TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Gestão Estratégica de Negócios Internacionais II

Por:   •  12/8/2014  •  Seminário  •  2.171 Palavras (9 Páginas)  •  94 Visualizações

Página 1 de 9

Universidade do Sul de Santa Catarina – Unisul

Campus Virtual

Avaliação a Distância

Disciplina: Gestão Estratégica de Negócios Internacionais II

Curso:

Professor:

Nome do aluno:

Data:

Orientações:

 Procure o professor sempre que tiver dúvidas.

 Entregue a atividade no prazo estipulado.

 Esta atividade é obrigatória e fará parte da sua média final.

 Encaminhe a atividade via Espaço UnisulVirtual de Aprendizagem (EVA).

1. Após a leitura do texto a seguir, identifique e explique quais são as variáveis do modelo do Diamante de Porter que foram fundamentais para a cerâmica italiana.

Sua resposta deverá ser apresentada em um texto de no mínimo 01 e no máximo 03 laudas.

Como Atua o "Diamante": A Indústria Italiana de Cerâmica

Michael J. Enright e Paolo Tenti

Na década de Oitenta, as empresas italianas tornaram-se líderes mundiais na produção e exportação de azulejos de cerâmica. Os produtores italianos, concentrados em torno da pequena cidade de Sassuolo, na região da Emilia-Romagna, respondiam por cerca de 30 por cento da produção mundial e por quase 60 por cento das exportações globais. Neste texto você saberá como tudo aconteceu.

O desenvolvimento da vantagem competitiva da indústria de cerâmica na Itália ilustra como funciona o "diamante" da vantagem nacional. A vantagem competitiva sustentável de Sassuolo decorreu não de uma situação estática ou histórica, mas do dinamismo e da mudança. Compradores locais sofisticados e exigentes, canais de distribuição fortes e exclusivos e a intensa rivalidade entre as empresas da comunidade, geraram pressões constantes pela inovação. Logo, o conhecimento emergiu da experimentação contínua e da experiência acumulada com a produção. O fato de se tratar de empresas de capital fechado e a lealdade à comunidade disseminaram o forte compromisso de investir no setor.

Os produtores de azulejos também se beneficiaram com um conjunto altamente desenvolvido de fornecedores de máquinas e com outros setores de apoio concentrados na localidade, produzindo materiais, serviços e infraestrutura. A presença de setores correlatos italianos de classe mundial também aumentou a força do país no setor. Por fim, a concentração geográfica do conglomerado inteiro representou uma supercarga de energia para todo o processo. A natureza orgânica desse sistema constitui-se na mais sustentável das vantagens das empresas ceramistas de Sassuolo.

O Emergente Aglomerado de Azulejos da ltália

De início, os produtores italianos de azulejos dependiam de fontes externas de matérias primas e de tecnologia de produção. No começo dos anos 50, a principal matéria prima utilizada era o caulim (argila branca). Como nas proximidades de Sassuolo existiam jazidas de argila vermelha, mas não de argila branca, os produtores italianos tinham que importá-la do Reino Unido. O equipamento das fábricas também era de procedência externa nos anos 50 e 60: fornos da Alemanha, Estados Unidos e França e prensas para a moldagem dos azulejos da Alemanha. Os fabricantes de Sassuolo tinham que importar até mesmo as máquinas simples de esmaltagem ou envernizamento.

Com o tempo, os produtores italianos aprenderam a modificar os equipamentos importados para compatibilizá-los com as circunstâncias locais: argila vermelha versus argila branca, gás natural versus óleo pesado. À medida que os técnicos de processamento das empresas deixavam o emprego para constituir as próprias fábricas de equipamentos, começou a surgir uma indústria local de máquinas. Em 1970, as empresas italianas despontaram como produtores de classe mundial de fornos e prensas, a situação anterior se revertera totalmente, estavam exportando os equipamentos para argila vermelha, para serem utilizados com argila branca.

O relacionamento entre os fabricantes italianos de azulejos e equipamentos proporcionava apoio recíproco para ambas as partes, característica que se acentuava pela estreita proximidade. Em meados dos anos 80, eram cerca de 200 os fabricantes italianos de equipamentos,

...

Baixar como (para membros premium)  txt (14.8 Kb)  
Continuar por mais 8 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com