TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Sete Barracas

Por:   •  14/10/2013  •  941 Palavras (4 Páginas)  •  355 Visualizações

Página 1 de 4

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS

CAMPUS DE MIRACEMA

CURSO DE SERVIÇO SOCIAL

FORMAÇÃO SOCIAL, ECONÔMICA E POLÍTICA DA

AMAZÔNIA.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS

CAMPUS DE MIRACEMA

CURSO DE SERVIÇO SOCIAL

A formação Histórica de Sete Barracas

Trabalho desenvolvido durante a disciplina: Formação Social, Econômica e Política da Amazônia, referente ao 6º período do curso de Serviço Social. Requerido pelo Docente: Genilson Nolasco.

Acadêmica

Gislene A. B. Lemos

A formação Histórica de Sete Barracas

O presente trabalho foi elaborado como requisito para a disciplina de Formação Social, Econômica e Política da Amazônia com destaque para a história da formação do povoado de Sete Barracas.

A região, conhecida como Bico do Papagaio é compreendido por uma vasta localização que corresponde ao norte do Tocantins, sul do Pará e oeste do Maranhão, é também chamada de região tocantina. a construção da comunidade Sete Barracas a partir do processo de sua formação histórica, política, social ocorreu se estabeleceu a partir dos anos 50, sendo formada a princípio por um grupo de retirantes maranhenses que, fugindo do latifúndio e de uma onda de grilagem, deslocaram-se rumo à promissora região tocantina. Sete Barracas ficou assim conhecida devido à construção de exatos sete barracos de palha por seus primeiros moradores assim que se deu sua ocupação. Até o ano de 1972, sua população gozava de um clima de paz, Porém, logo deu-se início à manifestações de conflitos agrários, com a chegada de João Carrinho, ex-prefeito do município de Porangatu- GO, que se afirmava proprietário daquelas terras. A partir de então os posseiros passaram a sofrer ameaças, tudo com o aval do então juiz de Itaguatins, João Batista de Castro Neto. Houve a ocupação definitiva dessa terra no início do século XIX, por criadores de gado, mineiros em busca de ouro e missionários em busca de almas. E também ocorreu outro alarmante que ajudou no povoamento da região, que foi o surto da extração da borracha. a terra era vista como instrumento de liberdade por posseiros da região do Bico do Papagaio. Portanto, a história da luta pela terra vivenciada pelo posseiros do Bico do Papagaio precisa ser resgatada e interpretada dentro de uma perspectiva que os considerem enquanto sujeitos. Ou seja, que os integrem dentro de um discurso sócio histórico fundamentado a partir das múltiplas facetas de sua cultura. Neste sentido, suas ações frente aos fatos que ocorreram entre 1964 a 1985 na região, não podem partir de um estereótipo construído fora de seu espaço, mas, sim de um ponto de vista relacional, considerando seu ambiente regional e sua historicidade.

O cotidiano dos moradores de Sete Barracas, era marcado por muita dificuldade, pois viviam em condição de posseiro, porque a terra era devoluta. A partir dos anos cinquenta, a noticia da construção da Belém-Brasília levou esperança de melhoria para a população daquela região, então isolada. Com isso veio o crescimento da expectativa de melhorias e um vasto crescimento populacional, decorrentes da ideia que ali poderiam melhorar de vida. Foi quando passaram a acelerar a corrida pela apropriação de terras, que por sinal muito férteis proporcionavam grande estímulos aos que chegavam. Com as ameaças dos que se achavam donos da terra, começam os conflitos. Papel importante durante esse

...

Baixar como (para membros premium)  txt (6.3 Kb)  
Continuar por mais 3 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com