TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Four Hourseman

Monografias: Four Hourseman. Pesquise 860.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  26/11/2014  •  782 Palavras (4 Páginas)  •  149 Visualizações

Página 1 de 4

Para analisar a trajetória que nos trouxe aos tempos atuais, ou simplesmente para encontrar, ou pelo menos tentar, as respostas de como transformamos o mundo e a quais caminhos isso nos levará, é crucial olhar para o agente principal dessa mudança, preponderante sobre tudo e todos, certo de sua superioridade e sabedoria e que racionalmente comete os atos mais irracionais e paradoxais consigo e com o mundo ao seu redor. O Homem.

Um aproveitamento da análise feita pelo Diplomata Tenente-General Sir John Glubb a respeito do ciclo de vida dos impérios, mostra que estes possuem um tempo de vida em torno de 250 anos ou dez gerações, e esse ciclo de vida é definido em 6 (seis) era.

A era dos pioneiros, das conquistas, do comércio, da ascensão, do intelecto, terminando em “pão e circo” na era da decadência.

Dando maior enfoque para o fim dos impérios, nessa análise inicial, apresentamos à seguir as principais características que indicam a estabilização da era da decadência, são eles: Uma força militar indisciplinada, desgastada; ostentação de riqueza flagrante; enorme disparidade entre ricos e pobres; desejo de viver as custas de um Estado inchado; obsessão por sexo; mas a mais notável de todas essas características é a desvalorização da moeda corrente.

As dificuldades encontradas na criação de um sistema bancário se dão, muitas vezes, pela falta de conhecimento das pessoas de saber como ele opera. Bancos privados criam dinheiro e emprestam com juros, injetando este no sistema, causando uma enorme disparidade nos preços.

Desde 1971, quando o então presidente estadunidense Nixon retirou o que restava do padrão-ouro nos EUA, o mundo passou a operar em um sistema monetário chamado "Fiat" - dólar, libra esterlina e euro são alguma das unidades monetárias do governo 'fiat'. Fiat em latim significa "que seja feito".

Dentro deste sistema apenas governos podem emitir dinheiro fiat, entretanto, bancos podem criá-los através de empréstimos. Saindo do velho conhecido Padrão Ouro para o então novo Padrão Monetário Fiat e combinando com um sistema bancário de reservas fracionadas acaba-se criando dívidas mais rápido do que jamais poderá produzir para quitar esta quantia.

O documentário demonstra a relação polemica do terrorismo e os ganhos financeiros do mesmo. A frase que faz a introdução sobre o terrorismo “Linguagem política... foi projetada para fazer mentiras soarem verdadeiras e homicídio respeitável, e para dar uma aparência de sólido ao puro vento.” George Orwell. Projeta-nos automaticamente ao pensamento da Invasão americana ao Iraque que foi feito sobre falsos pretextos. Hoje se tem conhecimento da real intenção americana o Petróleo.

Além disso, o documentário faz um tocante sobre um assunto muitas vezes não divulgado, por de traz de toda guerra existe empresas lucrando. A guerra é extremamente lucrativa para, aqueles que os fornecem armas e equipamentos. Por isso, o documentário faz uma analise o quanto dessas ações militares tem de sucesso para realmente erradicar o terrorismo? Ele nos da o exemplo de que para ter sucessos em certas missões, os militares não necessitariam, por exemplo, destruir vilas inteiras poderiam fazer operações de menor porte que em muitos dos casos essas missões seriam, mas eficientes do que jogar uma bomba e

...

Baixar como (para membros premium)  txt (5 Kb)  
Continuar por mais 3 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com