TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

De Que Maneira As Organizações Através Das Tecnologias De Gestão Podem Se Anteciparem Aos Impactos Causados No Meio Ambiente Por Meio Da Atividade Fim Da Organização. Como O Direito Empresarial Atua Em Relação às Responsabilidades Da Organizaçã

Ensaios: De Que Maneira As Organizações Através Das Tecnologias De Gestão Podem Se Anteciparem Aos Impactos Causados No Meio Ambiente Por Meio Da Atividade Fim Da Organização. Como O Direito Empresarial Atua Em Relação às Responsabilidades Da Organizaçã. Pesquise 788.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  2/11/2014  •  3.652 Palavras (15 Páginas)  •  707 Visualizações

Página 1 de 15

Projeto Interdisciplinar aplicado à Tecnologia em Recursos Humanos, apresentado como requisito do curso de Tecnologia em Recursos Humanos da Universidade Anhanguera Uniderp, polo Belenzinho, sob a orientação da tutora EaD Tania Maria Alves Capodifoglio.

SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO

2. Corpo de ensaio

2.1. Desenvolvimento teórico

2.2. Considerações do desafio profissional

3. Considerações finais

REFERENCIAS

A EMPRESA E A GESTÃO AMBIENTAL

UMA ANÁLISE A PARTIR DA

PERSPECTIVA EVOLUCIONISTA

Introdução

O processo de desenvolvimento econômico tem se caracterizado pelo acelerado progresso técnico e globalização do industrialismo, com reorganização da produção e alteração das relações sociais com o ambiente físico e natural. As empresas, nesse processo, são agentes ativos, e uma das contribuições das mesmas para a promoção do bem-estar da sociedade está na possibilidade de influenciar o processo de promoção do desenvolvimento de maneira concomitante ao tratamento do meio ambiente. No processo de formulação de políticas públicas com vistas à sustentabilidade sócio-ambiental, a não consideração dos fatores motivacionais desses agentes econômicos através de um instrumental teórico adequado, podem minimizar os efeitos pretendidos. A análise de experiências concretas pode contribuir tanto para abordagens de gestão intra e inter-firmas, como para fornecer subsídios necessários aos gestores públicos e à interação dos atores sociais.

As políticas ambientais na seleção de alternativas tecnológicas para a resolução de

problemas ambientais, que ainda estão sendo tímidas com relação à pressão sobre o

conjunto das empresas, com vistas a uma mudança de paradigma. Algumas razões podem estar direcionando essa posição, entre elas, destacamos uma possível rigidez tecnológica já que uma mudança de processo, muitas vezes, é necessária, o que imprime vultosos investimentos. Mas o que se defende, nesse trabalho, é que a mudança conduz, quase sempre, a uma revisão de erros, e, muitas vezes, a eliminação de passivos ambientais que, se já diretamente prejudica a clientes e à indivíduos em geral, pode levar uma empresa a situações financeiras e legais deletérias.

Este artigo tem por objetivo analisar o comportamento das empresas no processo de

adoção de sistemas de gestão ambiental, bem como o papel que podem desempenhar nas políticas ambientais. Esse viés teórico é aqui privilegiado porque tem-se revelado um marco orientador no entendimento das relações entre as instituições do ambiente econômico e social na questão da tecnologia e desenvolvimento. E, na medida em que novos arranjos organizacionais e novas tecnologias sejam fundamentais no planejamento de alternativas sustentáveis de produção, identificar os fatores de inovação e difusão das novas concepções produtivas devem estar presentes nessa discussão.

1 Economista da UFRJ, especialista em Engenharia Econômica pela UFRJ e em

Engenharia de Produção pela COPPE-UFRJ, mestre em Ciência Ambiental

pelo PGCA-UFF.Professora do CADEMP/EBAP/FGV e Consultora na ENSP/FIOCRUZ.

2 Algumas conclusões desse artigo foram desenvolvidas na dissertação o

"Gestão Ambiental e Competitividade: O Caso BRASILAMARRAS", apresentada

em outubro de 2001, no mestrado de Ciência Ambiental no PGCA-UFF.

A firma na economia evolucionária

Soluções tecnológicas que imprimam um novo relacionamento entre a produção e meio

ambiente exigem novos padrões produtivos que, se orientados para a conquista de

competitividade, podem sofrer difusão e transformar-se em novos paradigmas tecnológicos.

Com base nessa percepção, necessário de faz uma abordagem das questões econômicas

envolvidas na relação empresa/meio ambiente que garanta uma perspectiva mais

interdisciplinar do problema. O viés teórico adotado nesse trabalho, com vistas a analisar as implicações competitivas e de difusão associados a processos de gestão ambiental, será o da economia evolucionária. Essa abordagem tem-se caracterizado por incluir outras áreas de conhecimento, além das econômicas, tais como a sociologia, com o fim de representar uma realidade mais fiel quando se explora o comportamento de empresas, setores econômicos, empreendedores e instituições nos processos de decisão.

Um de seus axiomas centrais é a de que o “capitalismo é visto como um processo histórico e, portanto, evolutivo, em que a mudança (e não o equilíbrio) é o fato mais relevante e, por conseguinte, mais carente de investigação”.

A concorrência, estabelecida pela rivalidade entre as empresas e ativa no processo de seleção, revela-se a força propulsora da mudança, alimentada pelas inovações tecnológicas, que serão as principais componentes das estratégias empresariais. A interação entre inovações e concorrência estabelece tanto o progresso econômico, como o conflito e incerteza no sistema econômico.

Nesse sentido, para haver um desenvolvimento que associe a melhora da qualidade de vida, deve haver uma priorização pelo incentivo à investimentos, às opções processo-integradas, que trarão benefícios tanto à produção quanto à proteção ambiental.

No que se refere ao comportamento da firma e a sua capacidade de responder às mudanças, os fatores derivam de habilidades e condições de caráter intrínseco. Entre eles destacam se a aprendizagem e rotina, processo cumulativo e coletivo, codificado ou tácito, envolvendo todas as pessoas da empresa, que, uma vez internalizado, manifesta-se espontaneamente. Esses conhecimentos tácitos estão presentes na cultura organizacional das empresas, e, frequentemente, são identificados na cultura da empresa, cuja qualidade desses

...

Baixar como (para membros premium)  txt (27.2 Kb)  
Continuar por mais 14 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com