TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Iniciação à Filosofia, De Marilena Chauí

Por:   •  27/1/2014  •  1.817 Palavras (8 Páginas)  •  2.182 Visualizações

Página 1 de 8

QUESTÕES:

1- QUAIS OS PRINCIPAIS PERÍODOS DA FILOFIA GREGA?

RESPOSTA: Período pré-socrático ou Cosmológico, do fim do século VII a. C. ao fim do século V a. C., quando a filosofia se ocupa fundamentalmente com a origem do mundo e as causas das transformações na natureza.

Período socrático ou Antropológico, do fim do século V a. C. a todo o século IV a. C., quando a filosofia investiga as questões humanas, isto é, a ética, a política e as técnicas, e busca compreender qual é o lugar do homem no mundo.

Período sistemático, do fim do século IV A.C. ao fim do século III a. C., quando a filosofia busca reunir e sistematizar tudo quanto foi pensado pela cosmologia e pelas investigações sobre a ação humana na ética, na política e nas técnicas.

Período Helenístico ou Greco-romano, do fim do século III a.C. ao século VI d.C. Nesse longo período, que abrange a época do domínio mundial de Roma e do surgimento do cristianismo, a filosofia se ocupa sobretudo com as questões da ética, do conhecimento humano e das relações entre o homem e a natureza, e de ambos com Deus.

2- QUAIS OS PRINCIPAIS TRAÇOS DA COSMOLOGIA PRÉ – SOCRÁTICO? ESCOLHA UM DELES E EXPLIQUE-O.

RESPOSTA: O principal traço da cosmologia pré-socrática é o seu materialismo primitivo. A filosofia pré-socrática, não obstante a simplicidade do seu tema especulativo e o primitivismo materialista de muitas das suas concepções, adquiriu pela primeira vez para a especulação a possibilidade de conceber a natureza como um mundo e pôs como fundamento desta possibilidade a substância, concebida como princípio do ser e do devir.

Escolho Anaximandro. Ele foi o primeiro a designar a substância única com o nome de principio e reconhecia este principio não na água ou no ar ou em qualquer outro elemento particular, mas no infinito, isto é, na quantidade infinita da matéria, de que todas as coisas tiram a sua origem e em que todas as coisas se dissolvem quando termina o ciclo que lhe foi estabelecido- por uma lei necessária.

3- O QUE É KÍNESIS OU O DEVIR? POR QUE ESSA IDEIA É CENTRAL NO PENSAMENTO PRÉ-SOCRÁTICO?

RESPOSTA: Kínesis vocábulo que significa “movimento”. Por movimento, os gregos não entendem apenas a mudança de lugar ou a locomoção, mas toda e qualquer alteração ou mudança qualitativa e / ou quantitativa de um ser, bem como seu nascimento e seu perecimento. O devir é o admitir do mundo como uma mudança constante em todos os seus aspectos. Os Filósofos pré-socráticos jônios aceitaram o devir e procuraram encontrar na natureza a sua substância reguladora, os filósofos pré-socráticos negaram e devir e afirmaram a unicidade do Ser sob várias maneiras.

4- O QUE ENSINAVAM OS SOFISTAS?

RESPOSTA:

=> O desenvolvimento da reflexão e o ensino da retórica, em princípio a partir do século I d.C., Na prática a partir do século II, no Império romano.

=> A principal doutrina sofística consiste, em uma visão relativa de mundo (o que os contrapõe a Sócrates que, sem negar a existência de coisas relativas buscava verdades universais e necessárias). A principal doutrina sofística pode ser expressa pela máxima de Protágoras: "O homem é a medida de todas as coisas".

=> Tal máxima expressa o sentido de que não é o ser humano quem tem de se moldar a padrões externos a si, que sejam impostos por qualquer coisa que não seja o próprio ser humano, e sim o próprio ser humano deve moldar-se segundo a sua liberdade.

Outro sofista famoso foi Górgias de Leontini, que afirmava que o 'ser' não existia. Segundo Górgias, mesmo que se admitisse que o 'ser' exista, é impossível captá-lo. Mesmo que isso fosse possível, não seria possível enunciá-lo de modo verdadeiro e, portanto, seria sempre impossível qualquer conhecimento sobre o 'ser'.

5- O QUE PROPUNHA SÓCRATES CONTRA OS SOFISTAS?

RESPOSTA: Os sofistas cobravam por seus ensinamentos, e Sócrates era um pensador do povo, não acreditava na cidadania imposto naquele período, em que se limitava o saber.

Os Sofistas eram considerados sábios itinerantes, que vinham de lugares distantes de Atenas, Recantos da Grécia. Os sofistas pregaram uma nova forma de conceber a cidadania Ateniense, a qual dizia que todos os que representavam segurança para a cidade (guerreiros) e tivessem habilidades para os jogos, poderiam participar das assembleias, ou seja, eram cidadãos; a partir dos sofistas, junto com Sócrates a cidadania ganhou outra ideia,

...

Baixar como (para membros premium)  txt (11.6 Kb)  
Continuar por mais 7 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com