TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Apostila Economia Brasileira - Profa Luciana Girão de Vilhena

Por:   •  10/7/2019  •  Resenha  •  7.585 Palavras (31 Páginas)  •  10 Visualizações

Página 1 de 31

PONTO 1: CONTABILIDADE NACIONAL

  1. INTRODUÇÃO

Conforme Rossetti (2004), a expressão “agregados macroeconômicos” é empregada para designar, genericamente, os resultados da mensuração da atividade econômica considerada como um todo. O autor salienta que a referência básica é a soma de todas as transações, realizadas, por todos os agentes, na totalidade dos mercados (em dado período).

Vasconcellos (2008), ressalta que a macroeconomia é o ramo da teoria econômica que estuda a determinação dos agregados nacionais. Conforme o autor de “Economia: Micro e Macro”, a necessidade de obter cifras ordenadas que permitissem uma visão agregada do fenômeno econômico ficou mais potente a partir da Grande Depressão de 1930, que sucedeu o crash da bolsa de valores de N.Y., em 1929, quando se evidenciou a necessidade de intervenção governamental na economia para retomada do nível de atividade e do emprego.

Foi necessário o desenvolvimento de um instrumental que permitisse mensurar a totalidade das atividades econômicas, a qual foi denominada Contabilidade Nacional (CN) ou Contabilidade Social (CS).

 A preocupação com os agregados macroeconômicos surgiu em grande parte, a partir de 1936 com a publicação da teoria Geral do emprego do juro e da moeda, de J.M Keynes, considerado pai da macroeconomia, na qual se desenvolve a maior parte dos conceitos que são objetivos da contabilidade nacional, tendo grande avanço na década de 1940 com os trabalhos de Richard Stone, Simon Kuznets e Wassily Leontief.

Os sistemas que mais se popularizaram foram o Sistema de Contas Nacionais (SCN) e a Matriz de Insumo – Produto, cuja uma das estatísticas mais relevantes deles derivada é a mensuração ao produto nacional.

  • Importância: O desenvolvimento dessas técnicas de mensuração tem contribuído de forma decisiva para análise macroeconômica tomando possíveis testes empíricos e analises quantitativas e qualitativas mais próximas da realidade.
  • Sistematização de dados: Nesse sentido, desde o final da 2ª G.M. a divisão de estatística das Nações Unidas elabora manuais metodológicos com o objetivo de servir de referência para a produção de estatísticas pelos órgãos produtos oficiais. As atuais referencias metodológicas desse texto são o Manual das Nações Unidas System of National Accounts – SNA93.
  • Brasil: No Brasil as referências são adaptadas pela FGV, a contabilização e atualizações são publicadas pelo IBGE, órgão oficial produtor dessa estatística no Brasil.
  • Funções: Atualmente, reconhece-se 03 importantes funções desempenhadas pelo SNC:
  • Coordena a produção de estatísticas econômicas;
  • Oferece precisão e confiabilidade dos indicadores de desempenho da economia; E,
  • Ajuda a entender as relações entre os setores da economia, o que é fundamental para entendermos seu funcionamento.

  1. O pressuposto básico da contabilidade nacional são:
  • As contas buscam medir a produção corrente: Assim não são considerados bens de segunda mão, produzidos em período anterior, o que certa dupla contagem e superestimação dos valores contabilizados. Nessas transações só se considera a venda realizada, pois esta é uma remuneração por um serviço prestado naquele período.
  • As contas se referem a um Fluxo: Os empregados macroeconômicos correspondem a variáveis fluxo, cujos valores tem dimensão temporal (P.E. PIB em 2016), diferente das variáveis estoque que a referem a valores em determinado ponto do tempo (P.E Níveis de empregos no final de março/2017). Portanto, a CN só trabalha em fluxos, não apresentando um balanço patrimonial, como na contabilidade .....
  • A moeda é neutra: A moeda é considerada apenas uma unidade de conta e instrumento de trocas, dada a existência de produtos e serviços (b/s) com diferentes unidades de medida. A FN não registra os agregados monetários, como os meios de pagamento. Logo, a CN só registra agregados reais, a quais representam diretamente alterações da produção e na renda nacional.
  1. PRINCIPAIS AGREGADOS MACROECONOMICOS: O fluxo circular da renda (FCR)

A partir do FCR estabelecem os conceitos dos principais agregados macroeconômicos.  Inicialmente, suporemos uma economia simplificada, com dois setores, sem formação de capital, sem governo e fechado.

2.1-        Economia dos dois setores sem formação de capital

        Nesta economia propõe-se:

...

Baixar como (para membros premium)  txt (41 Kb)   pdf (499.9 Kb)   docx (1 Mb)  
Continuar por mais 30 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com