TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

MicroecoMicroeconomia E Macroeconomia; métodos Quantitativos; Ética, Política E Sociedade; Seminário.nomia E Macroeconomia; métodos Quantitativos; Ética, Política E Sociedade; Seminário.

Casos: MicroecoMicroeconomia E Macroeconomia; métodos Quantitativos; Ética, Política E Sociedade; Seminário.nomia E Macroeconomia; métodos Quantitativos; Ética, Política E Sociedade; Seminário.. Pesquise 793.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  13/5/2014  •  2.338 Palavras (10 Páginas)  •  549 Visualizações

Página 1 de 10

Introdução

O objetivo dessa produção textual é de apresentar alguns conhecimentos sobre economia nacional começando pelo grande vilão que é a inflação essa por sua vez sofre influência da taxa de juros taxa essa que é usada pelo governo para controlar a inflação. Mas sabemos que para termos uma economia eficiente precisamos de informações para que os gestores munidos dessas tomem as melhores decisões para isso precisamos de métodos quantitativos que serão aplicados nas gestões empresariais. Hoje com a globalização econômica os desafios são grandes, porque precisamos produzir muito e cada vez melhor, mas com responsabilidade social. Esse é o grande desafio produzir com sustentabilidade isto significa ter limites e éticas para produzir.

2° Desenvolvimento:

Inflação

O conceito de inflação na economia é representado pelo aumento persistente dos preços dos produtos em um pais ou região durante um período definido de tempo. Ela também representa a queda do poder aquisitivo do nosso dinheiro em relação à elevação dos preços de bens e serviços. Um exemplo de inflação, uma cesta de determinados produtos custa R$ 150, reais em fevereiro e 30 dias depois, essa mesma cesta de produtos passa a custar R$ 180 reais, verifica-se uma inflação de 20% em um mês. Existem algumas causas de inflação são elas.

Inflação monetária que é a emissão exagerada e descontrolada de dinheiro por parte do governo.

Inflação de demanda é a demanda por produtos maior do que a capacidade de produção do país, que é o aumento do consumo.

Inflação de custos, que é o aumento nos custos de produção dos produtos, com máquinas, matéria prima e mão de obra.

No Brasil existem vários índices que medem a inflação e são referenciais os principais são:

• IGP: Índice geral de preços ( calculado pela fundação Getúlio Vargas)

• IPC: Índice preços ao consumidor ( medido pela FIPE )

• INPC: Índice Nacional de preços ao consumidor ( medido pelo IBGE )

• IPCA: Índice preços ao consumidor amplo ( medido pelo IBGE)

Reportagem sobre o aumento da inflação medida pelo IPCA

INFLAÇÃO PELO IPCA ACELERA E SOBE 0,35% EM SETEMBRO

IPCA acumulado em 12 meses registra alta de 5,86% e fica pela primeira vez abaixo de 6% em 2013, segundo o IBGE (09 de outubro de 2013/ 8h e 59)

Principais altas. O IPCA registrou aceleração em cinco dos nove grupos pesquisados na passagem de agosto para setembro. Além de transportes, o setor de vestuário também teve forte aceleração. O grupo saiu de um avanço de 0,08% em agosto para inflação de 0,63% em setembro.

O grupo de habitação avançou 0,62% em setembro, ante 0,57% em agosto, pressionado pelo preço do gás de botijão (+2,01%) e do aluguel residencial (+0,80%). Alimentação e bebidas também registrou aceleração, após variar apenas 0,01% em agosto. Em setembro, o avanço foi de 0,14%, com destaque para o pão francês, que ficou 3,37% mais caro no mês.

Além disso, o grupo de saúde e cuidados pessoais registrou leve aceleração, de 0,45% para 0,46% na passagem de agosto para setembro.

No trecho da matéria seguinte, é notória como a mídia traz os resultados do aumento da inflação sobre os produtos de base e bens e serviços. Aumento este, que tem gerado desconforto para os consumidores dos. A inflação tem sido considerada o “vilão” da economia brasileira. A qual consome o nosso poder aquisitivo. Ela é medida principalmente pela demanda ou queda de produtos.

Comentário - Entretanto, ela também pode ser vista como marcador da situação do país, como o trecho da reportagem evidencia, é perceptível a necessidade de investirmos mais na produção desses produtos de base, para que, aumente a oferta e a demanda dos produtos e serviços, diminuindo assim, as taxas de impostos sobre os mesmos.

2 Taxa de Juros:

É a taxa cobrada para empréstimos de dinheiro e seu valor expressa o custo do dinheiro no mercado. É um ganho para o emprestador e uma despesa para o tomador do empréstimo.

O Banco Central é o órgão regulador da política de juros. Quando a taxa de juros está alta é sinônimo de falta de dinheiro no mercado. Ao contrário quando a taxa de juros está baixa, é porque está sobrando dinheiro no mercado. A taxa de juros é um dos mais importantes indicadores de política monetária. A taxa de juros é calculada em porcentagem e com freqüência aplica-se de forma mensal ou anual.

No caso do capital de giro, as taxas de juros altas, que encarecem esses empréstimos e, portanto, o custo total da empresa, é repassado para o preço final dos produtos ou, na impossibilidade de isso acontecer, reduz a rentabilidade (o lucro) da empresa. Empresa com lucro muito baixo ou sem lucro geralmente fecha. As taxas de juros podem ser expressas de duas maneiras: em forma percentual ou em forma decimal.

Existem dois tipos de indicadores que permitem medir a taxa de juros. A taxa de juros nominal ou TIN, que é a porcentagem aplicada na hora de realizar o pagamento dos juros. E a taxa anual equivalente ou TAE, que mede qual é o ganho ao final de um ano, de forma padrão.

Para compreendermos como a taxa de juros funciona, é preciso analisarmos como a Dieese expõe que, quando a taxa de juros contratada for de 20% e o empréstimo de R$ 100,00, ao final do contrato (ou durante sua vigência), a empresa (ou as pessoas, ou o governo) deverá devolver ao banco R$ 120,00. Se a taxa contratada for de 100%, deverá devolver R$ 200,00.

Na reportagem seguinte do jornal Zero Hora podemos perceber o aumento dos juros do Banco Central em cinco vezes só neste ano.

BC ELEVA JURO PELA QUINTA VEZ SEGUIDA, PARA 9,5% AO ANO.

Decisão do Comitê de Política Monetária tem a meta de derrubar a inflação.

Contra a alta dos preços - Zero hora - 09/10/2013 | 20h19

O Banco Central decidiu, nesta quarta-feira, elevar a taxa básica de juro, a Selic, para 9,5% ao ano. Esta é a quinta vez seguida que o Comitê de Política Monetária (Copom) aumenta a taxa, que está no maior nível desde maio do ano passado.

A Selic é usada como uma ferramenta para combate à inflação e influencia nos juros cobrados em empréstimos e na remuneração a investidores. A meta de inflação para este ano é de 4,5%, com margem de dois pontos percentuais - ou seja de 2,5% até 6,5%.

Veja a evolução da taxa básica de juro:

Veja a evolução da taxa básica de juro:

Nos últimos 12 meses fechados em julho, a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumula 5,86%.

Comentário - Diante da análise dessa reportagem, percebemos que o objetivo da elevação dessa taxa de juros é basicamente conter a temida inflação. Não só para o ano de 2013 como para a inflação do ano seguinte.

Taxa de Câmbio: 3

Taxa de câmbio é o preço de uma moeda estrangeira medido em unidades ou frações da moeda nacional. A taxa de câmbio é a relação cambiária que existe entre duas moedas de países diferentes. Este dado estabelece que quantidade de moeda X se obtém em troca da moeda Y, o que indica quanto dinheiro se pode comprar com a moeda de outro país. O Banco Central de cada país pode optar por vários sistemas de taxas de câmbio. A taxa de câmbio fixa é determinada pelo Banco Central (o Banco decide o preço da moeda). A taxa de Câmbio flutuante ou flexível permite que o preço seja determinado pela lei da oferta e da procura.

Nesse contexto, quando dizemos que US$ 1,00 vale R$ 1,75, estamos cotando, precificando o dólar em termos de reais. Isto é, US$ 1,00 custa R$ 1,75. Se eu quiser comprar no mercado internacional mercadorias que custem US$ 100,00, será preciso desembolsar R$ 175,00.

É relevante também frisarmos que a valorização do câmbio significa a desvalorização da moeda estrangeira em termos da moeda nacional, é o mesmo que a moeda nacional se valorizar em relação à moeda estrangeira.

Um exemplo claro disso é quando taxa de câmbio vai para US$ 1,00 por R$ 1,70, haverá necessidade de menos reais para comprar a mesma quantidade de dólares. Assim, ao invés de desembolsar R$ 175,00 para comprar mercadorias no valor de R$ 100,00, serão necessários, agora, R$ 170,00 (2,85% menos). Nesse contexto, os artigos estrangeiros ficaram mais baratos em reais ou, em outros termos, as importações estão mais em conta.

Câmbio | 21/08/2013 15:31

ITAÚ PREVÊ REAL AINDA MAIS DESVALORIZADO EM 2013 E 2014.

Banco revisou sua projeção para a taxa de câmbio pela segunda vez nesse mês, elevando a projeção para 2,45 reais por dólar em 2013 e 2,55 em 2014.

Câmbio: a perspectiva do Itaú é que o real permanecerá mais depreciado ao longo dos próximos trimestres

São Paulo - O Itaú Unibanco revisou novamente sua projeção para a taxa de câmbio em 2013 e 2014. O banco elevou sua projeção para o câmbio ao fim de 2013 para 2,45 reais por dólar (perante 2,30 anteriormente) e para 2,55 reais por dólar no final de 2014 (antes, 2,40). Essa foi a segunda revisão da taxa de câmbio feita pelo Itaú Unibanco em agosto.

Comentário - Vimos que as projeções dos Bancos Itaú e Unibanco caíram. Pois as previsões para 2014 já foram superadas antes mesmo do término de 2013. Dessa forma, trazendo um grande prejuízo para a economia brasileira. Prejudicando em especial, as nossas exportações.

Medidas descritivas: 4

a) Medidas de tendência Central: são medidas que indicam a localização dos dados

É um ponto central em torno do qual o conjunto de dados se distribui. Esse ponto central (medidas) orienta quanto á posição do conjunto no eixo dos números reais e possibilitam comparações de series de dados entre si pelo confronto destes números. As três medidas de tendência centrais mais usadas são a média, a mediana e a moda.

• A média é a soma das entradas de dados divididas pelo número de entradas.

• A mediana é o dado que fica no meio quando as entradas são colocadas em ordem crescente ou decrescente.

• A moda é aquela entrada que ocorre com maior frequência

b) Medidas de dispersão

São medidas estatísticas utilizadas para avaliar o grau de variabilidade, ou dispersão, dos valores em torno da média, servem para medir a representatividade da média. Essa avaliação é necessária, pois quando se trata de interpretar dados estatísticos, deve-se ter uma idéia retrospectiva de como se apresentam esses mesmos dados nas tabelas. As medidas de posição apresentadas fornecem a informação dos dados apenas a nível pontual, sem ilustrar outros aspectos referentes à forma como os dados estão distribuídos na amostra.

Assim, não é o bastante dar uma medida de posição para caracterizar perfeitamente um conjunto de valores, devemos, também, medir a variabilidade do conjunto de valores em relação á essa medida de posição.

As principais medidas de dispersão absolutas são:

1) Amplitude total-

2) Desvio médio-

3) Variância e desvio padrão

A principal medida de dispersão relativa é o coeficiente de variação.

Técnicas de amostragens Probabilidade.

As amostragens probabilidade leva em consideração a questão da interferência no processo de escolha do elemento da população. Envolvem o acaso, e a probabilidade de seleção de um elemento é conhecida, diferente de zero e permite inferência.

A principal característica desse tipo de amostragem é o fato de envolver o acaso. Sem a interferência no processo de seleção dos elementos da amostra, cada um tem a mesma probabilidade de ser sorteado numa primeira escolha, o que garante fidelidade á amostra.

Para garantir o envolvimento do acaso, o processo de seleção deve ser feito de forma aleatória, utilizando-se de qualquer meio que permita a manutenção dessas características como, por exemplo, sorteio e uso de funções randômicas com planilhas eletrônicas.

Números- Índices

É um instrumento estatístico utilizado por várias áreas como: Administração, economia, contabilidade, engenharia e outros, para fazer comparações de alterações em variáveis especificam num dado espaço de tempo. São variáveis como: preço, quantidades, volume de produção etc., de um elemento qualquer ou de varias elementos tomados para comparação.

Deflação de dados

É a diminuição relativa longa do nível geral de dados de zona econômico. Sendo o processo inverso à inflação - uma diminuição do índice de preços no consumidor, uma queda de preços. Sendo diferente da desinflação, pois esta é a desaceleração do ritmo do aumento de preços. Quando a inflação reduz-se de 10% ao mês para o de 5%, por exemplo, pode-se dizer que houve desinflação. A inflação reduz o valor real do dinheiro ao longo do tempo; inversamente, a deflação aumenta o valor real do dinheiro. Isto é, compra-se uma maior quantidade de bens com a mesma quantidade de moeda. A deflação está normalmente associada a períodos de recessão - como a Grande Depressão.

O consumo exagerado para a manutenção do modelo econômico vigente está diretamente interligado ao desenvolvimento da sociedade, sendo um grande problema mundial as consequências desse consumo incentivado pelo espírito consumista entranhado pelo regime capitalista enraizado no seio da sociedade, gerando consequências irreversíveis ao meio ambiente.

O planeta Terra precisa de ações concretas e cada vez mais amplas em benefícios da sustentabilidade dos recursos naturais e de maior qualidade de vida para todos.

Para atender estas mudanças o modelo adotado por algumas empresas é o R.S.E. Responsabilidade Social Empresarial

O modelo R.S.E. considera o planeta, as comunidades locais , o meio ambiente e a sobrevivência dos negócios , estão todos relacionados, exigindo da empresa uma relação ética e transparente, com todos os públicos com os quais ela se relaciona.

Conclusão

Depois de descrever sobre alguns aspectos da micro e macroeconomia, como inflação, taxa de juros e taxa de cambio também percebemos a importância de utilizarmos os métodos quantitativos nas gestões empresariais para obter o melhor resultado, também percebemos a importância de produzir com eficiência e sustentabilidade dando limite e aplicando a ética na gestão empresarial. Os futuros administradores estão sujeitos as interferências externam que estão fora do nosso controle.

Referências:

Dieese/Força Sindical. Taxa de Câmbio, Taxa de Juros, Produtividade e Desindustrialização.

http://economia.estadao.com.br/noticias/economia-geral,inflacao-pelo-ipca-acelera-e-sobe-035-em-setembro,166900,0.htm,

http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/economia/noticia/2013/10/bc-eleva-juro-pela-quinta-vez-seguida-para-9-5-ao-ano-4295432.html http://exame.abril.com.br/mercados/noticias/itau-preve-real-ainda-mais-desvalorizado-em-2013-e-2014

http://wiki.advfn.com/pt/Taxa_de_juros

http://renatoaulasparticulares.com.br/taxas_juros.htm#texto_link_5

Protocolo 126386223

...

Baixar como  txt (14.9 Kb)  
Continuar por mais 9 páginas »