TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Economia problemas

Tese: Economia problemas. Pesquise 860.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  14/3/2014  •  Tese  •  1.486 Palavras (6 Páginas)  •  407 Visualizações

Página 1 de 6

Universidade do Sul de Santa Catarina – Unisul

Campus Virtual

Avaliação à Distância (AD)

Disciplina: Economia

Curso:

Professor: Sílvia Natália Barbosa Back

Nome do aluno:Patrícia

Ponta grossa, Pr

21/05/2013

1. Leia atentamente o texto a seguir e responda as perguntas (a) e (b).

"Raras e cobiçadas"

3 de janeiro de 2011 | 19h00

Celso Ming

A notícia correu o mundo: em setembro, a China, usando como pretexto um incidente sobre soberania territorial, suspendeu as exportações de terras raras para o Japão. O governo de Pequim negou o embargo.

Independentemente dos vaivens diplomáticos, o fato é que a China tem reduzido a exportação desse material estratégico e isso levanta no resto do mundo preocupações de todo o tipo.

Terras raras é um conjunto de 17 minerais não ferrosos cujos nomes esquisitos estão nos manuais de química: gadolínio, térbio, disprósio, lutécio. Até há pouco tempo eram apenas usados nos laboratórios de pesquisa.

Hoje, são essenciais na fabricação de produtos de alta tecnologia, como mísseis, ou em artigos de uso cada vez mais intensivo, como lâmpadas fluorescentes, telefones celulares, notebooks, paineis de energia solar e turbinas eólicas.

Apesar de o nome sugerir escassez, há jazidas em vários países, mas o seu processamento é caro e altamente poluidor. Isso explica o predomínio da China na mineração e no refino nas últimas décadas. Em 2009, por exemplo, respondeu por nada menos que 97% da produção mundial.

Depois de ter reduzido em 40% as exportações de 2010 em comparação com as de 2009, dia 28 o governo da China avisou que vai restringir ainda mais os fornecimentos a partir do primeiro semestre deste ano. A informação chega num momento em que a demanda mundial já ultrapassa a oferta. Um relatório do Congresso americano avalia a atual produção mundial em 124 mil toneladas por ano, enquanto o consumo já é de 134 mil toneladas, e deverá alcançar as 200 mil toneladas em 2014. Como se vê, a reciclagem vai ficar cada vez mais importante.

O maior prejudicado pelas decisões da China, o Japão (um dos principais importadores), começa a se mexer. Tóquio planeja investir 100 bilhões de ienes (US$ 1,2 bilhão) para garantir o suprimento. Outros países estão nessa rota. No dia 15 de dezembro, o Departamento de Energia dos Estados Unidos divulgou documento que adverte sobre a necessidade de reduzir nos próximos 15 anos a dependência de metais raros de origem chinesa.

Extraído do site do Jornal Estado de São Paulo, coluna do Celso Ming, publicada em: 3 de janeiro de 2011, disponível: http://blogs.estadao.com.br/celso-ming/?s=raras+e+cobi%C3%A7adas&submit=OK. Acesso em: 5 fev.2011.

Aprendemos que o problema fundamental da economia é a escassez. A economia é a ciência que estuda a maneira como esses recursos escassos são distribuídos com o objetivo de produzir bens e serviços para atender o consumo da sociedade.

a) A partir do conteúdo estudado, você diria que o conceito de escassez implica em escolha? Por quê? Seu texto deve ter no mínimo 8 linhas. (1,5 pontos)

R: Sim, com toda certeza o conceito de escassez implica em escolha. Pois tudo na vida tem a ver com nossas escolhas, relacionado ao tema escassez vemos que o querer dos indivíduos nunca tem um fim, quanto mais se consome, mais se quer. O fato de se querer cada vez mais faz com que aumente a produção a cada dia.

A demanda é cada vez maior tentando suprir as mais diversas atividades e ainda conhecer quais serão as demandas tecnológicas ou de matéria-prima, visando atingir o produto final.

b) Em caso positivo, dê dois exemplos citados no texto que caracterizam a necessidade de escolha em situação de escassez. Seu texto deve ter no mínimo 10 linhas. (1,5 pontos)

Exemplificado este caso, podem-se citar as usinas eólicas, notebooks, etc. Que necessitam de material vindo da china; No entanto os governos já estão buscando alternativas, sejam em outras fontes ou outros tipos de material para fazer a substituição. Afinal tudo se ajusta conforme a necessidade existente, as tecnologias surgirão de acordo com o tipo de recursos humanos e matéria-prima tem se bastante bastando apenas faz se necessário um investimento constante e conscientização em relação às necessidades já existentes e as que surgirão com toda certeza. Quanto maior a produção mais os recursos vão se esgotar e sucessivamente será necessária a substituição por outros materiais que cumpram o propósito central.

2. Leia atentamente o texto a seguir e, considerando seus estudos até aqui, desenvolva a atividade que será proposta:

Ninguém acredita em oferta e procura

28 de dezembro de 2010 | 18h17

Paul Krugman

A questão do preço das commodities é curiosa; tenho recebido muita correspondência na linha do "Bem, o que é? Impressão excessiva de dinheiro ou ganância?" Mas por que teria de ser uma dessas? Por que não ser apenas uma questão de oferta e procura?

O que estamos vendo, afinal, é um aumento no preço das matérias-primas em relação ao de outros bens e serviços. Isso é o que normalmente acontece durante uma recuperação cíclica e não há nenhuma razão óbvia para ver nisso um sinal de uma inflação fatídica (a menos que se esteja determinado a ver esses sinais).

O que dizer de especulação e manipulação do mercado? Essas coisas acontecem; leitores antigos devem se lembrar de que em 2000-2001 eu estava

...

Baixar como (para membros premium)  txt (9.3 Kb)  
Continuar por mais 5 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com