TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

PSICOLOGIA SOCIAL

Por:   •  23/8/2013  •  1.594 Palavras (7 Páginas)  •  104 Visualizações

Página 1 de 7

PSICOLOGIA SOCIAL

1 INTRODUÇÃO

Psicologia Social é o termo usado para unir a psicologia às ciências sociais, (sociologia, antropologia, ciência política). É geralmente considerada uma ciência americana, pelo fato de ter sido nos EUA seu maior desenvolvimento e exploração. Em sua trajetória sofreu muitas transformações. O objetivo desse trabalho é enfatizar : conceito, história, e fatos que marcaram o caminho dessa psicologia tão abrangente.

2 PRIMÓRDIOS

Muitos foram os estudiosos que em tempos remotos já mencionavam o sentido dessa psicologia. Queremos evidenciar alguns dos inúmeros psicólogos e sociólogos que iniciaram essa vertente.

2.1 EUROPA

Na segunda metade do século XIX, quando se começa a colocar o problema social, na Alemanha, um conjunto de autores desenvolveram um trabalho numa área que ficou conhecida como Völkerpsichologie, Psicologia Dos Povos. Aqui fica claro que o problema social é muito antigo, e que nessa época já havia rumores sobre essa problemática.

2.2 PSICÓLOGOS, SOCIÓLOGOS E PRIMEIRAS PUBLICAÇÕES

Wilhem Wundt, fundador do primeiro laboratório de Psicologia experimental (Leipzig 1875), parecia cavar em ambos os campos publicando um trabalho com o título “Elementos da Psicologia dos Povos(FARINHA, 2005).

William McDougall, um dos primeiros psicólogos a abordar cientificamente o objeto de estudo da Psicologia Social, que ficou marcado por sua obra “An Introduction to Social Psichology” (Uma introdução a Psicologia Social)(FARINHA, 2005).

James M. Baldwin, publicou “The Individual and Society” (O indivíduo e a Sociedade), que de certa forma definiu e legitimou o espaço e a importância da Psicologia Social no âmbito das Ciências Sociais. O termo Psicologia Social parece ter sido usado pela primeira vez nos seus trabalhos sobre o desenvolvimento moral e social da criança. (FARINHA, 2005).

Durkheim, sociólogo, também contribuiu muito para a psicologia com as ideias de consciência coletiva, socialização e fatos sociais, esses processos servem para nos orientar em como devemos ser, sentir e nos comportar.

3 A PSICOLOGIA SOCIAL NORTE-AMERICANA

Ao pesquisarmos é possível constatar que psicólogos como McDougall e Baldwin, são de origem europeia, e surge um questionamento: se a Psicologia Social tinha maior expansão nos EUA, porque uma grande parte dos psicólogos que estudaram e desenvolveram esse tema são europeus? Do ano de 1939 a 1949, o mundo foi marcado por um conflito militar global que envolveu a maioria das nações do mundo. E ao mesmo tempo que provocava a paralisia das ciências sociais na Europa, favorecia o aparecimento nos Estados Unidos. Alguns desses psicólogos foram refugiados em solo norte-americano por serem de origem judaica, portanto perseguidos pelos regimes totalitários que se expandia cada vez mais na Europa, esse período cultural, histórico e econômico favoreceu ao desenvolvimento dessa vertente como disciplina científica autônoma (FARINHA, 2005).

Nos EUA, essa disciplina foi se tornando cada vez mais funcionalista, estudava o comportamento em interação e quando não estava interação, separando o homem da sociedade como se fosse possível. Nessa época estudos como de atitudes, percepção social, dinâmicas de grupo foram trabalhados, claro que com o fim de favorecer aquela sociedade da época. Muitos acreditam ser a Psicologia Social uma ciência americana, devido ao fato de ter sido nos EUA, que essa ciência teve um crescimento mais expressivo tanto em termos científicos como em relação ao seu impacto social e cultural, porém ela já vinha sendo trabalhada na Europa, e por conta de guerra foi estudada nos Estados Unidos. Usaremos para melhor compreensão uma metáfora agrícola: A América forneceu o solo adequado para o nascimento e crescimento da psicologia social, mais as sementes mais importantes vieram da Europa. A psicologia social estudada nessas condições tinha forte influência do behaviorismo, isto é, se limitava a estudar conexões observáveis entre estímulo e resposta, o ambiente social era o estímulo, e o comportamento a resposta. Sempre visando os resultados desses comportamentos quando na presença de outrem ou não (FARINHA, 2005).

4 CRISE

“[...] as análises críticas apontavam para uma crise do conhecimento psicossocial que não conseguia intervir nem explicar, muito menos prever comportamentos sociais”. (LANE, 1984)

Nos anos 60 críticas desencadearam a crise da psicologia social, que foi motivada pela individualização da psicologia social psicológica. Vários psicólogos

...

Baixar como (para membros premium)  txt (11.6 Kb)  
Continuar por mais 6 páginas »