TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Comparativo Entre Alimentos Naturais E Industrializados

Artigos Científicos: Comparativo Entre Alimentos Naturais E Industrializados. Pesquise 784.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  22/4/2013  •  2.582 Palavras (11 Páginas)  •  1.921 Visualizações

Página 1 de 11

Comparativo entre alimentos naturais e industrializados

Os alimentos naturais frequentemente são vistos pelos consumidores como mais saudáveis e ricos em nutrientes. Já os industrializados muitas vezes têm uma imagem negativa, vinculada em especial a um alto teor de sódio e de calorias. Um estudo realizado por uma equipe de pesquisadores da Universidade College London, na capital britânica, indica que dietas ricas em alimentos industrializados aumentam o risco de depressão. É indiscutível que atualmente muitas pessoas buscam uma alimentação mais saudável. No entanto, nem todo mundo tem tempo ou dinheiro para comprar e preparar diariamente alimentos frescos. Os processados ajudam a resolver esse dilema, afirmou Meijer, pois são feitos com “com segurança, apelo” e com técnicas que podem “deixar o produto mais saudável”.

O Alimento Natural:

A expressão “alimento natural” vem sendo utilizada frequentemente com significados distintos. Sem discriminação, a naturalidade nos alimentos toma variadas formas.

A legislação brasileira informa o que é o alimento in natura: “todo alimento de origem vegetal ou animal, para cujo consumo imediato se exija apenas, a remoção da parte não comestível e os tratamentos indicados para a sua perfeita higienização e conservação” .

Pela perspectiva acadêmica, tem-se o conceito técnico de alimento natural, como estabelecem Rozin e colaboradores: “por item natural quer-se dizer aquele que não foi mudado de nenhuma forma significativa pelo contato com humanos. Ele pode ser colhido e transportado, mas tem sua essência quimicamente idêntica ao mesmo item em seu lugar natural”.

O Alimento Industrializado:

O consumidor conhece apenas parte da evolução dos alimentos para um status industrializado.

Durante essa evolução, o papel das indústrias alimentares modificou-se e o alimento passou a se apresentar de duas formas: por um lado ele é artificial e por outro deve conservar um status natural. As indústrias recorrem a esse apelo do “natural” para manter uma conexão do alimento com a natureza, do ponto de vista do consumidor. Essa tática tenta contornar a

crítica que os consumidores fazem aos produtos industrializados, considerando-os insípidos, sem sabor, descaracterizados, entre outros .

Dessa forma, Lambert afirma que geralmente as pessoas analisam os ‘produtos industrializados’ como piores do que os ‘produtos naturais’.

Possivelmente a justificativa para tal afirmação seja que a industrialização provocou a perda das ‘referências’; o que não implica que os consumidores continuem precisando delas. São também fatores percebidos como ‘ruins’ nos alimentos industrializados os recursos de engordamento artificial de aves e do gado, os pesticidas no campo, os antibióticos e hormônios, aditivos químicos e ingredientes adicionados .

É interessante ressaltar que na legislação brasileira não há nenhum comentário sobre alimento industrializado, apenas a “produto alimentício”.

Essa pesquisa vem, então, buscar os conceitos apresentados por consumidores e especialistas, investigando o que pensam ser alimentos naturais e industrializados, e porque pensam dessa maneira. Além de examinar como o capital cultural interferiu nos conceitos apresentados

Alimento natural a partir da perspectiva dos especialistas.

Os especialistas apresentaram nove categorias conceituais para o alimento natural:

− Sem produtos químicos de forma geral (3 respostas);

− Sem sofrer qualquer tipo de processo, como, por exemplo, temperatura diferente;

− Não sofreu processo de industrialização (3);

− Está na sua forma in natura;

− Sem interferência humana;

− Sem adição de conservantes (3);

− Sem adição de nenhuma substância que não faça parte dele;

− Alimento cuja produção pode utilizar agrotóxico (2);

− Alimento saudável;

Alimento industrializado a partir da perspectiva dos especialistas:

O alimento industrializado foi apresentado pelos especialistas através de oito categorias:

− Processamento em escala industrial (7);

− Contém química (2);

− Um processo de transformação, mesmo que caseiro (2);

− Sofreu junção com outro tipo de produto;

− Qualquer produto enlatado ou engarrafado;

− Ter conservante (2);

− Sofreu processo de mudança de temperatura (2);

Alimento Industrializado não necessariamente elimina a naturalidade;

Assim como os alimentos naturais, os alimentos industrializados, na percepção dos

especialistas, também foram conceituados abrangentemente.

Aditivos Químicos:

Aditivos químicos como conservantes são... Substâncias químicas que retardam a proliferação das bactérias, e ou, inibem a oxidação dos alimentos ou outros produtos, por exemplo, assim como a baixa temperatura da geladeira, que é uma forma de conservação, baixa a multiplicação destes micro-organismos, algumas substâncias químicas possuem o mesmo efeito, matando as bactérias ou atrasando sua proliferação.

Exemplos de conservantes: sal, açúcar, nitratos, nitritos, compostos de potássio, álcool, CO2, etc... “Um aditivo alimentar é uma substância ou mistura delas, diferentes do alimento original e que estão presentes nesse alimento como o resultado de algum aspecto da produção, processamento, armazenagem ou empacotamento”. Esse termo não inclui contaminação acidental.

Os aditivos alimentares têm sido usados por séculos: nossos ancestrais usaram sal para preservar carnes e peixes; adicionaram ervas e temperos para melhorar o sabor dos alimentos; preservaram frutas com açúcares e conservaram pepinos e outros vegetais com vinagre. Entretanto,

...

Baixar como (para membros premium)  txt (17.7 Kb)  
Continuar por mais 10 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com