TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Curso De Corte Costura Tania Neiva Curso Ideal

Casos: Curso De Corte Costura Tania Neiva Curso Ideal. Pesquise 788.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  18/2/2015  •  6.236 Palavras (25 Páginas)  •  349 Visualizações

Página 1 de 25

Curso De Corte Costura tania neiva curso ideal

O que você irá aprender:

• Preparação do Tecido

• Estrutura dos Tecidos

• Dicas para compra de Tecidos

• Como reconhecer o Avesso e o Direito do Tecido

• Como Trabalhar com Tecidos Delicados, com Pêlos, Lisos e Transparentes, com Elastano, com Fios metálicos e Rendas

• Relação de Tecido, Agulha, Linha e Ponto

• Sobre o Risco e o Corte

• Sobre o Passar do Ferro

• Acabamentos Finos Manuais

• Acabamentos Finos a Máquina

• Princípios de Composição do Vestuário

• Etiqueta no Vestir

• Como reconhecer e adequar tipo de Silhueta

1. TECIDOS

O conhecimento do tecido é importante quando se vai montar uma peça. Use o conhecimento é adquirido na disciplina de Tecnologia Têxtil para escolher o melhor tecido para seus trabalhos. Não se esqueça de olhar a composição e anota-la na ficha técnica.

Urdume: fio vertical, paralelo á ourela, possui menos elasticidade. A roupa cortada no sentido do urdume é dita “cortada no fio”. Este sentido dá à roupa um aspecto menos volumoso.

Trama: sentido horizontal, perpendicular à ourela, possui mais elasticidade. Raramente se corta uma roupa na trama, com exceção dos tecidos que possuem barra neste sentido.

Viés: sentido diagonal em relação à ourela possui mais elasticidade que a trama. Uma peça cortada no sentido do viés tem o caimento mais suave.

PREPARAÇÃO DO TECIDO

Quando compramos um tecido geralmente os vendedores rasgam o mesmo puxando por uma das pontas e isso faz com que as beiradas fiquem desiguais, sendo preciso acertá-las.

1. Corte a ourela com a tesoura;

2. Puxe um fio do tecido;

3. Corte cuidadosamente ao longo do fio puxado até atingir a outra ourela.

O tecido também pode ter sofrido alguma distorção na fábrica, de modo que a trama e o urdume não estejam perfeitamente perpendiculares. Neste caso, é preciso fazer o alinhamento dos fios.

1. Coloque o tecido sobre uma superfície plana e dobre, juntando as ourelas. Se o tecido ficar enrugado, precisa ser acertado seguindo os passos seguintes.

2. Puxe o tecido no viés em todo o seu comprimento, até que fique alinhado;

3. Passe a ferro o tecido antes de cortar.

É muito importante tomar todos estes cuidados para corrigir as distorções do tecido antes de cortá-lo, porém, devemos ter conhecimento de que nem sempre é possível fazer tais correções. Alguns tecidos como os que possuem acabamento à prova d’água, vinco permanente ou forro colado, não permitem que seja feito este realinhamento da trama. No caso de tecidos que têm a tendência para encolher ou quando se tem a intenção de fazer uma peça com dois ou mais tecidos diferentes, é aconselhável molhar estes tecidos e deixá-los secar à sombra antes de cortar. Quando o tecido estiver muito enrugado é importante passar a ferro, para que não ocorra qualquer alteração do molde.

ESTRUTURA DOS TECIDOS

Todos os tecidos de tear são produzidos pelo entrelaçamento de dois tipos de fios: os da teia (dispostos no sentido do comprimento) e os da trama (no sentido da largura). Os fios da teia são dispostos perpendicularmente aos da trama. A estrutura do tecido pode ser modificada alterando o padrão de entrecruzamento da teia e da trama. Existem três tipos fundamentais de estruturas – tafetá, sarja e cetim -, sendo o restante, em sua maioria, variantes destes três tipos, com exceção da estruturaJacquard.

Devido à sua estrutura ou ao seu acabamento, os tecidos mais finos e delicados exigem cuidados especiais. O conhecimento das características destes tecidos é importante para determinar o modelo, o tipo de acabamento e os equipamentos e utensílios adequados.

Conhecer as principais estruturas dos tecidos é de grande utilidade para que você saiba identificar um tecido, mesmo que não haja nenhuma informação mais específica na etiqueta de fábrica, pois nomes dados aos tecidos variam muito de fabricante para fabricante. Saber qual a estrutura do tecido pode ser de grande utilidade para decidir a sua utilização, o seu manuseio e que tipos de acabamentos poderão ser feitos na peça a ser confeccionada.

Estrutura tafetá: esta é a estrutura mais simples, onde os fios da trama passam alternadamente sobre e sob os fios da teia. A tenacidade varia em função da resistência dos fios e da compacidade da sua estrutura. Exemplos: tafetá, musselina, voile, percal.

Estrutura sarja: é uma das estruturas fundamentais em que o fio da trama passa no mínimo sobre dois fios da teia e no máximo sobre quatro.Em cada nova passagem a trama avança uma unidade para a direita ou para a esquerda, formando uma estria em diagonal. Exemplos: sarja, gabardine, danine.

Estrutura cetim: cada fio da teia passa sobre quatro a oito fios da trama, numa disposição em zig-zag. Exemplos: cetim, peau de soie, sablé.

Estrutura jacquard: esta estrutura é conseguida por meio de uma mecânica Jacquard, que controla separadamente os fios da teia e da trama de modo a formar desenhos elaborados na superfície do tecido. Exemplos: damasco, brocado, tecidos para decoração.

Estrutura com pêlo: obtém-se acrescentando um fio de trama a uma estrutura de tafetá ou sarja. Este fio surge então no meio do tecido sob a forma de laçadas, que podem ser cortadas ou aparadas. Exemplos: veludo, pelúcia, imitação de peles.

Estrutura de brocado: nesta estrutura, um fio da trama forma um desenho sobre a superfície da estrutura de base. Este fio segue pelo avesso, de um desenho para o outro, sendo cortado no final da tecelagem. Exemplo: cambraia suíça.

Enredamento: esta estrutura forma nós nos pontos em que os fios se interceptam, formando uma teia. É a estrutura encontrada nas rendas em geral. Exemplos: tule, filó,

...

Baixar como (para membros premium)  txt (41 Kb)  
Continuar por mais 24 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com