TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

PROCESSO CONTÁBIL DE EMPRESA COMERCIAL

Ensaios: PROCESSO CONTÁBIL DE EMPRESA COMERCIAL. Pesquise 798.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  3/11/2013  •  2.284 Palavras (10 Páginas)  •  351 Visualizações

Página 1 de 10

1 INTRODUÇÃO

O desenvolvimento deste trabalho esta embasada em uma empresa de Sociedade Limitada, onde o ato constitutivo é o Contrato Social, e onde a empresa constituída, apresenta como denominação empresarial SOLUTION PRINT COMERCIO DE IMPRESSORAS LTDA, e tem por objeto comercial a venda de impressoras modelos multifuncional Print-100 e a Impressora jato de tinta Jet-300. Este trabalho também é fundamento paralelamente em um dos pilares da contabilidade, que é a INFORMAÇÃO, pois, abrir uma empresa no Brasil, muitas vezes parece um sofrimento. Mas a falta de conhecimento cria obstáculos desnecessários ao novo empreendedor. Em alguns casos até a vontade de desistir; por este motivo, os temas que vamos abordar são importantíssimos tanto para os futuros empresários quanto para os futuros contadores, que devem esclarecer, orientar e principalmente informar os seus clientes, dentro dos princípios da ética profissional.

DESENVOLVIMENTO

APLICAÇÃO FINANCEIRA

De modo geral é a aplicação financeira uma determinada modalidade de investimento com vistas à aquisição de lucro por meio da diferenciação de taxas de juros ou produção de bens ou serviços, bem como e tão somente, sua comercialização. No mercado financeiro, tal expressão é habitualmente atrelada às diversas possibilidades de investimentos oferecidas pelos bancos, corretoras e clube de investimentos, tais como fundos de renda fixa ou variável, cadernetas de poupança, fundos cambiais, ações, etc. Por ocasião da aplicação efetuamos a contabilização de transferência de numerário da conta banco, conta movimento ou caixa para a conta de aplicação correspondente ao tipo de aplicação efetuada.

A assimilação do rendimento de aplicação financeira deve ser feita observando-se o regime de competência. Assim, na data do balanço ou balancete, se existir saldo de aplicação financeira a ser resgatado nos períodos seguintes, o rendimento proporcional auferido até essa data deverá ser registrado em conta de resultado do período, em contrapartida à conta de aplicação. Ainda temos os juros compostos que são aqueles em que o juro do mês é incorporado ao capital, constituindo um novo capital a cada mês para o cálculo de novos juros. Esse tipo de rendimento é muito vantajoso, sendo utilizado pelo atual sistema financeiro. As instituições financeiras utilizam esse método de capitalização nas aplicações financeiras, como na elaboração de financiamentos.

AVALIAÇÃO DE ESTOQUE

Para determinar o custo de produtos estocados e destinados a venda é preciso considerar o valor pago na aquisição de tais mercadorias, deduzido o ICMS e acrescido das despesas relativas ao frete e seguro pagos pelo comprador. Tendo em vista que a empresa poderá adquirir um mesmo tipo de produto em datas diferentes, pagando por ele preços variados, o custo dessas mercadorias estocadas poderá ser determinado por meio dos seguintes critérios: inventário periódico, inventário permanente, avaliação de ativos: custo histórico, custo histórico corrigido, custo corrente, custo corrente corrigido, valores de saída, entre outros.

É necessário que alguns conceitos dos critérios acima expostos sejam efetivamente explicados, para que se possua um claro entendimento de como é importante a avaliação do estoque; então vejamos:

a) Inventário Periódico - Pelo sistema de inventário periódico, a empresa registra todas as suas compras durante o exercício em uma conta cumulativa, não apurando ou contabilizando o custo das mercadorias vendidas após cada venda. No final de cada exercício, é feito um inventário físico para apuração do estoque final, e o estoque somado as compras menos o estoque final encontrado representará o CMV.

b) Inventário Permanente - Dentro do sistema de inventário permanente, a empresa mantém um controle contínuo sobre as entradas e saídas de mercadorias (em quantidades e valores), de forma que a qualquer momento pode dispor da posição atualizada dos estoques e do custo das mercadorias vendidas.

c) Avaliação de Ativos - Quando se está falando em avaliação há necessidade de se pensar em dois fatores importantes: os itens monetários e os não monetários, pois estes irão se complementar. Avaliação, segundo Ferreira (1986:205) é o “ato ou efeito de avaliar; apreciação; análise; valor determinado pelos avaliadores”, dando uma noção mais restrita a itens monetários, enquanto mensuração, Ferreira (1986:1119) coloca que é o “ato de medir ou mensurar; medição; determinar a medida de...” enfatizando algo mais amplo englobando os itens monetários e não monetários.

Dentro da avaliação existem as seguintes formas:

Custo Histórico - Demonstra a realidade dos fatos, em termos de valor, somente na data de sua ocorrência, “É o valor original da transação, isto é, quanto custou à empresa adquirir um determinado ativo ou quanto custaram os insumos contidos no ativo, se foram fabricados”, Iudícibus & Marion, (1999:146).

Custo Histórico Corrigido - É caracterizado pela modificação do custo histórico, através de indicadores oficiais, os quais darão condições de trazer os valores mais próximos da realidade. As características do custo histórico corrigido são: o valor de aquisição será o mais atualizado; demonstra objetividade pois há condições de expor claramente os procedimentos utilizados; Haverá relevância na informação, chegando a atingir valores próximos ao que realmente representam.

Custo Corrente - segundo Edwards e Bell (1961), são definidos como “o custo corrente de aquisição dos inputs que a firma utilizou para produzir o elemento do ativo”. Martins (1972) aceita esta definição, mas propõe a substituição de verbo produzir pelo verbo possuir, sob a alegação de “a soma de inputs nos leva a situação de diferenciarmos a: a) quando a empresa fabricou o ativo, o seu custo corrente é a soma dos custos correntes dos fatores que entraram na sua produção. b) quando a empresa comprou o ativo é o custo corrente de adquiri-lo”.

Custo Corrente Corrigido – é um ajustamento do Custo Corrente, por um coeficiente de variação do Índice Geral de Preço (IGP) ou outro índice específico; Para alguns pesquisadores é talvez

...

Baixar como (para membros premium)  txt (15.8 Kb)  
Continuar por mais 9 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com