TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

ATPS CONTABILIDADE

Artigo: ATPS CONTABILIDADE. Pesquise 834.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  19/4/2012  •  2.965 Palavras (12 Páginas)  •  2.220 Visualizações

Página 1 de 12

O que a Contabilidade registra

A Contabilidade é a ciência que estuda, interpreta e registra os fenômenos que afetam o patrimônio de uma entidade. Ela alcança sua finalidade através do registro e análise de todos os fatos relacionados com a formação, a movimentação e as variações do patrimônio administrativo, vinculado à entidade, com o fim de assegurar seu controle e fornecer a seus administradores as informações necessárias à ação administrativa, bem como a seus titulares (proprietários do patrimônio) e demais pessoas com ele relacionadas, as informações sobre o estado patrimonial e o resultado das atividades desenvolvidas pela entidade para alcançar os seus fins.

Diversas técnicas são usadas pela contabilidade para que seus objetivos sejam atingidos: a escrituração é uma forma própria desta ciência de registrar as ocorrências patrimoniais; as demonstrações contábeis são demonstrações expositivas para reunir os fatos de maneira a obter maiores informações, e a análise de balanços é uma técnica que permite decompor, comparar e interpretar o conteúdo das demonstrações contábeis, fornecendo informações analíticas, cuja utilidade vai além do administrador.

Existe ainda uma dificuldade em classificar a contabilidade. Apesar de no geral ser considerada uma ciência social, assim como economia e administração, algumas vezes ela é chamada técnica ou arte.

No entanto, independente de sua classificação, é esta técnica, arte ou ciência que adquire cada vez maior importância, dado o crescimento das corporações, entidades e empresas, que exige grande eficácia dos profissionais da contabilidade, para que sejam capazes de trabalhar a infinita gama de informações que são necessárias ao estudo e controle do patrimônio.

O objeto e o campo de aplicação da contabilidade de acordo com a corrente doutrinária hoje dominante

0k – ver na atividade

Capital Próprio da empresa

CAPITAL PRÓPRIO: São os recursos originários dos sócios ou acionistas da entidade ou decorrentes de suas operações sociais. Corresponde ao patrimônio líquido.

É o valor líquido do património de uma empresa. O capital próprio é a diferença entre os activos e passivos, ou seja, a diferença entre tudo aquilo que a empresa possui e deve a terceiros.

Portanto, se a empresa vender todos os seus activos e pagar todas as suas dívidas, ficará com o capital próprio.

O capital próprio expressa o valor contabilístico da empresa. Quando os investidores pensam em comprar empresas, analisam cuidadosamente o valor do seu capital próprio.

Note-se que o capital próprio pode ser negativo no caso de os passivos serem superior aos activos; nulo, no caso em que se igualam; ou positivo, caso os activos sejam superiores aos passivos.

Numa perspectiva pessoal, este conceito também se aplica. Por exemplo, se possuir uma casa no valor de €200.000 e tiver contraído um empréstimo bancário para o efeito no valor de €150.000, o valor do seu capital próprio será de €50.000. Este é o valor que realmente lhe pertence. Mas se não tiver contraído qualquer dívida para comprar a mesma casa, o valor do seu capital próprio seria de €200.000.

Capital de Terceiros

CAPITAL DE TERCEIROS: Representam recursos originários de terceiros utilizados para a aquisição de ativos de propriedade da entidade. Corresponde ao passivo exigível.

Capital de Terceiros

O que é Capital de Terceiros?

É formado por recursos oriundos de empréstimos e financiamentos. As dívidas da empresa com fornecedores: duplicatas a pagar; com funcionários: salários a pagar; e com o governo: tributos a pagar, também constituem recursos de terceiros à disposição da empresa.

situação líquida negativa;

3.1 CONCEITO

O ativo, também denominado patrimônio bruto, representa o aspecto positivo do patrimônio. Já o

passivo exigível expressa o aspecto negativo patrimonial, indicando as dívidas ou obrigações do

titular do patrimônio.

Em alguns casos, faz-se necessário o confronto do ativo com o passivo exigível.

Quando uma empresa entra em fase de dissolução, é necessário que o ativo, na medida do

possível, seja convertido em dinheiro e que haja o pagamento das dívidas da sociedade. Se o ativo

for superior ao passivo exigível, o excesso (acervo líquido) deverá ser distribuído aos sócios, de

acordo com a participação de cada um no capital da sociedade. Se o passivo exigível superar o

ativo, dependendo do tipo de sociedade e da forma de responsabilidade dos seus sócios, eles

podem ter de responder, com seus patrimônios pessoais, pelo passivo exigível da pessoa jurídica.

Quando um grupo empresarial se interessa pela compra de uma sociedade, um dos critérios

utilizados na estimativa do preço a ser pago leva em consideração a diferença entre o ativo e o

passivo exigível. Por este raciocínio, se o ativo tem o valor de 1.000 e o passivo exigível é de 600,

o preço de aquisição seria apurado com base na diferença: 1.000 - 600 = 400.

Se a aquisição desta sociedade ocorrer por preço superior a 400, haverá ágio. Se por valor inferior,

deságio.

A diferença entre o ativo e o passivo exigível recebe o nome de situação líquida.

Há 3 espécies possíveis de situações líquidas:

1 - Situação Líquida Nula → Ativo = Passivo Exigível

2 - Situação Líquida Positiva → Ativo > Passivo Exigível

3 - Situação Líquida Negativa → Ativo < Passivo Exigível

Vimos que os elementos que compõem o patrimônio de

...

Baixar como (para membros premium)  txt (20.5 Kb)  
Continuar por mais 11 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com