TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Http://trabalhosgratuitos.com/Ci%C3%AAncias-Sociais/Explique-De-Que-Forma-Inclus%C3%A3o/124370.html

Por:   •  8/10/2013  •  724 Palavras (3 Páginas)  •  610 Visualizações

Página 1 de 3

As propostas de mudança dos padrões de consumo

A partir da Rio92 o tema do impacto ambiental do consumo surgiu como uma questão de política

ambiental relacionada às propostas de sustentabilidade. Ficou cada vez mais claro que estilos de vida

diferentes contribuem de forma diferente para a degradação ambiental. Ou seja, os estilos de vida de uso

intensivo de recursos naturais, principalmente das elites dos países do hemisfério norte, são um dos

maiores responsáveis pela crise ambiental.

Diversas organizações ambientalistas começaram a considerar o impacto dos indivíduos, em suas tarefas

cotidianas, para a crise ambiental. Através de estímulos e exigências para que mudem seus padrões

de consumo, começaram a cobrar sua co-responsabilidade. Assim, atividades simples e cotidianas como

“ir às compras”, seja de bens considerados de necessidades básicas, seja de itens considerados luxuosos,

começaram a ser percebidas como comportamentos e escolhas que afetam a qualidade do meio ambiente.

Dessa forma, muitos cidadãos se tornaram mais conscientes e interessados em reduzir sua contribuição

pessoal para a degradação ambiental, participando de ações em prol do meio ambiente na hora das compras.

No entanto, esta ênfase na mudança dos padrões de consumo não deve nos levar a entender que

os problemas ambientais decorrentes da produção industrial capitalista já tenham sido solucionados com

sucesso. Ao contrário, as lutas por melhorias e transformações na esfera da produção estão relacionadas

e têm continuidade nas lutas por melhorias e transformações na esfera do consumo, uma vez que os dois

processos são interdependentes.1 8

Por isso, uma das primeiras questões que devemos fazer é se não estaria havendo uma espécie

de transferência da responsabilidade, do Estado e do mercado para os consumidores. Muitas vezes,

governos e empresas buscam aliviar sua responsabilidade, transferindo-a para o consumidor, que passou

a ser considerado o principal responsável pela busca de soluções. Mas os consumidores não podem

assumir, sozinhos, toda a responsabilidade. Ela deve ser compartilhada por todos, em cada esfera de ação.

Assim, quando nós, consumidores, lidamos com dificuldades e dilemas diários relacionados

ao nosso papel, ao nosso poder e à nossa responsabilidade pela melhoria ambiental através das

nossas escolhas e comportamentos, estamos aprendendo a nos posicionar sobre quem são os atores

e quais são as instituições que devem ser responsáveis por cada problema e cada solução. A ênfase

na mudança dos padrões de consumo deve ser vista, portanto, como uma forma de fortalecer a ação

política dos cidadãos. Essa nova forma de percepção e definição da questão ambiental estimulou

o surgimento de uma série de estratégias, como “consumo verde”, “consumo ético”, “consumo responsável” e “consumo consciente”. Surgiu também uma nova proposta de política ambiental que ficou

conhecida como “consumo sustentável”.

Consumo verde

Consumo verde é aquele em que o consumidor, além de buscar melhor qualidade e preço, inclui em

seu poder de escolha, a variável ambiental,

...

Baixar como (para membros premium)  txt (5.2 Kb)  
Continuar por mais 2 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com