TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Mico Leão Dourado

Por:   •  12/6/2015  •  Trabalho acadêmico  •  2.883 Palavras (12 Páginas)  •  683 Visualizações

Página 1 de 12

INTRODUÇÃO

Existem inúmeros grupos na classe Mammalia, mas o grupo Primates é considerado a primeira ordem na classificação zoológica, sendo o mais evoluído no Reino Animal. A maioria dos indivíduos dessa ordem se encontram em regiões tropicais ou semitropicais da América, Ásia e África. Há aproximadamente 118 espécies de primatas distribuídas pelo Brasil.

Uma das características mais importantes dessa ordem é a adaptabilidade diante de grandes mudanças do meio. Essa é uma das razões do seu sucesso evolucionário. Outro aspecto geral dessa ordem é o fato de que todos os indivíduos têm adaptações físicas para se locomover entre as árvores. Esta locomoção varia entre saltos, bipedalismo, quadrupedalismo ou nodopedalia e o andar arbícola (braquiação). A maioria das espécies possuem maior acurácia nos sentidos da visão e do olfato.

Algumas linhagens desenvolveram peculiaridades como a visão tricromática, polegar opositor e cauda preênsil. Já a estrutura social dos primatas não-humanos, segundo Richard Wrangham, é melhor classificada de acordo com os movimentos migratórios das fêmeas entre os grupos (sistemas patrifocais, matrifocais, monogâmicos e espécies solitárias).

Essa ordem é dividida em dois grandes grupos:

Prossímios 

Grupo no qual o Mico-Leão-Dourado se enquadra. São primatas mais primitivos, com olhos grandes e arredondados e visão binocular estereoscópica adaptada à visão noturna. A face é coberta por pelos curtos, e a pelagem é macia e lanosa. Com exceções, possuem hábitos gregários. O encéfalo apresenta maior volume, o que implica maior complexidade neurológica de coordenação.  

Antropoides

São divididos em Primatas do Novo Mundo (cebídeos, calicebídeos e calitriquídeos) e Primatas do Velho Mundo (pongídeos, cercopitecídeos, colobídeos e hylobatídeos). As principais características desse grupo são o encéfalo desenvolvido e os membros longos.

Através da possível árvore filogenética dos antropoides, observamos que os prossímios, hylobatídeos, pongídeos e hominídeos tiveram um ancestral em comum, em que o início da árvore genealógica é representado pelos prossímios primitivos.

A ESPÉCIE

Endêmico das florestas tropicais de baixada da região costeira do estado do Rio de Janeiro, o Mico-Leão-Dourado, conhecido primeiramente como sauí-piranga, despertam grande interesse científico pelas suas peculiaridades reprodutivas e adaptações anatômicas. Estão entre as maiores espécies de saguis.

Apresentam dedos longos, característica oriunda de uma adaptação para a procuras de presas específicas escondidas em orifícios de troncos, galhos e cipós. Dispõem também de garras ao invés de unhas. Seu crânio é pequeno, com a maxila pouco proeminente quando comparado a macacos do mesmo gênero. Normalmente. São agressivos com indivíduos que não são do mesmo grupo.

No passado, as espécies do gênero Leontopithecus eram associadas com vegetação primária, sendo que atualmente elas ocorrem praticamente em áreas de vegetação secundária. Os locais de dormida são mais comuns em ocos de árvore. Cada grupo utiliza em média uma área entre 50  a 80 hectares, a chamada área de ação.

 O Sistema social dessa espécie é familiar, composta por dois até dez indivíduos, e territorialista com cuidados cooperativos em relação à prole. Isso pode estar correlacionado com o fato de que 90% dos partos serem de gêmeos. Todos na família compartilham a responsabilidade de tomar conta dos novos filhotes, desde levando-os nas costas até fornecer diretamente o alimento. A monogamia é predominante.

FICHA TÉCNICA DA ESPÉCIE Leontophitecus rosalia

Reino

Animalia

Longevidade em Cativeiro

Até 15 anos

Classe

Mammalia

Maturidade

Fêmea: 18 meses

Macho: 24 meses

Ordem

Primates

Época Reprodutiva

Setembro a marco

Subfamília

Callitrichidae

Gestação

125 a 132 dias

Gênero

Leontophitecus

Nº de Filhotes

1 a 3

Espécie

rosalia

Peso Adulto

400 a 800g

Nome científico

Leontopithecus rosalia

Peso do filhote

25% do peso da progenitora

Família

Cebidae

Tamanho

25 a 30cm

Região de Origem

Brasil - Rio de Janeiro

Pelagem

Longa e densa, especialmente na cabeça, dando um aspecto de juba

Alimentação

Onívoros

Cor da pelagem

Dourado a alaranjado

Fórmula Dentária

2.1.3.2  x 2 = 32[pic 1]

2.1.3.2

Largura das Órbitas

Fêmea: 13,30

Macho: 13,21

Hábito

Diurno

Quantidade de Cromossomos

46

Principais Predadores

Aves de rapina, Jaguatiricas, Jiboias e Corujas (filhotes)

Vocalizações

“ganidos” , “cacarejos”, “trinados” e sons não- tonais, com componentes ultrassônicos.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (22.4 Kb)   pdf (203.2 Kb)   docx (24.8 Kb)  
Continuar por mais 11 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com