TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Volumetria De Precipitação: Método De Mohr- Determinação De Cloreto De Sódio Em Soro Fisiológico

Dissertações: Volumetria De Precipitação: Método De Mohr- Determinação De Cloreto De Sódio Em Soro Fisiológico. Pesquise 790.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  19/10/2013  •  2.164 Palavras (9 Páginas)  •  1.827 Visualizações

Página 1 de 9

2- Introdução

A titulometria de precipitação, que é baseada nas reações que produzem os compostos iônicos de solubilidade limitada, é uma das mais antigas técnicas analíticas, datando de meados de 1800. Entretanto, em razão da baixa velocidade de formação da maioria dos precipitados, existem poucos agentes precipitantes que podem ser usados em titulometria. Sem dúvida o mais amplamente utilizado e o reagente precipitante mais importante é o nitrato de prata, que é empregado para a determinação dos haletos, ânions semelhantes aos haletos (SCN–, CN–, CNO–), mercaptanas, ácidos graxos e vários ânions inorgânicos bivalentes e trivalentes. Os métodos titulométricos com base no nitrato de prata são às vezes chamados métodos argentométricos.

O método mais comum para a determinação da concentração de haletos em soluções aquosas é a titulação

com uma solução padrão de nitrato de prata. O produto da reação é o haleto de prata sólido.

O ponto final produzido por um indicador químico consiste geralmente em uma variação de cor ou, ocasionalmente, no aparecimento ou desaparecimento de uma turbidez na solução titulada. Os requisitos para um indicador ser empregado em uma titulação de precipitação são: (1) a variação de cor deve ocorrer em uma faixa limitada da função p do reagente ou do analito e (2) a alteração de cor deve acontecer dentro da parte de variação abrupta da curva de titulação do analito. O cromato de sódio pode servir como um indicador para as determinações argentométricas de íons cloreto, brometo e cianeto por meio da reação com íons prata para formar um precipitado vermelho-tijolo de cromato de prata (Ag2CrO4) na região do ponto de equivalência. Então, a princípio, o íon cromato dever ser adicionado em uma quantidade na qual o precipitado vermelho apareça apenas após o ponto de equivalência.

Como conseqüência, um excesso de nitrato de prata é necessário antes que a precipitação se inicie. Um excesso adicional do reagente também deve ser adicionado para produzir cromato de prata suficiente para ser visto. Esses dois fatores geram um erro sistemático positivo no método de Mohr que se torna

significante em concentrações de reagentes menores que 0,1 mol L–1. Uma correção para esse erro pode ser facilmente realizada por titulação de um branco constituído por uma suspensão de carbonato de cálcio livre de cloreto. Alternativamente, a solução de nitrato de prata pode ser padronizada contra o cloreto de sódio de grau padrão primário usando-se as mesmas condições da análise.

Essa técnica compensa não apenas o consumo excessivo de reagente, mas também a acuidade do analista em detectar o aparecimento da cor. A titulação de Mohr deve ser realizada em pH de 7 a 10 porque o íon cromato é a base conjugada do ácido crômico fraco. Conseqüentemente, em soluções mais ácidas, a concentração dos íons cromato é muito pequena para se produzir o precipitado nas proximidades do ponto de equivalência. Normalmente, um pH adequado é obtido saturando-se a solução do analito com hidrogênio carbonato de sódio.[1]

3) Objetivo

Determinar o teor de cloreto de sódio em soro fisiológico pelo método de Mohr.

4) Questões de Pré- Laboratório

1) Quais os fatores a serem observados na escolha de uma titulação de precipitação?

Para que uma reação de precipitação possa ser usada é necessário que ela ocorra em um tempo curto, que o composto formado seja insolúvel e que ofereça condições para uma boa visualização do ponto final.

2) Como atuam os indicadores de adsorção?

São corantes orgânicos, com caráter de ácidos ou bases fracos (aniônicos ou catiônicos), que acusam o ponto final através de uma mudança de coloração sobre o precipitado. A mudança de coloração se deve à adsorção ou dessorção do corante em consequência de uma modificação da dupla camada elétrica em torno das partículas do precipitado na passagem do ponto de equivalência: assim o aparecimento ou desaparecimento de uma coloração sobre o precipitado serve para sinalizar o ponto final.

3) Porque a titulação por precipitação não pode ser realizada em meio ácido ou muito alcalino?

Para evitar que os íons hidrogênio reajam com os íons cromato provenientes do indicador, o pH excessivamente alto também deve ser evitado, pois os íons hidroxila podem reagir com os íons prata da solução titulante levando á formação de hidróxido de prata e posteriormente, óxido de prata em solução. Se o pH da solução for inferior a 6,5, a concentração do íon cromato é de tal ordem que o produto de solubilidade do cromato de prata, já não é mais atingido e, consequentemente o indicador deixa de funcionar, uma vez que este sal é muito solúvel em soluções ácidas.

4) Por que o método de Mohr se baseia numa precipitação fracionada?

Por que precisa precipitar quantitativamente os sais.

5) Calcule a massa de NaCl necessária para preparar 100 mL de solução 0,02 mol/L. Calcule a massa de AgNO3 necessária para preparar 250 mL de solução 0,02 mol/L.

0,02 mol de NaCl------------ 1000 mL 0,02 mol de AgNO3 --------- 1000 mL

x ------------ 100 mL x ---------- 250 mL

x = 2x10-3 mol x = 5x10 -3 mol

1 mol ---------- 58,44g 1 mol ------------ 109,01g

2x10-3 --------- y 5x10 -3 ---------- y

y = 0,12 g y = 0,55 g

5) Procedimento Experimental

Determinação do teor de cloreto de sódio no soro fisiológico

-

...

Baixar como (para membros premium)  txt (9 Kb)  
Continuar por mais 8 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com