TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Aula Tema 08 Conquistando O Mundo Sua Independência Financeira Resumo

Casos: Aula Tema 08 Conquistando O Mundo Sua Independência Financeira Resumo. Pesquise 790.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  28/4/2013  •  1.616 Palavras (7 Páginas)  •  917 Visualizações

Página 1 de 7

Aula-tema 08: Conquistando o Mundo - Sua Independência Financeira

O desejo de ser rico é o sonho da grande parte das pessoas, mesmo que não manifestem isso de forma aberta e declarada. A riqueza compra conforto físico (casas, carros, boas roupas etc.), mas também traz tranquilidade, por permitir uma sensação real de segurança, de estar protegido no futuro quando não se possa ou não se queira mais trabalhar. Esse desejo humano de possuir bens para seu conforto e segurança para sua aposentadoria é perfeitamente legítimo e saudável. Contudo, ser rico é um conceito muito subjetivo, cada pessoa pode ter uma ideia diferente de qual valor é necessário para atingir este patamar.

O dinheiro não compra a felicidade e certamente existem valores mais importantes como amor, saúde, respeito e companheirismo. No entanto, os recursos financeiros são parte da vida de todas as pessoas e a sua falta acarreta infelicidade. Assim, preocupar-se em administrar o seu dinheiro é fundamental para ter-se uma vida boa e tranquila. O objetivo do capítulo é apontar algumas estratégias que auxiliem a administração vantajosa ou mais inteligente de suas finanças.

Uma medida adotada para mensurar a evolução financeira pessoal é a independência financeira, que pode ser definida como o patrimônio pessoal que gera renda suficiente para a pessoa sobreviver sem precisar trabalhar. Tal conceito deriva da autonomia financeira, ou seja, do tempo que a pessoa consegue sobreviver sem precisar trabalhar, vivendo apenas do valor de suas reservas, e considera-se que uma pessoa atinge tal independência quando a autonomia financeira se estende por um prazo tão longo que será maior que a vida dessa pessoa.

O autor adota o valor hipotético de R$ 1 milhão como objetivo para explicar a independência financeira e considera gastos mensais de R$ 5 mil com juros de 0,5% ao mês. Mas os princípios e as recomendações aplicam-se a qualquer valor que a pessoa considere adequado para seus gastos.

O apelo de ser milionário é amplamente difundido na nossa sociedade, a ideia de possuir mais de R$ 1 milhão é popularmente vista como um sonho distante, mas o autor esclarece que esse é um sonho possível para uma pessoa de renda modesta, embora a tarefa não seja fácil, pois exige muita disciplina e perseverança. Deve-se sistematicamente criar uma sobra de recursos financeiros a serem aplicados no mercado financeiro. Para tanto é necessário que a renda familiar supere as despesas – é simples, porém exige muito controle e disciplina, o que não é fácil.

O fator tempo é de suma importância no processo de acumulação de riqueza, pois quanto antes começar a poupar, menor o valor a ser economizado mensalmente.

O texto conta com cinco passos para alcançar a independência financeira, e o primeiro consiste em conhecer e buscar ampliar a sua renda.

A renda de uma família, geralmente, é composta com a soma do salário das pessoas que trabalham na casa. A primeira dica é considerar sempre a renda líquida (em que já estão descontados os impostos INSS e IR) e não a renda bruta da família, ou seja, apenas a renda disponível é que pode se utilizada para pagamento de despesas, e quando se pensa de outra forma pode-se estar contando com uma renda que não existe.

Outro fator fundamental na análise da renda familiar é buscar alternativas viáveis para incrementá-la. Mesmo pequenos aumentos de renda e consequentemente de investimentos mensais produzem grandes resultados em longo prazo. Algumas alternativas para ampliação de renda são: venda de cosméticos ou produtos por catálogo, criação de sites de internet e prestação de consultoria ou serviços especializados.

O segundo passo para tornar-se independente financeiramente consiste em controlar as despesas, o que exige especial disciplina para não se deixar levar pelas muitas tentações de consumo. Além da força de vontade, para um bom controle você deve anotar todas as despesas incorridas e assim ter a real dimensão de tudo o que foi gasto; evitar parcelamentos, em especial os que embutem juros etc. O autor lembra que alguns itens que muitas vezes parecem irrelevantes como despesas podem significar, em seu conjunto, gastos significativos, e é importante mantê-los sob controle. É o caso, por exemplo, das tarifas bancárias e dos planos de telefonia celular (pré ou pós-pagos).

O terceiro passo consiste em fazer orçamento mensal de sua renda e seus gastos. Esta recomendação, ainda que pareça trabalhosa e desnecessária, é de fundamental importância, pois permite visualizar tudo o que ocorreu na vida financeira naquele mês, bem como quanto foi o superávit (a sobra) ou o déficit (a falta) de dinheiro. Sugere-se anotar todas as despesas diariamente e transferi-las para uma planilha ou mesmo um caderno, somando-as no fim de cada mês (o texto traz modelos de tabelas diversas para auxiliar na tarefa).

Criado o superávit para aplicação, que é consequência dos passos anteriores, o quarto passo consiste em investir tal superávit no mercado financeiro a fim de conseguir receber juros que possibilitarão atingir o objetivo da independência financeira. As principais recomendações para investir são: compreender o produto financeiro de forma detalhada, em especial seu risco e sua possibilidade de ganhos; ser conservador com a maior parte dos seus recursos; e entender quanto tempo o seu dinheiro pode ficar retido, pois para cada prazo há um investimento mais adequado.

As principais modalidades de investimentos disponíveis no Brasil são: Certificado de Depósito Bancário (CDB); Caderneta de Poupança; Ações em Bolsa de Valores; Fundos de Investimento e suas principais modalidades; além dos Títulos Públicos emitidos pelo Governo.

O quinto passo da independência financeira consiste em acompanhar a evolução do seu patrimônio para garantir que suas metas estão sendo atingidas. O ideal é rever periodicamente se as metas de superávit foram cumpridas e certificar-se de que os juros recebidos no período foram superiores à inflação, obtendo juros reais positivos. Caso a rentabilidade da aplicação esteja permanentemente abaixo da inflação, faz-se necessário reverter esta aplicação para outra mais rentável, de forma a garantir o crescimento real do patrimônio.

Enfim, conquistar a independência financeira é possível para qualquer pessoa, porém exige comprometimento, disciplina e dedicação, sendo este o motivo que leva tantas pessoas a falharem. O esforço proposto nesse

...

Baixar como (para membros premium)  txt (10.6 Kb)  
Continuar por mais 6 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com