TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

A crise de 29. O fim da 1° Guerra mundial (1914-1918)

Pesquisas Acadêmicas: A crise de 29. O fim da 1° Guerra mundial (1914-1918). Pesquise 791.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  28/2/2014  •  Pesquisas Acadêmicas  •  2.026 Palavras (9 Páginas)  •  234 Visualizações

Página 1 de 9

A crise de 29

O fim da 1° Guerra mundial (19141918)

colocou os Estados Unidos em um novo

panorama econômico. De maior devedora a economia norte americana

se transformou

na principal credora da economia mundial . Além disso, expandiu o seu parque industrial

ao ponto de reter em suas mãos praticamente um terço de todos os produtos

industrializados que corriam o mundo . Mediante tanta prosperidade , vemos que

imigrantes de todo o mundo buscam viver o tal "American way of life" O momento de

expansão e euforia acabou se refletindo no comportamento do mercado de ações

daquele país . Cidadãos das mais variadas classes sociais sonhavam em ascender

socialmente investindo grande parte de suas economias no setor de ações. Esperando

que a economia sustentasse patamares de crescimento constante , vemos que a

população norteamericana

parecia realmente viver um sonho, a ilusão de que seu país

não mais reconhecia limites.

Acreditando piamente nos princípios do liberalismo clássico , os governantes norte americanos

não enxergam a necessidade de interferir nessa incessante onda

especulativa . Com o passar do tempo a capacidade de consumo dos norteamericanos

passou a ser superada pela enorme quantidade de mercadorias produzidas pelas

indústrias . No entanto, a despeito dessa tendência, as bolsas de valores insuflavam a

especulação financeira sobre empresas que só ampliavam suas vendas e mercados.

Contudo , já em 1928, o estouro dessa bolha financeira começou a se manifestar quando

o preço das mercadorias acumuladas começou a despencar e as empresas se viram

forçadas a reduzir seu quadro de funcionários. Já no seguinte, muitos investidores se

desesperavam tentando realizar a venda de suas ações para outros possíveis

investidores . No dia 24 de outubro daquele ano , uma avalanche de ofertas e a ausência

de compradores sentenciaram a quebra da Bolsa de Nova York.

Do dia para a noite , investidores milionários perderam tudo o que tinham em ações sem

2

o menor poder de compra . A situação caótica levou muitos deles a subir no alto dos

prédios e dar fim às suas próprias vidas . Milhares de trabalhadores perderam os seus

empregos e nações que dependiam do investimento norte americano

viram a sua

própria ruína . Na projeção de um incrível efeito dominó , diversas economias do mundo se

viram gravemente prejudicadas.

Visando uma solução para o problema, o eleitorado norte americano

promoveu a vitória

do democrata Franklin Delano Roosevelt para a presidência. Sob a sua tutela, a

economia norte americana

revisou os princípios liberais e empreendeu a intervenção do

Estado na economia com a criação do New Deal . No outro lado do Atlântico, vimos a

ascensão de regimes totalitários que negavam o capitalismo através da instalação de

governos fortemente centralizados.

3

A crise de 29

O fim da 1° Guerra mundial (19141918)

colocou os Estados Unidos em um novo

panorama econômico. De maior devedora a economia norte americana

se transformou

na principal credora da economia mundial . Além disso, expandiu o seu parque industrial

ao ponto de reter em suas mãos praticamente um terço de todos os produtos

industrializados que corriam o mundo . Mediante tanta prosperidade , vemos que

imigrantes de todo o mundo buscam viver o tal "American way of life" O momento de

expansão e euforia acabou se refletindo no comportamento do mercado de ações

daquele país . Cidadãos das mais variadas classes sociais sonhavam em ascender

socialmente investindo grande parte de suas economias no setor de ações. Esperando

que a economia sustentasse patamares de crescimento constante , vemos que a

população norteamericana

parecia realmente viver um sonho, a ilusão de que seu país

não mais reconhecia limites.

Acreditando piamente nos princípios do liberalismo clássico , os governantes norte americanos

não enxergam a necessidade de interferir nessa incessante onda

especulativa . Com o passar do tempo a capacidade de consumo dos norteamericanos

passou a ser superada pela enorme quantidade de mercadorias produzidas pelas

indústrias . No entanto, a despeito dessa tendência, as bolsas de valores insuflavam a

especulação financeira sobre empresas que só ampliavam suas vendas e mercados.

Contudo , já em 1928, o estouro dessa bolha financeira começou a se manifestar quando

o preço das mercadorias acumuladas começou a despencar e as empresas

...

Baixar como (para membros premium)  txt (14.1 Kb)  
Continuar por mais 8 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com