TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Fichamento Antiguidade Oriental: A Educação Tradicionalista. Do Livro História Da Educação E Da Pedagogia Geral E Do Brasil.

Por:   •  9/4/2014  •  860 Palavras (4 Páginas)  •  4.648 Visualizações

Página 1 de 4

Contexto histórico

1. A Revolução neolítica e as primeiras civilizações

Inicio do Período Neolítico por volta de 8 ou 10 mil anos atrás

Há cerca de 5 mil anos surgiu as civilizações fluviais, conhecidas assim por se originarem as margens dos rios.

Diferente da tribo, as civilizações orientais tinham suas terras como propriedade do governo.

Surge a minoria privilegiada que pertencia a administração dos negócios, que acarreta as diferenças entre as profissões como mercadores, camponeses, artesãos…

O método para a subsistência dos povos orientais era o modo de produção asiático.

3 Principais características:

Os homens deixam de ser nômades para se tornar sedentários

Surge as primeiras civilizações, margens do rio Nilo, o Egito, as margens dos rios Tigres e Eufrates a Mesopotâmia, do rio Indos e Ganges a Índia, e as margens dos rios Yangtsé e Hoang-Ho a China.

Todas as civilizações da época tinham governos despóticos de caráter teocrático, ou seja, o rei ou governador eram “supostamente escolhido por Deus ou deuses”

2- A invenção da escrita

A escrita pictográfica representava figuras, enquanto a ideográfica representa objetos e ideias. A fonética registra apenas os sons, decompondo palavras em unidades sonoras.

A partir de 3500 a.C os egípcios escreviam em hieróglifos, que significa escrita sagrada. No inicio pictográfica, depois ideográfica, após juntou-se com a fonética silábica. “Além de inscrições nas pedras de túmulos e monumentos, os egipicios usavam madeira e papiro para registro das atas administrativas, da justiça e para anotações contábeis nas atividades do comércio”(ARANHA,2006,p.44).

a mesopotâmia ocorreu a mesma coisa, no inicio a escrita era pictográfica, depois ideográfica e por fim, fonética. Já na China a escrita permaneceu ideográfica até meados do século XX.

“Escribas no Egito, mandarins na China, magos na Mesopotâmia e brâmanes na Índia exerciam suas funções monopolizando a escrita em meio a população analfabeta. O saber representava uma forma de poder.” (ARANHA,2006,p.44)

Por Volta de 1500 a.C Os fenícios inventaram ou descobriram não se sabe exatamente a escrita fonética, e dá-se inicio o alfabeto

A escrita chegou até nós através dos latinos, os quais o obtiveram através dos gregos.

3 principais características:

A escrita muda de forma, passando de pictográfica a ideográfica até a forma como a conhecemos hoje.

A escrita tornou-se simplificada e com isso deixou de ser privilégio de poucos e perdeu seu caráter sagrado.

Surge o alfabeto, cujo o nome é a junção de duas letras gregas alpha e beta.

A educação e pedagogia

1. A educação tradicionalista

Nas civilizações orientais, os povos seguiam um modo de educar segundo os livros sagrados, que ofereciam regra de conduta, com o intuito de se evitar as transgressões das normas.

No começo a escrita era restrita em razão de seu caráter sagrado e esotérico, mas com o aumento de pessoas buscando instrução passou a ser simples

Apenas os filhos dos nobres atingiam graus superiores de ensino.

3 principais características:

A educação deixa de ser igualitária e difusa

Inicia-se o Dualismo escolar

Apenas nobres e privilegiados tinham acesso à educação

2- Egito

Forma-se o Egito no final do quarto milênio a.C

Os egípcios desenvolveram conhecimentos nas áreas de geometria, astronomia, medicina, botânica, mineralogia, geografia e zoologia.

As escolas tinham por volta de vinte alunos cada uma.

Embora a escola já passe por uma “institucionalização” elas funcionavam em templos e em algumas casas.

“O ensino autoritário tinha por finalidade curvar o aluno á obediência.”(ARANHA,2006,p.46)

A arte de

...

Baixar como (para membros premium)  txt (6.4 Kb)  
Continuar por mais 3 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com