TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

1 E 2 Guerras Mundiais E A Crise De 1929

Trabalho Escolar: 1 E 2 Guerras Mundiais E A Crise De 1929. Pesquise 787.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  10/3/2015  •  2.885 Palavras (12 Páginas)  •  635 Visualizações

Página 1 de 12

I Guerra Mundial

Também chamada Guerra Européia, ou I Grande Guerra, opôs, de 1914 a 1918, a Alemanha, império austro-húngaro e a Turquia, a uma coligação, afinal vitoriosa, de que participaram a França, o Reino Unido, EUA e outros países.

Conflito armado, também chamado Guerra Européia ou I Grande Guerra. Irrompeu a 28/07/1914 entre o império austro-húngaro e a Sérvia, logo se alastrando na luta, de um lado, as chamadas Potências Centrais, em especial a Alemanha, o império austro-húngaro e a Turquia; e, de outro, os 'Aliados', principalmente o Reino Unido, A França, A Rússia, A Itália e, mais tarde, os EUA.

CAUSAS E ANTECEDENTES................... ............ .. .............. ............ As causas da I Guerra Mundial estão principalmente na rivalidade comercial entre os grandes Estados europeus do séc. XIX. A demais, o sistema conhecido por 'equilíbrio europeu', surgido após as Guerras Napoleônicas (1815-15) e apoiado em uma série de alianças visando a um equilíbrio militar que impedisse agressões entre as potências da comunidade, só fez propiciar uma instável paz armada, preste, sempre, a explodir numa profunda convulsão político social. A ruptura do processo começou a tomar forma na coalizão dos pequenos estados germânicos da Europa Central no império germânico, sob Otto von Bismarck, que se lançou a uma agressiva política de expansão.

Para manter a hegemonia alemã, orientava-se a diplomacia de Bismarck pelo propósito de isolar a França. De 1872 a 1882, promoveu alianças e acordos com a Áustria, a Rússia e a Itália, destacando-se a chamada Tríplice Aliança germano-austro-italiana (1882) de caráter defensivo, com prazo de validade de cinco anos (várias vezes renovadas). Mantinha-se a Inglaterra em seu 'esplêndido isolamento'. Tinha más relações com a França, que se via, assim, também inteiramente isolada. Ascendendo Guilherme II ao trono da Alemanha, afastou Bismarck, modificou a orientação da política alemã e recusou renovar o pacto com a Rússia. Isso levou o czar Alexandre II a vencer sua antipatia pelo regime republicano e assinar, em 1893, o tratado de aliança franco-russo, reforçado por convenção militar secreta e pela ação do ministro francês Delcassé. Melhorou a situação política da França, e processou-se a reconciliação com a Itália, através de um tratado de comércio, um acordo colonial e um acordo político (1898-1902). A Inglaterra, após tentar em vão aproximar-se da Alemanha, alarmou-se com o programa naval e comercial do Kaiser e voltou-se para a França, com ela firmando o acordo de 1904, sobre o Egito e Marrocos.

Pela Entende Cordialei, assim estabelecida, prometiam-se ambas as potências apoio recíproco na solução de possíveis questões diplomáticas. Em 1907, logrou a França aproximar a Rússia e a Inglaterra. A partir de 1908, a expressão 'Tríplice Entende' serve para designar o bloco França-Inglaterra-Rússia, opondo-o, com freqüência, ao da Tríplice Aliança. Várias vezes tentou a Alemanha romper a "Tríplice Entende", donde a sucessão de crises (marroquina, balcânica etc.) que, de 1905 a 1914, agitaram a Europa, conduzindo-a à guerra. Bastou o incidente do assassinato, em Sarajevo, do arquiduque Francisco Ferdinand, herdeiro do trono da Áustria, para que se precipitasse a guerra mundial.

Eclosão e campanha da França....................... ............................... O homicídio, perpetrado por um nacionalista sérvio(28/06/1914), serviu de como pretexto para a Áustria declarar guerra à Sérvia (28/08), e em breve o conflito irrompia por toda a Europa. Em 1º-VIII, a Alemanha declarou guerra à Rússia, que havia disposto seus exércitos na fronteira austro-germânica; dois dias depois invadiu a Bélgica, cuja neutralidade reconhecera, procurando atingir as fronteiras da França pelo norte. Isso causou o ingresso da Inglaterra no conflito(4/08). Dominada a Bélgica, o exército alemão correu célere pela França, detendo-se apenas às portas de Paris. A 5/09, na primeira batalha do Marne, a contra-ofensiva rechaçou os exércitos alemães para o norte do país, onde se entrincheiraram; em seguida procuraram atingir as costas do canal da Mancha, num esforço para ganhar o controle da região. Mas em Yprès(30/10 --24/11/1914), essa 'corrida para o mar' dos alemães foi detida.

A frete ocidental.......................... ............................ ........... ,.... .......... (1915-1916).Cessada a guerra de manobras nessa frente, os exércitos alemão e franco-britânico postaram-se, frente a frente, numa linha que ia da Suíça à Mancha. Durante todo o ano de 1915, a situação ali se caracterizou pelo elevado número de assaltos, de resultados insignificantes. Em fevereiro de 1916, contudo, os alemães assestaram um importante ataque contra Verdun, tomando várias fortificações em torno da cidade. Encerrado o ataque, a defesa francesa tomou a dianteira da ofensiva aliada em Somme. A batalha custou 1 milhão de soldados para ambos os lados. Voltando daí a suas posições em torno de Verdun, os franceses prosseguiram na luta e, dois anos após, a situação ainda não se definira. Os dois exércitos encontravam-se em estado de completa exaustão.

Em abril de 1915, na Segunda batalha travada em Yprès, os alemães introduziram o uso de agressivos químicos. Também nesse ano começou-se a fazer uso de avião, utilizado especialmente como arma de observação; e dos zepelins, estes de grande importância no bombardeamento da zona do canal da Mancha. Na batalha de Somme, de 1916, os ingleses utilizaram, pela primeira vez, tanques de guerra(Churchill), que não eram mais que tratores blindados equipados com armas.

Campanha da Rússia...................................................... ........... ,.... ....... ... (1915-1917). Na frente oriental, lograram os russos fazer recuar os austríacos até a chamada Galícia, na Polônia. Com a queda de Przemyls(março de 1915), a situação tornou-se crítica, exigindo uma ofensiva conjunta austro-germânica, que fizesse retroceder os russos. Durante os meses de maio e abril, desenrolou-se o vitorioso ataque, e já em julho a Galícia polonesa, Bukovina e Courland estavam sob inteiro controle dos Poderes Centrais. Com outro grande ataque, a Polônia e a Lituânia caíram-lhe nas mãos. Em junho de 1916, foi desfechado o contra-ataque russo, na frente que ia dos Cárpatos ao Báltico; a despeito de sua melhor condição estratégica, os objetivos principais da campanha não foram totalmente atingidos, enquanto o moral das tropas decrescia assustadoramente. A situação inteira da política russa, por outro lado, era de crise. Abdicando o czar em março de

...

Baixar como (para membros premium)  txt (19.3 Kb)  
Continuar por mais 11 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com