TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Projeto De Tratamento De Esgoto A céu Aberto

Por:   •  16/10/2012  •  774 Palavras (4 Páginas)  •  1.066 Visualizações

Página 1 de 4

Processo de Trabalho em Serviço Social I

Aula 1 – A Categoria Trabalho na Perspectiva Marxista

A palavra trabalho tem sua origem na palavra latina tripalium, que dizia respeito a instrumentos de tortura que eram utilizados para subjugar tanto escravos quanto animais à realização de determinadas tarefas. Podemos compreender que daí decorre o sentido negativo do conceito trabalho. Essa compreensão está correta, mas não é suficiente, porque, como veremos o conceito trabalho não possui apenas um sentido negativo, possui também um sentido positivo.

Na perspectiva marxista, ou seja, nas obras de Karl Marx, o trabalho é compreendido como atividade essencial do ser humano, genérica para a satisfação de suas necessidades. O trabalho é um processo inerente ao ser humano e que constitui a sua especificidade. E ainda o trabalho constitui-se como a atividade ou o processo prático, ativo de transformação da natureza para a satisfação de finalidades. (Engels também tinha essa mesma visão do trabalho)

É preciso destacar que, diferente dos animais, o ser humano, antes de realizar uma ação qualquer, projeta antecipadamente em sua consciência o resultado final de sua ação. Ou seja, considerando o exemplo, a produção do machado para quebrar o coco ocorre tendo o homem consciência do que quer construir para qual finalidade. A isso se atribui o nome de teleologia ou prévia-ideação.

Entre outras coisas, é a capacidade teleológica que vai distinguir a atividade humana das atividades dos animais. Estes últimos agem por instinto. A abelha possui a capacidade de construir uma bela colmeia, mas é o engenheiro que consegue antecipar em sua consciência o resultado final do prédio que deseja construir antes mesmo de começar a obra (MARX, 2010).

Logo o trabalho é a fonte fundamental da vida humana e constitui-se como processo de transformação da natureza para a satisfação de necessidades, sendo este processo (de trabalho) composto pela prévia-ideação (ou teleologia) e pela objetivação.

A práxis pode ser entendida como uma atividade real de transformação do mundo e não apenas como práxis teórica (VAZQUEZ, 2007). Disso podemos concluir que se em toda práxis há trabalho, nem todo trabalho se constitui como práxis. Isso porque na sociedade capitalista o trabalho deixa de se realizar como atividade criativa, criadora e libertadora do homem e se transforma em uma mercadoria vendida ao capitalista em troca de determinada remuneração.

Vamos recordar novamente que, na elaboração marxista, o trabalho é concebido como mediação de primeira ordem. Vale registrar ainda que estas funções vitais de mediações de primeira ordem acompanham a humanidade desde os tempos mais remotos.

Em contrapartida, as mediações de segunda ordem emergem num determinado momento do desenvolvimento da história humana, momento que corresponde à constituição do sistema do capital.

É preciso lembrar sempre que, ao final de qualquer processo de trabalho, o homem terá transformado a natureza (pedra e madeira que viraram machado, mas não deixaram de ser pedra e madeira) e a si próprio. É o que nos diz Sérgio Lessa: Todo ato de trabalho, sempre voltado para o atendimento de uma necessidade concreta, historicamente determinada,

...

Baixar como (para membros premium)  txt (5.2 Kb)  
Continuar por mais 3 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com