TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

ANÁLISE DO EFEITO DAS CONCENTRAÇÕES DOS REAGENTES E DA TEMPERATURA NA VELOCIDADE DE UMA REAÇÃO QUÍMICA

Por:   •  28/4/2018  •  Relatório de pesquisa  •  634 Palavras (3 Páginas)  •  200 Visualizações

Página 1 de 3

[pic 1]

ANÁLISE DO EFEITO DAS CONCENTRAÇÕES DOS REAGENTES E DA TEMPERATURA NA VELOCIADE DE UMA REAÇÃO QUÍMICA

Resumo: O estudo das reações químicas tem o ramo da Cinética Química. Esse ramo é responsável pelo estudo da velocidade com que as reações ocorrem, já que existem fatores aceleradores (a platina é um bom exemplo, ela é um ótimo catalisador) e inibidores em uma reação, além das propriedades dos próprios reagentes influenciarem na velocidade. Nesse experimento foram testados os fatores de concentração de reagentes e medido o tempo necessário para que a reação ocorresse, além disso, a temperatura em outro experimento foi devidamente analisada para que pudéssemos enxergar qual seu papel na velocidade das reações químicas, e assim compreender a cinética química.

Resultados:

Dados gerais:

  • Concentração inicial de KIO3: 0,018mol/L;
  • Equação de Arrhenius: ;[pic 2]
  • K=A.e-Ea/RT;
  • K é proporcional ao inverso do tempo: ln (1/t) =ln (A)-Ea/RT.

        Quando tratamos de cinética química, nos preocupamos em determinar, que fatores influenciam ou inibem a reação, ou seja, fatores que aumentam ou diminuem a velocidade de reação. Por exemplo, quando usamos catalisadores, aumentamos a área de contato, em certos casos aumentamos a concentração de determinados reagente, ou aumentamos a temperatura, a velocidade de reação tende a diminuir, porém quando usamos agentes inibidores, diminuímos a temperatura da reação e a velocidade da reação tende a aumentar.

        Veremos tal efeito nitidamente nos gráficos e tabelas a seguir:

[pic 3]

Tabela 1 – Volume de cada espécie em relação ao tempo

Tubo 1

Tubo 2

[KIO3] corrig.

Tempo (s)

V KIO3 (mL)

V H2O (mL)

V NaHSO3 (mL)

 

 

 

10,0

0,0

10,0

0,0093

42,97

 

9,0

1,0

10,0

0,0084

46,65

8,0

2,0

10,0

0,0075

53,37

7,0

3,0

10,0

0,0065

61,94

 

6,0

4,0

10,0

0,0056

77,87

 

5,0

5,0

10,0

0,0047

107,57

 

4,0

6,0

10,0

0,0037

150,81

 

3,0

7,0

10,0

0,0028

230,82

 

[pic 4][pic 5][pic 6]

Gráfico 1 – Concentração de KIO3 em função do tempo

Tabela 2 - Logaritmo de (1/t) em função do logaritmo da concentração de KIO3

log [KIO3]

log (1/t)

-2,045

-1,428

-2,091

-1,525

-2,142

-1,593

-2,200

-1,703

-2,267

-1,809

-2,346

-1,931

-2,443

-2,102

-2,568

-2,327

[pic 7]

Gráfico 2 – Logaritmo de (1/t) em função do logaritmo da concentração de KIO3

Questões:

1. É correto dizer que o iodo (I2) se forma somente no final da reação? Explique.

Não é correto fazer tal afirmação, já que o iodo se forma durante o tempo de reação e apenas se acumula por não ser mais consumido no final da reação.

2. Qual a função do amido nessa experiência e por que ele não atua desde o início da reação?

...

Baixar como (para membros premium)  txt (4.4 Kb)   pdf (221.4 Kb)   docx (48.4 Kb)  
Continuar por mais 2 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com