TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Tendo Em Vista O Conteúdo Estudado E O Trecho Abaixo Referente Ao Censo Demográfico De 2010, Assinale A Alternativa Correta: Nos últimos Dez Anos, A Estrutura Da População Mudou Em Termos De Cor Ou Raça, Com Destaque Para Uma Maior Proporção Das

Casos: Tendo Em Vista O Conteúdo Estudado E O Trecho Abaixo Referente Ao Censo Demográfico De 2010, Assinale A Alternativa Correta: Nos últimos Dez Anos, A Estrutura Da População Mudou Em Termos De Cor Ou Raça, Com Destaque Para Uma Maior Proporção Das . Pesquise 791.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  11/11/2013  •  1.012 Palavras (5 Páginas)  •  872 Visualizações

Página 1 de 5

A Natureza Da Filosofia e o Seu Ensino

• O ensino da Filosofia é muitas vezes de má qualidade, devido a uma incompreensão da natureza da própria Filosofia — e do conhecimento em geral.

A filosofia distingue-se de disciplinas como a história ou a física por apresentar poucos resultados consensuais: a maioria dos problemas centrais da filosofia continua em aberto.

É importante compreender o que significa dizer que a maioria dos problemas centrais da filosofia continua em aberto. Esta afirmação não significa duas coisas:

Primeiro lugar, não significa que não há resultados; claro que há as diferentes idéias defendidas pelos diferentes filósofos são resultados da filosofia. Só que não são resultados substanciais consensuais, ou seja, resultados substanciais que a generalidade dos filósofos aceite.

Segundo lugar, não significa que não há alguns resultados consensuais em filosofia. Também os há, mas estes não são substanciais, no sentido em que consistem sobretudo em resultados negativos ou transversais.

O problema do ensino da filosofia parece ser em afirmar que a filosofia é uma disciplina em aberto, sem resultados

substanciais consensuais, sendo uma forma de apoucar a disciplina, de a denegrir ou subalternizar.

• É importante declarar desde já que o caráter aberto da filosofia em nada diminui o seu valor cognitivo ou social, a sua seriedade acadêmica ou escolar, ou a sua importância existencial.

• A filosofia é uma disciplina especulativa, que lida com problemas que ninguém sabe resolver. Esta realidade não é apenas difícil de aceitar porque as instituições de ensino estão, sobretudo, instruídas para transmitir o conhecimento já feito aos estudantes.

• As instituições de ensino estão instruídas há ensinar resultados substanciais aos estudantes, quer porque a ausência de resultados substanciais em filosofia causa algum desconforto, o ensino da filosofia levanta problemas importantes:

- Se não há resultados consensuais substanciais em filosofia, o que há exatamente para ensinar?

- Como lidar com a diversidade de teorias defendidas pelos filósofos?

- Que tipos de competências e conteúdos são centrais no ensino da filosofia?

• A filosofia não é uma disciplina empírica, como a história ou a física. É uma disciplina a priori ou que se faz pelo pensamento apenas. Não usamos laboratórios, estatísticas, observações telescópicas ou microscópicas. Neste aspecto, a filosofia está mais próxima da matemática, que é também uma disciplina a priori.

• Do ponto de vista do cientismo, este aspecto a priori da filosofia é chocante. Parece que desqualifica a filosofia enquanto disciplina acadêmica séria. Quando se adota o cientismo, há a tendência para pensar que só a matemática, por razões que veremos depois, tem o direito de ser uma disciplina a priori.

• Compreende-se agora um pouco melhor por que razão tantas vezes se foge da filosofia para a história da filosofia: é que neste caso, por ser uma disciplina histórica, e como tal empírica, a seriedade acadêmica da disciplina já não fica em causa.

• A filosofia não é uma disciplina empírica como a física ou a história; é uma disciplina a priori como a matemática. Contudo, em filosofia não há métodos formais de prova.

• O estudo da Filosofia começa pela compreensão gradual de um determinado problema ou conjunto de problemas filosóficos. O que é realmente o problema do livre arbítrio, por exemplo?

• Uma forma de tentar compreender um problema é saber o que alguns dos grandes filósofos, clássicos e contemporâneos, pensaram sobre esse problema. Muitas vezes, verifica-se que diferentes filósofos compreenderam o problema de formas sutilmente diferentes.

• Para tentar resolver os problemas da filosofia os filósofos apresentam teorias — aquilo a que por vezes se chama também teses, ou perspectivas, ou até filosofias.

• Os problemas da filosofia

são de caráter conceptual,

...

Baixar como (para membros premium)  txt (6.7 Kb)  
Continuar por mais 4 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com