TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

O crescimento da economia do Brasil

Por:   •  14/11/2013  •  Artigo  •  540 Palavras (3 Páginas)  •  157 Visualizações

Página 1 de 3

INTRODUçãO

Nos últimos 25 anos a economia brasileira vem crescendo a uma taxa média

de 2,6% a.a., valor bastante inferior a média observada no período 1947-1980

(7,1% a.a.) e abaixo da taxa média de crescimento obtida por outros “grandes”

países emergentes, como, por exemplo, China e índia1

. Tendo em vista um cresci-

mento populacional da ordem de 1,5% a.a o PIB per capita tem crescido nos últi-

* Professor do Departamento de Economia da Universidade de Brasília (UnB) e Pesquisador Nível I do

CNPq. E-mail: joreiro@unb.br; Professor da Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade do

Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e Pesquisador Nível I do CNPq. E-mail: luizfpaula@terra.com.br;

Professor do Instituto de Economia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). E-mail: guilherme-

jonas@yahoo.com.br; Economista do Departamento Nacional de Produção Mineral. E-mail: queve-

doam@yahoo.com.br. Os autores agradecem as sugestões de dois pareceristas anônimos, isentando-os

de erros e omissões remanescentes. Submetido: 15/Setembro/2009; Aprovado: 7/Novembro/2011.

1

No período 1999-2006 as taxas de crescimento médio da China, índia e Rússia foram, respectivamente,

9,3%, 6,8% e 6,7%, enquanto o Brasil cresceu a 2,8% (cf. Paula, 2008a, p. 52).

Revista de Economia Política, vol 32, nº 4 (129), pp 557-579, outubro-dezembro/2012Brazilian Journal of Political Economy 32 (4), 2012 558

mos anos a uma taxa pouco superior a 1% a.a. Nesse ritmo levará quase 70 anos

para que a renda per capita brasileira dobre de tamanho, igualando-se ao nível de

renda per capita prevalecente hoje em dia em países como Portugal e Espanha. Uma

das causas dessa situação de semiestagnação é a reduzida formação bruta de capi-

tal fixo como proporção do PIB. Conforme Oreiro et al. (2005), para que a econo-

mia brasileira possa crescer a uma taxa de 5% a.a. no longo prazo, sem gerar

pressões inflacionárias, a taxa de investimento deveria aumentar para, pelo menos,

25% do PIB; ou seja, é necessário um aumento de 32% na formação bruta de ca-

pital fixo como

...

Baixar como (para membros premium)  txt (3.5 Kb)  
Continuar por mais 2 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com