TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

FACULDADES INTEGRADAS PADRE ALBIN

Por:   •  20/4/2017  •  Trabalho acadêmico  •  842 Palavras (4 Páginas)  •  110 Visualizações

Página 1 de 4

[pic 1]

FACULDADES INTEGRADAS PADRE ALBINO

CURSO DE ADMINSTRAÇÃO

JOSÉ EDUARDO RAMOS DA SILVA

DIREITOS HUMANOS E CIDADANIA

Fichamento de Leitura Apresentado à Prof.ª Dr.ᵃ Maria Tereza de França Roland como requisito parcial para a avaliação bimestral da disciplina Métodos e Técnicas de Estudo e Pesquisa, do curso de Administração das Faculdades Integradas Padre Albino.

CATANDUVA

2017

1ºANO

[pic 2]

FACULDADES INTEGRADAS PADRE ALBINO

CURSO DE ADMINSTRAÇÃO

JOSÉ EDUARDO RAMOS DA SILVA

DIREITOS HUMANOS E CIDADANIA

CATANDUVA

2017

1ºANO

Sumário: Introdução

                 Cap. 1- O que são direitos humanos. - p.7-9

                 Cap. 2- A cidadania e sua história. - p.10-13

                 Cap. 3- Direitos e deveres da cidadania. - p.14-16

                 Cap. 4- Convivência numa ordem democrática. - p.17-20

Resumo

CAPÍTULO 1 – O QUE SÃO DIREITOS HUMANOS

  • A expressão “direitos humanos” é uma forma abreviada de mencionar os direitos fundamentais da pessoa humana. (Dallari, 1998. Pág. 7)
  • Esses direitos permitem existir, desenvolver-se e participar plenamente da vida.
  • Não é difícil reconhecer que todas as pessoas humanas têm aquelas necessidades e por esse motivo. (Dallari,1998. Pág. 7)
  • Todos os indivíduos têm seu modo próprio de ver e sentir as coisas, mesmo diferentes são iguais como seres humanos.
  • Todas as pessoas nascem iguais e com direitos iguais. Ao mesmo tempo que essas pessoas nascem iguais elas nascem livres.
  • Não se pode obrigar a uma pessoa usar de todos os seus direitos.
  • Gozar de seus direitos é uma faculdade, não uma obrigação.
  • ...por suas características naturais, por ser dotada de inteligência, consciência e vontade, por ser mais do que uma simples porção de matéria, tem uma dignidade que a coloca acima de todas as coisas da natureza. (Dallari, 1998. Pág. 9)

CAPÍTULO 2 – A CIDADANIA E SUA HISTÓRIA

  • A palavra cidadania foi usada na Roma antiga para indicar a situação de política de uma pessoa e os direitos que essa pessoa tinha ou podia exercer. (Dallari, 1998. Pág10)
  • Indicava a situação política e os direitos de uma pessoa, distinguindo-os em diferentes classes e estratos sociais.
  • Havia a divisão da sociedade em classes, lembrava a antiga divisão romana.
  • Em 14 de julho de 1789 o povo invadiu a prisão da Bastilha, cidade de Paris, onde se tinham presos os acusados de serem inimigos do regime político absolutista.
  • Na França surgiu o moderno conceito de cidadania. Visava à liberdade e igualdade, que visa eliminar os privilégios.
  • Na primeira Constituição Francesa, de 1791, já haviam regra que deformavam o conceito de cidadania. Excluiu-se mulheres, trabalhadores e pobres.
  • Depois disso a cidadania passou a referir-se à política.

CAPÍTULO 3 – DIREITOS E DEVERES DA CIDADANIA

  • A cidadania expressa um conjunto de direitos que dá à pessoa a possibilidade de participar ativamente da vida e do governo de seu povo. (Dallari, 1998. Pág. 14)
  • Quem não tem cidadania está marginalizado ou excluído da vida social.
  • Cidadão é o indivíduo vinculado ao estado, seja pelo local de nascimento, seja pela descendência, mas esses vínculos podem varias de Estado para Estado. Essa vinculação dá direito à vida pública e à proteção do Estado, mesmo que esse cidadão esteja em território estrangeiro. Desde o século XIX foi aceita como direitos específicos aqueles relacionados ao governo e a vida pública. No Brasil o direito de exercer a cidadania foi assegurado a partir da Constituição Brasileira de 1988, dando o direito de votar para escolher seus representantes e também o direito de concorrer a esses cargos. Foi dado também o direito de apresentar projetos de lei por meio de iniciativa popular, o direito de participar de plebiscitos quando forem feitas consultas ao povo sobre projetos de lei. Esse fato não deixa de ser, de certo modo, a divisão entre cidadãos e cidadãos ativos. Mas no século XX muitas mudanças aconteceram, restrições que eram antidemocráticas foram sendo eliminadas e conquistas foram sendo alcançadas.

CAPÍTULO 4 – CONVIVÊNCIA NUMA ORDEM DEMOCRÁTICA

  • Os seres humanos não vivem em sociedade por que escolhem esse modo de vida, mas por que a vida em sociedade é necessidade da natureza humana. Uma pessoa que vivesse isolada muito provavelmente ficaria louca se continuasse assim por muito tempo. Todos os seres humanos precisam da convivência e está por sua vez traz a necessidade de regras de organização e comportamento, para que haja harmonia e solidariedade em beneficio a todos. Não basta porem, a simples existência de regras, as quais, teoricamente, poderiam ser fixadas por uma pessoa ou um grupo social e imposta a obediência de todos. É necessário que tais regras sejam justas, levando em conta características e os direitos fundamentais de todos os seres humanos.
  • Existe justiça quando os meios são utilizados e organizados para o bem comum.
  • Só as regras não bastam, elas devem ser organizadas de forma justa.
  • A ordem democrática baseia-se em três princípios: respeito à liberdade, respeito à igualdade e divergências.
  • Organização social necessária.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (5.3 Kb)   pdf (165.2 Kb)   docx (43.1 Kb)  
Continuar por mais 3 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com