TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

PERFIL PROFISSIONAL

Trabalho Universitário: PERFIL PROFISSIONAL. Pesquise 788.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  26/10/2014  •  1.556 Palavras (7 Páginas)  •  364 Visualizações

Página 1 de 7

Perfil profissional do Engenheiro Eletricista exigido pelo mercado.

A eletricidade está na base de todo o avanço tecnológico que marcou o século XX. Assim, o engenheiro eletricista é um profissional versátil, com múltiplas possibilidades de atuação num mercado de trabalho em processo de constante renovação tecnológica.

As modalidades de formação voltadas para as áreas da eletrônica e das telecomunicações são as mais valorizadas atualmente, em razão do desenvolvimento acelerado desses setores da economia mundial nos últimos anos exigiu-se atuar de forma consciente e ética no mercado, obrigando o profissional engenheiro a ser mais competitivo trazendo e gerando produtividade nas empresas.

O mercado para o engenheiro eletricista é muito grande, encontrando atuação em todo tipo de indústria, e principalmente em empresas da área de desenvolvimento de produtos eletrônicos, de telecomunicações e de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica, podendo também atuar como autônomos e empresários; em empresas de assessoria e consultoria; em órgãos públicos e instituições de ensino e pesquisa.

As aptidões iniciais para aqueles que querem cursar Engenharia é ter inclinação para se aprofundar na matemática e lidar com as ciências, mas também ter uma mente criativa para encontrar soluções novas para que as coisas funcionem, daí ser essencial um cérebro criativo.

O Engenheiro Eletricista é o profissional que planeja, projeta, executa, dirige, supervisiona e avalia atividades que envolvam, direta ou indiretamente, o emprego de energia elétrica. Atua no campo de altas concentrações de energia ou de baixas freqüências e no campo de baixas concentrações de energia ou de altas freqüências. Outrossim, pode-se dizer que o engenheiro eletricista, atua nas áreas dos fenômenos eletromagnéticos: Energia e Informação.

Competências e Habilidades

O Engenheiro Eletricista deve ter competência para atuar nas áreas de Sistemas de Energia Elétrica, Sistemas de Automação, Controle e Informática Industrial e em Sistemas de Comunicações, com as seguintes habilidades:

• Executar o estudo, planejamento, projeto, especificação e construção de sistemas;

• Executar a supervisão, a coordenação e a orientação técnica de serviços e obras de sistemas;

• Desenvolver estudos de viabilidade técnico-econômica de sistemas;

• Exercer assistência, assessoria e consultoria de sistemas;

• Padronizar, mensurar e controlar a qualidade de serviços e obras de sistemas;

• Fiscalizar obras e serviços de sistemas;

• Executar vistoria, perícia, avaliação, arbitramento, laudo e parecer técnico em sistemas;

• Supervisionar e conduzir equipes de instalação, montagem, operação e manutenção de equipamentos.

• Exercer cargos técnico-administrativos;

• Exercitar o ensino, a experimentação, o ensaio, a pesquisa e desenvolvimento de novos produtos, tecnologias e aplicações, bem como, fazer a divulgação de assuntos correlatos;

• Exercer consultoria em "hardware" para aquisição de dados, controle, dispositivos, equipamentos e sistemas.

A razão para este perfil de engenheiro foi a constatação de que a grande maioria dos profissionais atuantes no mercado de trabalho têm os seus conhecimentos voltados ou para a área de eletrotécnica ou para a área de eletrônica. Tornou-se evidente, portanto, a falta de um profissional capaz de atuar simultaneamente nas duas áreas. O engenheiro com este perfil poderá atuar em qualquer uma das áreas, separadamente, ou na interface delas, objetivo primeiro da formação recebida.

A atualização do perfil do Engenheiro Eletricista em função do desenvolvimento tecnológico será garantida através das disciplinas optativas e estudos aprofundados, sendo sua formação profissional baseada em:

• Formação particular na interface eletrotécnica/eletrônica, através de disciplinas especialmente destinadas a tal fim, como formação básica;

• Formação de caráter específico através da realização de um conjunto de disciplinas optativas e trabalho de graduação, definindo-se uma linha de conhecimentos para o Engenheiro formando. Atualmente, existem as seguintes linhas de conhecimentos: Eletrotécnica, Eletrônica, Computação Aplicada e Telecomunicações.

A demanda

A oferta de energia não acompanhou o crescimento da demanda no Brasil nas últimas décadas, resultando em blecautes e racionamento. Segundo os ambientalistas, o problema é que nossa matriz energética é mais de 90% focada nos recursos hídricos. Em meio à crise, engenheiros de todas as áreas encontraram uma oportunidade: desenvolver novas formas de geração de energia.Uma das estrelas do setor é hoje a cogeração: produção simultânea de duas ou mais formas de energia a partir de um só combustível (biomassa ou gás natural). "A cogeração é novidade, exigirá novas famílias de profissionais", diz Jayme Buarque de Holanda, diretor-geral do Instituto Nacional de Eficiência Energética. Segundo o Ministério de Minas e Energia, o peso da biomassa

...

Baixar como (para membros premium)  txt (9.1 Kb)  
Continuar por mais 6 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com