TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

CORROSÃO ASSOCIADA AO ETANOL E SUAS MISTURAS COM GASOLINA E DIESEL

Por:   •  14/3/2016  •  Trabalho acadêmico  •  515 Palavras (3 Páginas)  •  439 Visualizações

Página 1 de 3

    CORROSÃO ASSOCIADA AO ETANOL E SUAS MISTURAS COM GASOLINA E DIESEL

No Brasil desde 1931 é utilizado o Etanol misturado a gasolina como combustível, no início essa mistura era de 5% e hoje essa mistura é em média 25%, e em alguns países, além da mistura do etanol na gasolina, também é utilizado no diesel mineral.

O álcool etílico hidratado combustível (AEHC) é obtido principalmente da cana-de-açúcar com pureza na faixa de 92,6 – 94,7% e conteúdo de água de 5,3 – 7,4%. A qualidade do etanol é um aspecto de suma importância no seu efeito corrosivo, já que ele puro não ocasiona corrosão, mas algumas impurezas presentes em determinados aditivos são responsável por essa corrosão.

Em primeiros estudos, foram feitos ensaios de imersão de diferentes materiais metálicos, e os resultados desses estudos indicaram o pH como um fator determinante da corrosão, e os íons, cloreto, sulfato, acetato e água como principais impurezas associadas a corrosão. Verificou-se a necessidade de substituição de vários materiais e também uso de inibidores foi proposto na mistura álcool-gasolina. Mais de 300 componentes de veículos leves foram substituídos e os problemas de corrosão diminuíram.  

Também foi proposto o uso de técnicas eletroquímicas para a avaliação da corrosão na mistura etanol-diesel e etanol-gasolina, então, confirmaram-se influência de impurezas presentes no álcool sobre sua corrosidade. Verificou-se aço inoxidável, aço comum e uma liga Fe-Cr e a taxa de corrosão aumenta com a diminuição da quantidade de álcool e com o aumento da quantidade de Cr presente no material.

As ligas imersas em gasolina não sofreram nenhum processo corrosivo. A corrosão do zinco em diferentes soluções de água destilada e álcool, em diferentes temperaturas, também foi avaliada através de medidas polarização potenciodinâmica. Os resultados indicaram que a corrosão aumenta com o aumento da temperatura e diminui com o aumento da concentração do álcool.

Há alguns anos, determinou-se que a presença de cloro e água no álcool etílico aumenta significativamente o processo corrosivo em aço carbono, devido ao mesmo estar associado a alta condutividade, baixo pH e alta massa            

A corrosão sob tensão fraturante também foi determinada em soluções alcoólicas  através das técnicas eletroquímicas e determinou-se que oxigênio e cloretos são os principais fatores que afetam a corrosão sob  tensão fraturante de aço em etanol.

Foram avaliadas ligas de alumínio, uma pura e outra coberta com aço carbono e ferro através da polarização potenciodinamica cíclica, apenas uma não foi compatível, as outras apresentaram resistência a corrosão.

Para misturas de álcool-gasolina, determinou-se que a taxa de desgaste de um aço é proporcional à sua taxa de corrosão, que atinge um valor máximo quando a mistura contém 20% de álcool. A temperatura de ebulição das misturas parece ser um fator crítico ao processo corrosivo de ligas de Al, embora o fator principal seja a temperatura.

A avaliação do efeito corrosivo de misturas etanol/diesel sobre diversos materiais constituintes de veículos a diesel e de tanques de armazenamento através de ensaios de imersão indicou que apenas as ligas de cobre apresentaram oxidação superficial.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (3.3 Kb)   pdf (50 Kb)   docx (9.4 Kb)  
Continuar por mais 2 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com