TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

A Geologia Deriva Continental

Por:   •  8/10/2019  •  Trabalho acadêmico  •  902 Palavras (4 Páginas)  •  5 Visualizações

Página 1 de 4

Arthur Schmidt Gerba, 11/09/2019

Geologia Deriva Continental

  1. Foi uma teoria criada pelo geólogo e meteorologista alemão Alfred Wegener, onde observou através de pesquisas que na formação dos continentes no planeta Terra, havia uma única massa continental, a qual ele chamou de Pangeia. Wegener também observou a presença de um único oceano, o qual denominou Pantalassa.
  2. A descoberta sobre a Pangéia foi realizada em 1915 por Wegener. Já a descoberta sobre a Gondwana foi realizada por Eduard Suess no século XIX.
  3. Wegener constatou que a Terra não é estática, assim como percebeu que a costa da Africa possuía contorno que encaixava com a costa da America do Sul. Outro vestígio foi a descoberta de fósseis de animais de mesma espécie em continentes diferentes.
  4. A questão que Wegener não pode responder foi qual o tipo de força seria capaz de movimentar as massas continentais.
  5. As ”chaves” foram as similaridades marcantes entre as rochas, as estruturas geológicas e os fósseis dos lados opostos do Atlântico.
  6. O postulado de Wegener ganhou importância quando os defensores da hipótese da deriva mostraram não apenas o encaixe geográfico, mas também as similaridades geológicas das idades das rochas e das orientações das estruturas geológicas nos lados opostos do Atlântico. Eles também apresentaram argumentos, aceitos até hoje como boas evidências da deriva, baseados em fósseis e dados climatológicos. Mostrando assim que Wegener tinha errado a teoria sobre a força que movimentava as massas continentas porém acertou ao constatar que elas se movimentavam.
  7. O ambiente magmático tem por sua característica altas temperaturas, variando entre 500 e 1500 graus celsius, levando a formação de magmas pelas variações na pressão e pela variação limitada na composição química.

Já o ambiente sedimentar é caracterizado por temperaturas moderadas ou baixas, entre 0 e 40 graus celsius, com uma pressão praticamente constante e uma alta variabilidade na composição química.

Com grande variabilidade de pressões e temperaturas, porém com temperaturas não tão elevadas como no magmático, o ambiente metamórfico não passa de 800 graus celsius.

  1. O ambiente magmático tem por sua característica altas temperaturas, variando entre 500 e 1500 graus celsius, levando a formação de magmas pelas variações na pressão e pela variação limitada na composição química.

Já o ambiente sedimentar é caracterizado por temperaturas moderadas ou baixas, entre 0 e 40 graus celsius, com uma pressão praticamente constante e uma alta variabilidade na composição química.

Com grande variabilidade de pressões e temperaturas, porém com temperaturas não tão elevadas como no magmático, o ambiente metamórfico não passa de 800 graus celsius.

  1. Um limite divergente ocasiona quando há o afastamento de placas tectônicas se movendo em direções contrarias, com isso, se tem a adição de mágma à superfícia terrestre neste ponto. O magma ascende por um espaço que existe entra as placas, denominado por rifte. Um exemplo é o afastamento das placas Sul-americana e Africana no meio do Oceano Atlântico.

      b)Nos limites transformantes, não há choque nem afastamento das placas, e sim um movimento horizontal entre elas. Um dos exemplos mais famosos que seria a falha de San Andreas, nos Estados Unidos.

       c) Quando este tipo de limite ocorre em oceanos, há a criação de gigantescas cordilheiras submersas, conhecidas como dorsais oceânicas. A mais famosa é a dorsal mesoatlântica.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (5.8 Kb)   pdf (67.3 Kb)   docx (9.7 Kb)  
Continuar por mais 3 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com