TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Recurso Ordinário Trabalhista

Por:   •  4/11/2019  •  Tese  •  1.296 Palavras (6 Páginas)  •  9 Visualizações

Página 1 de 6

EXCELENTISSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DA 7ª VARA DO TRABALHO DE SAPUCAÍ, ESTADO DO PARANÁ

[pic 1]

AUTOS nº 001377-44.2018.5.09.0899 – Procedimento Sumaríssimo

Reclamante: Hospital Nossa Senhora

Reclamado: Joana Silva

          HOSPISTAL NOSSA SENHORA, já qualificada nos autos em epígrafe por intermédio de seu procurador e advogado ... regularmente inscrito na OAB sob o nº... com endereço profissional á rua... bairro... cidade, estado, CEP... inconformado com a r. sentença do Juiz do Trabalho da 7ª Vara, na qual julgou procedente integralmente a reclamatória trabalhista interpor:

RECURSO ORDINÁRIO com base no artigo 895 inciso I da CLT.

        Em face de Joana da Silva  pugnando pelo seu recebimento e para que se proceda a intimação da reclamada para que se for de sua vontade apresente contrarrazões, e posteriormente, que seja determinado sua remessa ao Egrégio Tribunal de Justiça da 9ª Região, para que em segunda instância seja recebido, processo e ao fim posteriormente ao seu provimento que se obtenha êxito quando ao provimento de sua reforma.

       A recorrente interessada, efetuou o preparo exigido para interposição deste, conforme demonstra na guia GRU de recolhimento de custas no valor de R$360,00, e também o comprovante de depósito recursal no valor de R$9.828,51.

Nesses termos,

Pede deferimento

Local, 25 de setembro de 2019.

Advogado(a)

OAB nº...

EGRÉGIO TRIBUNAL REGIONAO DO TRABALHO DA 9º REGIÃO

[pic 2]

AUTOS nº 001377-44.2018.5.09.0899 

Reclamatória Trabalhista - Procedimento Sumaríssimo

Origem: 7ª Vara do Trabalho de Sapucaí, Estado do Paraná.

Recorrente: Hospital Nossa Senhora

Recorrido: Joana Silva

RAZÕES DO RECURSO ORDINÁRIOS

Colenda turma, ínclitos julgadores

  1. DOS FATOS

O Hospital Nossa Senhora ora recorrente foi réu em uma reclamatória trabalhista ajuizada por Joana da Silva ora, para se discutir à cerca de um contrato de trabalho estabelecido entre empregada e empregadora, este processo tramitou sobre o rito sumaríssimo, perante a 7ª vara do Trabalho de Sapucaí/PR.

A demanda mencionada acima teve seu trâmite dentro da normalidade. Todavia, em 13 de setembro de 2019 juiz da 7ª vara do trabalho de Sapucaí/PR prolatou a sentença na qual condenou a reclamante ao pagamento de R$18.000,00 (dezoito mil reais) mais custas no valor de R$360,00, acrescidos de juros, correção monetária e contribuições previdenciárias legais.

É inegável a maestria e o seu brilhantismo do MM. Juiz em sua atuação, entretanto recorrente encontra-se inconformado com a respeitável sentença, e por este motivo o vem através da interposição deste recurso manifestar seu descontentamento à cerca da ilustríssima decisão proferida pelo juiz a quo.

  1. DA REVELIA

O douto magistrado em sentença reconheceu a revelia da recorrente, indeferindo o depoimento do preposto da ré na audiência de instrução e julgamento sob a alegação de que o preposto não possui qualquer vínculo com a empresa, e exatamente neste ponto encontra-se o equívoco.

A lei 13.467/2019 que deu origem à reforma trabalhista, nos traz a previsão de que não é mais necessário que o preposto seja empregado da empresa, conforme nos traz o artigo 843 da CLT.

Isto posto, pugna-se pelo afastamento da revelia e que o processo retorne à vara de origem, para o juiz a quo, e que se seja realizado uma nova audiência de instrução, e que nesta se tenha a oportunidade de colher o depoimento das testemunhas e das partes.

  1. DA PRESCRIÇÃO

O juízo a quo em sua sumtuosa atuação, em sua decisão não reconheceu a prescrição quinquenal (dos últimos cinco anos) a reclamatória trabalhista, sob o fundamento que está fora invocada de forma intempestiva (fora do prazo), entretanto, o presente argumento do r. Juiz encontra-se equivocado, para não dizer que encontra-se ERRADO!

A sumula 153 do Tribunal Superior do Trabalho, prevê que a prescrição poderá ser alegada em QUALQUER MOMENTO e em QUALQUER grau de jurisdição, devido a gravidade e os efeitos que causa no processo, pois todos os atos processuais serão atingidos por este efeito.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (8.4 Kb)   pdf (81.7 Kb)   docx (13.2 Kb)  
Continuar por mais 5 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com