007 de 6, 73462 e em
2008 4, 56138, demonstrando que seu Patrimônio tem capacidade de liquidez.
Observamos que a empresa para suprir suas necessidades financeiras, necessitaria
de R$ 583.754,00 por ano, já que o giro financeiro é de 0,52 vezes ao ano, em função de
24

haver um Ciclo financeiro de 691,4 dias, o que gera uma despesa financeira de
R$ 75.888,00.
Concluímos, com base em todos as dados, índices econômicos e financeiros e
informações obtidas, que a empresa Indústrias Romi S.A – Companhia Aberta encontra-se
em boa saúde financeira, nos dois períodos analisados, 2007/2008 apresentando evolução,
crescimento e rentabilidade satisfatória. Com base nestas informações o analista pode
decidir com sobre a possibilidade de concessão de créditos, avaliação de novos
investimentos.

25

BIBLIOGRAFIA

http://www.peritocontador.com.br/artigos/colaboradores/Artigo_-_Rentabilidade.pdf em
21/04/2013


http://sare.unianhanguera.edu.br/index.php/anudo/article/viewArticle/750 


(http://www.romi.com.br/fileadmin/Editores/Empresa/Investidores/Documentos/Relato
rios/BP_2008.pdf.


Azevedo, Marcelo Cardoso - Coelho, Fernando -Ruiz, Jose Carlos- Neves, Paulo – Estrutura e
Analise das Demonstrações Financeiras

...

Baixar como (para membros premium)  txt (14 Kb)   pdf (75.9 Kb)   docx (15.8 Kb)  
Continuar por mais 7 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com