TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Relação do trabalho escravo no período colonial na América portuguesa

Por:   •  13/4/2019  •  Projeto de pesquisa  •  584 Palavras (3 Páginas)  •  23 Visualizações

Página 1 de 3

Logo após a chegada de Cabral, por meio do século XVI, alguns navios atracaram ao solo brasileiro com os primeiros escravos traficados da África. A partir desse momento, a escravidão foi se mostrando um dos instrumentos indispensáveis para o lucro nas atividades econômicas da época, como também se tornou substancial nos trabalhos familiares.

Os africanos já mantinham um sistema escravocrata, e mantinham uma troca de produtos supérfluos (aos olhos dos portugueses) por escravos. Já no Brasil, eles faziam todo tipo de trabalho. Existiam alguns tipos de escravos, como:

Tigres: que faziam o sanemento básico, quando a situação estava precária.

Escravos domésticos: aqueles que trabalhavam nas casas.

Escravos de ganho: eram aqueles escravos que tinham sua própria autonomia, por isso, eles andavam pela cidade demonstrando essa liberdade que era concedida.

Alguns senhores, possuiam uma confiança em seus escravos ao ponto de dar a responsabilidade à alguns deles para circularem nas ruas vendendo seus produtos, sendo que quando recebiam os lucros deveriam dar uma porcentagem ao senhor. Eles vendiam produtos como: doces, refrescos, frutas, aves, ovos, roupas, chaleiras, poções do amor, entre outros. Ou também poderiam atuar em serviços como: barbeiro, carregadores, ferreiros com o intuito de conseguirem a carta de alforria, entretanto, sabendo que perderiam a porcentagem ganha, os senhores aumentavam as exigências fazendo com que conseguissem a carta minutos antes de morrer ou com a função de continuarem trabalhando para seus senhores.

A economia se voltava ao trabalho escravo com a produção do açúcar que era feita nos engenhos, local onde os escravos trabalhavam e moravam, já que a senzalas eram localizadas dentro dos engenhos. Muitos escravos apresentavam resistências e acabavam fugindo. Quando fugiam, tinha os capitões do mato, que era escravos libertados e tinham a responsabilidade de capturar todos os fugitivos.

Os quilombos era o local onde os escravos que fugiam de engenhos e fazendas ficavam presos, o quilombo que ficou mais conhecido foi o Quilombo dos Palmares.

Como uma forma de controle, os senhores mantinham um ''salário'' para os capitões, e assim, eles alegavam que nem todos os negros eram inferiores na sociedade. Outra forma de controle era as intimidadoras físicas, que recebiam uma recompensa por  realizar o desejo do senhor.

A capoeira surguiu nessa época e é uma luta, que também uma dança que não era aceita pelas pessoas de elite. Sendo uma mistura de culturas, ritmos e línguas. Surgiu para a segurança dos quilombos que era o local onde os escravos que fugiam de engenhos e fazendas ficavam presos, o quilombo que ficou mais conhecido foi o Quilombo dos Palmares, graças a essa técnica de defesa.

Quilombo dos Palmares, foi criado no final so século XVI, porém só foi erguido em meados do século XVII, era um local de abrigo para os fugitivos que não eram capturados pelos capitões do mato. Viviam lá: mulheres, escravos, crianças, plantavam: milho, feijão, mandioca, cana-de-açúcar, vivendo assim da caça. Em 1634, estava com 30 mil habitantes e era considerado uma cidade, mantendo uma sociedade onde os mais velhos tinham sabedoria, havia poucas mulheres e as que moravam lá eram consideradas chefes da família, cordenando o trabalho agrícola, distruibuindo cada função.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (3.8 Kb)   pdf (37.4 Kb)   docx (8 Kb)  
Continuar por mais 2 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com