TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

ÉTICA E SERVIÇO SOCIAL CÓDIGOS DE ÉTICA 1947, 1965, 1975, 1986 E 1993

Trabalho Universitário: ÉTICA E SERVIÇO SOCIAL CÓDIGOS DE ÉTICA 1947, 1965, 1975, 1986 E 1993. Pesquise 785.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  6/4/2012  •  2.418 Palavras (10 Páginas)  •  15.639 Visualizações

Página 1 de 10

ÉTICA E SERVIÇO SOCIAL

CÓDIGOS DE ÉTICA 1947, 1965, 1975, 1986 E 1993

UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO

SÃO PAULO – SETEMBRO 2011

ÍNDICE

INTRODUÇÃO...................................................................................

1. ANÁLISE CODIGO DE ÉTICA 1947..............................................

2. ANÁLISE CODIGO DE ÉTICA 1965..............................................

3. ANÁLISE CODIGO DE ÉTICA 1975..............................................

4. ANÁLISE CODIGO DE ÉTICA 1986..............................................

5. ANÁLISE CODIGO DE ÉTICA 1993..............................................

6. CONCLUSÃO.................................................................................

Introdução

Optamos apresentar a passagem histórica do Serviço Social na luta pelas desigualdades sociais e reformulando com o profissional.

Enfatizamos a presença da ética profissional e as suas reformas, de acordo com a transição de um código para o outro, do qual acompanha a necessidade da época, refletindo a urgência do momento.

O curso apresenta uma concepção Marxista, onde é introduzida bases cientificas. O Serviço Social passa a defender as classes menos favorecidas, como profissão quebrando o tradicionalismo na década de 1980, onde passa pelo processo de reconceituação, a partir daí ganha uma postura onde seu trabalho atua diretamente na questão social.

1. Análise do código de ética de 1947

O Serviço social nasceu no Brasil a partir de ações sociais católicas na década de 40. A profissão se destacou na influência norte americano através de correntes de pensamento positivista.

A igreja católica foi à responsável pela estruturação profissional no Brasil, responsável pela formação dos primeiros assistentes sociais brasileiros. A PUC foi à primeira escola de Serviço Social criada em 1936.

A emergência da profissão ocorreu na sociedade industrializada com o surgimento da questão social, contribuindo nesse momento com a re-integração de seus “clientes” na sociedade.

O Estado nesta década de 40 percebeu-se pressionado devido ao crescimento da demanda por bens e serviços, por parte dos trabalhadores. Devido a esse motivo pensou-se em uma intervenção que fosse de contato direto, nos processos de reprodução das relações sociais, assumindo então o papel de regulador visando tanto o processo de acumulação do capitalismo como no atendimento das necessidades sociais da população. Com isso a criação de políticas sociais, abriu-se no serviço público um mercado de trabalho para o Assistente Social.

O regulamento do Serviço Social como profissão liberal no país, não competia aos profissionais desempenhar suas atividades como autônomos. O Serviço Social assume uma posição legitimada particularmente pelo crescimento das instituições públicas geradas e subsidiadas pelo Estado, garantindo a participação direta na elaboração e gerenciamento de políticas sociais e na formulação e implementação de programas sociais, direito do Assistente Social, garantido pelo código de Ética.

2. Análise do código de ética de 1965

O Código de 1965 ocorre em plena Ditadura Militar, no período de reabertura política, se comparar os momentos e a realidade histórica, de cada código com a realidade política atual, podemos notar que, o cenário social e político atual apresentam inúmeras desigualdades, e um Estado assolado pela corrupção política, que tem tornado a democracia honesta, quase uma utopia.

O golpe militar de 1964 fez o Brasil entrar numa fase sombria da sua história, os militares passaram a controlar o poder, sua preocupação básica era a segurança e o desenvolvimento. Para garantir a segurança, violentaram os direitos políticos e civis, amordaçaram a oposição e instalaram a paz dos cemitérios.

No Código de 65, foram definidas as premissas do serviço social, como: respeitar a dignidade da pessoa humana, as posições filosóficas, políticas e religiosas daqueles a quem se destinam sua atividade.

A formação da consciência profissional é fator essencial em qualquer profissão e que um Código de Ética constitui valioso instrumento de apoio e orientação para os Assistentes Sociais;

O Serviço Social adquire no mundo atual uma amplitude técnica e cientifica, impondo aos membros da profissão maiores encargos e responsabilidades;

3. Análise do código de ética de 1975

Em um contexto impregnado de tradicionalismo e ao mesmo tempo necessitando de renovação, era necessário o desenvolvimento de um pensamento e uma atitude critica sobre o papel desde profissional e também dos indivíduos componentes da sociedade. Foi nesta década que o Serviço Social sofreu a forte influencia do Personalismo e da Fenomenologia, expressos no Código de Ética do Assistente Social de 1975.

Nos anos 70 há o importante processo de laicização do serviço Social e sua modernização. A legitimidade profissional se transforma, refletindo no mercado de trabalho, no qual, os assistentes sociais assumem atividades de planejamento, coordenação, acompanhamento e avaliação de programas sociais, além das atividades de execução final que já lhes eram peculiar.

Nesta mesma década se inicia o movimento de Reconceituação, que marca os rumos do Serviço Social. É o inicio do Movimento de Intenção de Ruptura,

...

Baixar como (para membros premium)  txt (16.6 Kb)  
Continuar por mais 9 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com