TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

O QUE É O ESTADO DE NATUREZA E O PACTO SOCIAL PARA HOBBES, LOCKE E ROUSSEAU

Seminário: O QUE É O ESTADO DE NATUREZA E O PACTO SOCIAL PARA HOBBES, LOCKE E ROUSSEAU. Pesquise 787.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  20/9/2013  •  Seminário  •  617 Palavras (3 Páginas)  •  660 Visualizações

Página 1 de 3

O QUE É O ESTADO DE NATUREZA E O PACTO SOCIAL PARA HOBBES, LOCKE E ROUSSEAU

- HOBBES

Para Hobbes os indivíduos viviam isolados e em luta permanente em busca do poder. Eram maus, arbitrários, egoístas, não tinham limites para nada e os únicos sentimentos que experimentavam eram a inveja e o medo, sobretudo o medo de sofrer e da morte violenta.

Segundo Hobbes, todos os homens eram naturalmente iguais em força e aptidões intelectuais. Mesmo tendo inventado armas para se protegerem e cercado as terras que ocupavam, isso não lhes trouxe segurança, pois sempre existia alguém mais forte que vencia o mais fraco; a posse não tinha reconhecimento e , portanto, não existia. A ameaça era constante. Assim, para salvar a vida, surge o Estado, de um pacto em que os indivíduos assumiam abrir mão da sua liberdade irrestrita pela sujeição comum a único poder.

O Estado teria o poder absoluto, com o dever de proporcionar aos indivíduos a paz, prosperidade material e justiça igual, organizar a caridade pública e definir a propriedade.

- LOCKE

Ao contrário de Hobbes, Locke defendia o estado de natureza como um estado de liberdade e igualdade. Segundo ele, não havia a disputa de todos contra todos a qual se referia Hobbes. A lei que regia este estado de natureza era a razão, que ensinava a todos os homens a respeitarem-se mutuamente, não prejudicando a vida, a saúde, na liberdade e na propriedade uns dos outros. E que, ainda deviam contribuir para a manutenção desta norma, tendo o direito de punir aquele que a transgredisse.

Para Locke, os homens nasciam livres e racionais, porém isso não lhes assegurava a paz, já que o homem era seu único dono, livre e igual a qualquer outro. Essa condição gerava a intranquilidade, pois quando os limites da lei e da natureza eram ofendidos todos os homens tinham o direito de punir o transgressor da maneira que bem entendessem.

A solução seria um pacto no qual os indivíduos abririam mão do seu poder executivo em favor de uma sociedade política, desde que essa lhes garantisse tranquilidade para manter suas atividades econômicas. Era um contrato que vinculava governantes e governados. Ninguém estaria isento da lei, nem mesmo o soberano.

Para Locke, o Estado existe a partir do contrato social, sendo sua principal finalidade garantir o direito natural da propriedade. Dessa maneira, a burguesia vê seus interesses legitimados perante a realeza e a nobreza e, mais do que isso, surge como superior a elas, uma vez que o burguês acredita que é proprietário graças ao seu próprio trabalho, enquanto reis e nobres são parasitas da sociedade.

- ROSSEAU

Diferente de Hobbes , Rosseau acredita que a sociedade é que corrompe os indivíduos. Na concepção de Rousseau, em estado de natureza os indivíduos vivem isolados pelas florestas, sobrevivendo com o que a natureza lhes dá, desconhecendo lutas e comunicando-se pelo gesto, pelo grito e pelo canto, numa língua generosa e benevolente. Este estado de felicidade original, no qual os humanos existem sob a forma do “bom selvagem” inocente termina quando alguém cerca um terreno e diz : é meu!

A propriedade

...

Baixar como (para membros premium)  txt (3.7 Kb)  
Continuar por mais 2 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com