TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

A HISTÓRIA DA FAMÍLIA KLEIN, FUNDAÇÃO DAS CASAS BAHIA E GESTÃO EMPRESARIAL DA EMPRESA

Tese: A HISTÓRIA DA FAMÍLIA KLEIN, FUNDAÇÃO DAS CASAS BAHIA E GESTÃO EMPRESARIAL DA EMPRESA. Pesquise 790.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  9/5/2013  •  Tese  •  1.208 Palavras (5 Páginas)  •  364 Visualizações

Página 1 de 5

PRIMEIRO DESAFIO: Teorias da Administração II

Questão 1: A HISTÓRIA DA FAMÍLIA KLEIN, FUNDAÇÃO DAS CASAS BAHIA E GESTÃO EMPRESARIAL DA EMPRESA

Samuel Klein nasceu em Lublin, na polônia, o terceiro de nove irmãos, seu pai era carpinteiro de família judaica. Aos 19 anos foi preso pelos nazistas e mandado com o pai para o campo de concentração de Maidanek, na Polônia. Sua mãe e cinco irmãos mais novos foram para o campo de extermínio de Treblinka, e Samuel nunca mais os viu. Por ser jovem, na época, Samuel Klein foi levado para um campo de trabalhos forçados, onde sobreviveu com suas habilidades de carpinteiro, ofício que aprendeu com o pai (SAMUEL KLEIN, 200_).

Em 1944, Samuel Klein conseguiu fugir em direção à Alemanha, permanecendo na Polônia até o final da guerra e em seguida viajou para Munique, na Alemanha, em busca do pai. Após esse período de guerra, Samuel K. trabalhou na Alemanha e em cinco anos juntou dinheiro e casou-se com Ana, uma jovem alemã .

Em 1951, Samuel com sua esposa e o primeiro filho Michael mudou-se para a América do Sul. Inicialmente morou na Bolívia e no ano seguinte veio para o Brasil. No Brasil, instalou-se em são Caetano do Sul-SP, na região do ABC paulista (SAMUEL KLEIN, 200_).

Samuel Klein iniciou sua nova vida no Brasil com US$ 6 mil (seis mil dólares), comprando uma charrete e uma casa. Passou a exercer a profissão de mascate pelas ruas de São Caetano do Sul, onde facilitava as formas de pagamento dos produtos para seus clientes (SAMUEL KLEIN, 200_).

Em 1957, o capital levantado de suas vendas como mascate lhe rendeu a compra de sua primeira loja, que chamou de “Casa Bahia” em homenagem aos imigrantes nordestinos que moravam na região, que se deslocaram de suas origens em busca de trabalho na indústria automobilística de São Paulo. A variedade de produtos aumentou e a empresa começou a negociar com colchões de algodão, móveis entre outros itens. A clientela aumentou e passou a freqüentar a loja para pagar suas prestações e adquirir novos produtos (SAMUEL KLEIN, 200_).

Atualmente a Casas Bahia, no mercado há mais de 60 anos, possui mais de 56 mil colaboradores, tem mais de 500 filiais e presença em 15 Estados nas regiões Sul, Sudeste, Nordeste, Norte e Centro-Oeste, além do distrito Federa (NOSSA HISTÓRIA, 200_).

Tratando-se de logística, os números das Casas Bahia são impressionantes: possuindo uma frota de quase 3000 veículos, sendo 2,4 mil caminhões, e mais de 8 milhões de m³ de área de armazenagem total. Hoje, a empresa realiza cerca de 1,3 milhão de entregas/mês, nos meses de pico. (NOSSA HISTÓRIA, 200_).

A Gestão empresarial é voltada ao mercado de baixa renda que impulsiona e sustenta o crescimento das Casas Bahia. Outro fator importante é a venda comissionada, pois os atendentes têm a obrigação de impressionar os clientes, tornando-os fiéis a organização, o que representa uma melhor remuneração no final do mês. Outro fator preponderante neste crescimento é a grande oferta de crédito existente no mercado, hoje em dia (COSTA et al, 200_).

A Casas Bahia apresenta um modelo de gestão familiar na empresa. A empresa familiar é definida como uma organização fundada por uma família em que a gestão ainda esteja em poder do fundador ou de seus descendentes, mesmo que estes não possuam mais o controle acionário ou do capital desta organização, tendo sido admitidos outros sócios no empreendimento (COSTA et al, 200_).

Apesar de ir sempre contra o que a empresa considera modismo, as modernas técnicas de gestão, ela consegue vender o dobro da concorrência, e ainda assim manter um nível de inadimplência baixo em relação ao cliente de risco que ela adotou como público alvo (COSTA et al, 200_).

.

Questão 2: PROCESSO DE FUSÃO DAS CASAS BAHIA COM O GRUPO PÃO DE AÇÚCAR E OS IMPACTOS DO MODELO DE GESTÃO

As diretorias do grupo Pão de Açúcar e da maior rede varejista do país, as Casas Bahia, confirmaram no dia 04 de dezembro de 2009 a fusão das lojas de bens duráveis – incluindo as marcas Extra Eletro e Ponto Frio (MOREIRA, 2009).

A fusão operacional entre Pão de Açúcar e Casas Bahia encerra um período de grandes mudanças às empresas brasileiras, iniciado há pouco mais de um ano. Através desta estratégia, as empresas diminuem

...

Baixar como (para membros premium)  txt (7.3 Kb)  
Continuar por mais 4 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com