TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Resenha Do Capítulo II Do Livro: Lowy, Michael. "Ideologia E Ciência Social Elementos Para Uma Análise Marxista" São Paulo, Cortez, 1985.

Por:   •  25/7/2013  •  1.222 Palavras (5 Páginas)  •  2.278 Visualizações

Página 1 de 5

Resenha do capítulo II do livro: Lowy, Michael. “Ideologia e Ciência Social Elementos para uma análise marxista” São Paulo, Cortez, 1985.

Michael Lowy é um pensador marxista brasileiro radicado na França, onde trabalha como diretor de pesquisas do Centre National de la Recherche Scientifique. É um relevante estudioso do marxismo, com pesquisas sobre as obras de Karl Marx, Leon Trótski, Rosa Luxemburgo, Georg Lukács, Lucien Goldmann e Walter Benjamin.

Positivismo

Michael Lowy define o positivismo como uma proposição teórico-metodológica que considera que a sociedade assim como as ciências exatas (matemática, física, química, biologia, etc.) é definida por leis naturais.

“a sociedade humana é regulada por leis naturais, ou por leis que tem todas as características das leis naturais, invariáveis, independentes da vontade e da ação humana. [...] A pressuposição fundamental do positivismo é de que essas leis que regulam o funcionamento da vida social, econômica e política, são do mesmo tipo das leis naturais e, portanto o que reina na sociedade é uma harmonia semelhante à da natureza, uma espécie de harmonia natural.” p.36.

O autor decorre por todo livro mostrando a evolução do pensamento positivista, através dos pensadores mais influentes da época Condorcert, considerado o pai do positivismo, O Conde de Saint-Simon, discípulo de Condorcet, que é também considerado como um dos precursores do positivismo. Para Saint-Simon, a ciência da sociedade segue o modelo da fisiologia. Auguste Comte discípulo de Saint-Simon, que viveu no século XIX, não concorda com as posturas utópico-críticas de seus antecessores e propõem uma nova visão do positivismo. Para Augusto Comte, a física social, ou ciência social determina leis regulam a sociedade e que não podem mudar. Emile Durkheim, transformou o positivismo na perspectiva básica da sociologia.

Max Weber veio discordar de quase todas as ideias propostas pelo positivismo, concordando em apenas um aspecto o de que as ciências deviam ser livres de juízo de valor. Diferente do que prega o positivismo, defende a ideia de que as ciências sociais e as ciências naturais possuem métodos diferentes.

A Hipótese fundamental do positivismo é de que as leis que regulam o funcionamento da vida social, econômica e política, são do mesmo tipo que as leis naturais e, portanto, o que reina na sociedade é uma harmonia semelhante a da natureza, uma espécie de harmonia natural.

Considero que o livro é muito complexo e de difícil entendimento, para formular um pensamento único sobre o assunto tratado neste livro. Porém é justo ressaltar que o autor mostra com relativa clareza o pensamento e as teorias dos grandes nomes da nossa história da filosofia e sociologia. Como sou leiga eu não me arrisco a me aprofundar no assunto vou me ater no que eu entendi por positivismo e de como essa corrente de pensamento influenciou os europeus no do século XIX e que tomou força na Europa na segunda metade do século XIX e começo do XX, período em que chegou ao Brasil. Auguste Comte discípulo de Saint-Simon, filósofo, doutrinário e especulador, continuou seu trabalho com algumas diferenças. Para Comte, Condorcet e Simon eram demasiadamente críticos e negativos. A perspectiva positivista nasce antes da revolução francesa numa perspectiva revolucionária, buscando romper com a ordem e após a revolução francesa, ele se torna uma perspectiva conservadora. A essa altura do positivismo, as lutas contra os preconceitos mudam de função: de uma luta crítica, utópica, passa a ser uma luta conservadora. Esse é um ponto que li com muita atenção. Comte defende a ideia que para manter a ordem social o proletariado tem que se submeter a ordem natural da submissão às classes mais alta e se conformar com isso. A Classe trabalhadora precisa de se conformar e aceitar que é natural que a riqueza esteja apenas nas mãos de poucos e que a pobreza é natural e sendo assim deve aceitar isso como um dom de Deus. Portanto, mostra para os homens trabalhadores a vantagem da submissão, e que a irresponsabilidade é uma dignidade. Então nesse carácter conservador a ordem social é mantida. Afinal manter a ordem para progredir, ou progredir para manter a ordem? Um aspecto fundamental do conhecimento positivo vem do fato de que a previsibilidade é a finalidade de toda e qualquer ciência. “Ver para prever” é o lema da ciência positiva.

Com isso, Auguste Comte quer dizer que a sociologia é fundamental para analisar a sociedade e conhecer as causas e os motivos dos fenômenos sociais, dos problemas sociais.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (7.7 Kb)  
Continuar por mais 4 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com